sexta-feira, 8 de maio de 2015

O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares

Nome: O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares
Título Original: Miss Peregrine's Home for Peculiar Children
Autor: Ransom Riggs
Série: Srta. Peregrine - #1
Editora: LeYa
Livro: Skoob
Sinopse:
Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, um romance inesquecível que mistura ficção e fotografia em uma experiência de leitura emocionante. Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo, por mais impossível que pareça, ainda podem estar vivas. Uma fantasia arrepiante, ilustrada com assombrosas fotografias de época, O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares vai deliciar adultos, adolescentes e qualquer um que goste de aventuras sombrias.

Quando eu vou aprender que o que parece terror não é terror de verdade? :(

Fiquem tranquilos, podem ler a resenha na paz que não vai ter nenhum monstro perseguindo vocês depois. A não ser que vocês sejam peculiares.

Jacob é um rapaz de 16 anos que teve uma infância recheada de fantasia. Seu avô adorava contar histórias, ou ao menos era isso que a família inteira achava. Para Jacob era tudo real. Seu avô dizia que quando era pequeno, antes de ir para a guerra, viveu num orfanato onde haviam crianças bem peculiares. E ele tinha como provar a existência delas através de fotos que havia guardado por muito e muito tempo em uma caixa. Lá se encontravam as fotos mais distintas que alguém poderia imaginar; uma menina flutuando, um garoto levantando uma rocha com apenas uma mão, outra garota dentro de uma garrafa, e por aí vai. Jacob ficava louco de entusiasmo ouvindo as histórias do avô, até o dia em que sua ficha caiu e o encanto acabou. Com o passar do tempo, Jacob foi crescendo e percebendo que aquelas fotos eram impossíveis de ser verdade. Qualquer um poderia fazer uma montagem grotesca daquelas e iludir uma criança. Mas ainda assim ele não sentia raiva do avô; todos sabiam como sua mente estava ficando conturbada, ainda mais quando dizia que precisava se esconder para que os monstros não o achassem.

E ninguém acreditava. Até que ele morreu.

Ok, na verdade ele foi assassinado. E quem correu para socorrê-lo no exato momento em que um ser de várias línguas saindo pela boca se afastava, foi Jacob. E foi naquela hora que ele entendeu que ou estava enlouquecendo também, ou que o avô tinha sido honesto.

Os pais pendiam mais para achar que ele tinha pirado, ou que estava sofrendo com o trauma de presenciar a morte do avô, portanto o mandaram para um psiquiatra, que tentou de todas as formas ajudá-lo, até que realmente o ajudou. Ele deu a ideia de Jacob ir até a cidade onde se localizava o orfanato para obter mais informações sobre o avô, e os pais toparam. E a partir daí, então, que embarcamos na nossa aventura.

É um desafio gigantesco falar desse livro sem soltar spoilers, então tentarei ser o mais breve possível. Chegando lá, Jacob descobre que o orfanato foi bombardeado há muitos anos e que não resta mais nada daquela casa. Mas nem mesmo isso o faz desistir, e Jacob continua com sua busca por aquelas crianças, ou pela Srta. Peregrine, que mandara uma carta há tempos para seu avô. Até que finalmente os encontra.

Será que eles são o que Jacob imaginava? Será que ele fez a decisão certa em ir atrás deles? Ou será que acabou por se meter numa grande enrascada?



Infelizmente não posso contar mais nada, mesmo que ainda aconteçam muuitas coisas no decorrer do livro. E devo admitir que não era o que eu esperava. Eu desejei esse livro por muito, muito tempo mesmo, mas estava sempre absurdamente caro e eu ficava com o coração na mão de gastar tanto assim em uma obra só, até que surgiu a oportunidade de fazer uma troca, e não pensei duas vezes antes de aceitar. Fiquei toda animada quando chegou, me sentei pra ler, e só pelas primeiras páginas já foi me desaminando. Não por ser uma história ruim, não mesmo, mas eu já tive noção de que eu estava sonhando com um enredo completamente diferente. Talvez tenha sido a capa que me deu a impressão errada, mas definitivamente esse não é um livro de terror. Posso até mesmo dizer que é infanto-juvenil. As imagens assustam um pouco, mas porque são bizarras. Nas últimas páginas descobri que as fotos não foram feitas para o livro, e sim obtidas de colecionadores. Achei isso bem legal, mas desculpa, gente, são muito feias :( não é por ser de época, em preto e branco, qualquer coisa do estilo, porque Asylum também tem imagens e foram projetadas de forma bem mais caprichosa, é perceptível o trabalho que tiveram para montar algo bem feito.

Mas enfim, alguns pontos deixaram a desejar, outros me surpreenderam e me deixaram realmente curiosa pra saber o desfecho, como por exemplo o mistério que circunda Abe, o avô de Jacob. Vale a pena ler, sim, e pra vocês que não são nem um pouco fã de terror e já querem fugir aqui do blog quando chega o halloween (hahaha), é uma ótima indicação!

Ah, aliás, esse livro pertence à uma série. O segundo volume se chama Hollow City, mas não vi nada falando sobre previsão de lançamento aqui no Brasil :/

Nota: 4

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 20 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário