sexta-feira, 3 de julho de 2015

Beijos Infernais

Nome: Beijos Infernais
Título Original: Kisses from hell
Autoras: Kristin Cast, Richelle Mead, Alyson Noël, Kelley Armstrong e Francesca Lia Block
Série: Infernal
Editora: Galera Record
Livro: Skoob
Sinopse:
Cinco histórias de amor e medo, onde a paixão e o sobrenatural misturam-se a todo instante. Tanto na história de uma vampira fugitiva que se vê forçada a confiar em um garoto cuja missão é destruí-la até a relação de amor entre dois imortais, o limite entre o desejo e o perigo torna-se cada vez mais visível. Kristin Cast, Richelle Mead, Alyson Noel, Kelley Armstrong e Francesca Lia Block fazem o leitor questionar o verdadeiro sentido do “amor eterno” e mostram seus prós e contras.

Sempre fui vidrada na série “Infernal”, já desde o lançamento de “Formaturas Infernais”, lá pra 2009, que me fisgou totalmente. E quando soube de Beijos Infernais sendo lançado, nem preciso dizer que foi um surto atrás do outro, né. Só que apesar do entusiasmo todo, eu acabei esquecendo do livro (também não sei como), e depois de um tempinho acabei encontrando resenhas a respeito dele que me deixaram com um pezinho atrás, já que eram bem negativas, mas resolvi arriscar da mesma forma, afinal não podia ser tão ruim assim!

E, bom... Bem que me avisaram.

Já começa pelo fato de que todos os contos são sobre vampiros. Gente! Desde quando a série passou de sobrenatural pra vampiresca? Não tenho particularmente nada contra vampiros, mas estava esperando pela proposta da série, ou seja, seres diferentes!

Luz do sol” foi escrito por Richelle Mead e adivinhem só? Ela incluiu os seres de “Academia de Vampiros” na história, sim. Os Morois, Strigois, etc, a família toda. O conto tem uma boa desenvoltura, Eric Dragomir vai pra uma festa com a namorada e acaba conhecendo uma garota que o cativa pelo seu jeito recatado, inteligente, e principalmente por ela se importar com o evento que matou a mãe de Eric, mesmo ela nem sabendo quem afinal ele era. Foi um amor digamos que repentino, sim, mas pra um conto até que a atração entre eles convence. Só achei que talvez ela devesse abordar os vampiros num outro contexto, não permanecer naquele mesmo mundo que ela criara, porque acabou por se tornar repetitivo.

Ressucita-me” da Alyson Noel, por mais que os livros dela me tirem do sério, esse conto foi o que mais teve um toque sombrio, embora também tenha sido estranho. Danika foi escolhida pra entrar numa academia de arte, só que quando chega no local, tudo está completamente vazio, somente com dois mordomos a auxiliando e dizendo que logo os alunos e professores chegariam, pois a neblina estava atrapalhando, sendo que não havia neblina nenhuma. Nessa hora eu daria meia volta e iria embora, mas não, ela decide ficar e descobrir que existe algo imensamente errado naquele lugar.

Acima” da Kristin Cast é uma incógnita. Não tenho nem o que comentar, pois é sem nexo do começo ao fim.

Caçando Kat” de Kelley Armstrong é ótimo! Katiana é uma vampira só por ter sido submetida a uma experiência. Com o decorrer, ela descobre que não é a única e que estão perseguindo esses frutos dos experimentos, e é por conta disso que ela conhece Chad e Neil, dois garotos em quem ela se sente obrigada a confiar se quiser conseguir fugir viva. Toda a ideia e a proposta do conto traz um êxtase que você quer continuar e saber onde aquilo vai dar, então foi bem triste chegar ao final e não encontrarmos resposta alguma a respeito do experimento ou de quem queria pegá-los. É aquele conto que sem sombra de dúvidas daria um livro e tanto!

Lilith”, de Francesca Lia Block também é meio estranho... Paul Michael é excluído, vagando solitário pela escola ao mesmo que deseja ter alguém ao seu lado pra poder contar sobre o mundo que criou em sua mente. E nisso ele começa a reparar mais em Lilith, uma garota também sozinha, perfeita pra ele. Mas será que Lilith é realmente o que ele imagina?

É uma pena que a série Infernal tenha decaído desse jeito :( é um tema composto por um grande leque de opções, o autor pode seguir na direção que quiser e chegar ao terror de arrepiar de inúmeras formas, mas ao menos nesse volume, os contos escolhidos caíram no mesmo botão, e isso infelizmente enjoou bastante. Mas nada está perdido, ainda há esperanças com Férias Infernais, volume seguinte já publicado pela Galera!

Nota: 3

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 20 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário