quinta-feira, 24 de outubro de 2013

A Casa de Hades

Nome: A Casa de Hades
Título Original: The House of Hades
Autor: Rick Riordan
Série: Heróis do Olimpo (#4)
Editora: Intrínseca
Livro: Skoob | Orelha de Livro
Sinopse:
A tripulação do Argo II enfrenta dias difíceis. Inimigos espreitam no caminho para a Casa de Hades e o moral da equipe está baixo após a perda de dois integrantes importantes em Roma. Para chegar às Portas da Morte e tentar impedir o despertar de Gaia, nossos heróis Hazel, Jason, Piper, Frank e Leo vão precisar fazer alianças perigosas, encarar deuses instáveis e combater os asseclas enviados pela sanguinária Mãe Terra para detê-los. A situação é ainda pior para Percy e Annabeth. Após caírem no Tártaro, os dois passam fome, sede e sofre com diversos ferimentos enquanto são caçados por vários inimigos que derrotaram ao longo dos anos e que agora surgem das sombras em busca de vingança. A única esperança da dupla de voltar para o plano mortal reside em encontrar as Portas da Morte e fechá-las de uma vez por todas. No entanto, uma legião de monstros fiéis a Gaia defende as Portas, e nem Percy nem Annabeth estão em condições de enfrentá-la.
ATENÇÃO: CONTÉM SPOILERS DOS PRIMEIROS TRÊS LIVROS DA SÉRIE 

No quarto livro da série Heróis do Olimpo - spin-off/continuação de Percy Jackson e Os Olimpianos -, Percy e Annabeth foram jogados no Tártaro, lugar que abriga todos os seus imortais inimigos, e precisam lutar não só para sobreviver, mas para chegar nas Portas da Morte, onde seus amigos deveriam encontrá-los.
Enquanto isso, os outros seis heróis (contando com Nico, que não faz parte da profecia), tentam chegar à Casa de Hades, onde se encontra o outro lado das Portas da Morte, já que Nico prometera à Percy levá-los lá. Como já é esperado, precisam passar por muiots desafios, deuses e inimigos para chegar até o lugar desejado.
Quem me conhece sabe que eu amo muito essa série. Não leio Percy Jackson desde o início, mas já faz quase uns cinco anos que comecei a ler e quanto mais tempo passo lendo uma série, mais eu me torno apegada a ela. É fácil então presumir que eu estava muito ansiosa para ler esse livro e preciso agradecer à editora Intrínseca por ter resolvido lançar a tradução no mesmo dia que nos Estados Unidos. Nos últimos anos, vim lendo os livros em inglês e aí depois comprava em português e relia, o problema com isso (além de ter eu acabar comprando dois livros), é que se eu comprasse o livro físico demorava anos para chegar pro causa do frete, e se eu comprasse em e-book, eu só podia ler quando estava em casa, o que é um problema, porque eu gosto de ler no ônibus, enquanto vou para a faculdade haha. Então sim, obrigada! Agora: por que não fazer isso com TODAS as séries? Ia ser ótimo!
Voltando para a história, confesso que não me surpreende muito com os livros, os monstros são, quase sempre, vencidos da mesma maneira e muito facilmente enganáveis por Annabeth, isso me irrita um pouco. Mas para mim esse nunca foi o forte dos livros do Rick, então sem problemas. O livro é divertidíssimo e eu cheguei a rir alto em algumas partes, o que é algo muito difícil de acontecer! Tem algumas partes tristes sim, mas Rick é muito bom em contabalançar com algumas piadas no momento certo, que evitam deixar o livro tão pesado. Eu, pessoalmente, gosto bastante de livros pesados e adoraria ler um livro um pouco mais dark da série, mas simplesmente não é o estilo e ao contrário de alguns fãs que já estavam esperando por mortes e mais mortes, eu não esperava nada além do que encontrei.
Nesse livro, a narração varia entre todos os sete heróis da profecia, mas quem aparece mais mesmo foram Percy e Annabeth. Eles, por sinal, estavam uns amores nesse livro! Se você não gosta de percabeth, provavelmente não vai gostar tanto quanto eu, porque eles são meu OTP. Os dois estavam juntos no Tártaro e, apesar de estarem quase morrendo em 99,9% do livro, ainda teve espaço para diversos momentos de fofura, juro que cheguei a abraçar meu livro de tanto amor que tenho por esses dois. Antes que perguntem, sim, eles são os meus favoritos dos sete e, aliás, Annabeth é minha personagem preferida, então antes de falarem mal dela nos comentários: não falem!
Annabeth s2
De qualquer forma, também gosto dos outros personagens! Senti que Hazel e Piper ficaram bastante coadjuvantes nesse livro, que teve maior foco nos personagens masculinos (not cool), espero que isso seja compensado no próximo, afinal as meninas também merecem um pouco de desenvolvimento. Apesar de que Hazel teve uma participação bem importante... Mas eu queria mais do mesmo jeito. Piper, entretanto, realmente foi esquecida tirando por uma cena de glória. Leo também não teve o foco, mas gostei de ver aonde o seu personagem está indo, sua parte contou com a aparição de uma antiga personagem de Percy Jackson e os Olimpianos que eu, pessoalmente, não liguei muito antes, mas curti o que aconteceu, apesar de eu desconfiar que alguns descordariam comigo. Frank cresceu bastante nesse livro, e não estou falando só metaforicamente, o final do livro realmente me surpreendeu quanto a ele, mas de um jeito positivo, acho ele e Hazel bem fofinhos e acho que ele está começando a se parecer mais com um filho de Marte nesse livro. Agora vamos para o final: Jason e Nico. A amizade desses dois foi a melhor coisa desse livro depois da percabeth para mim. Até o livro anterior, Jason era o personagem que eu menos gostava, achava ele meio sem graça e tal, mas finalmente ele ganhou meu coração. Gostei de sua atitude nesse livro e ele se provou não só um líder, mas um bom amigo, o que é bem mais importante.
E Nico, Nico, Nico, será que não podemos todos simplesmente dar um grande abraço nesse garoto? Apesar de ter gostado bastante da amizade dele com Jason, quero que no próximo livro - que é o último - ele tenha feito amizade com todos os outros. Juro que cada vez que alguém (cof cof, Leo) fazia uma piada sobre ele, meu coração apertava. Nico é um fofo, o que me lembra do meu plano de comprar um filhote de gato preto e chamá-lo de Nico.
Por fim, vou tentar não dar spoilers nenhum, mas acho que dve eter, então caso não queira pare de ler por aqui! O aviso foi dado.
Imagino que a maioria das pessoas ativas no fandom já devam saber antes de ler - eu soube! e o livro nem tinha sido lançado, não sei onde as pessoas conseguem as informações. Mas o tio Rick finalmente resolveu abordar o tema sexualidade nesse livro e eu não poderia ser mais grata. Não vou falar o personagem para não estragar a surpresa de quem quer que tenha ignorado o aviso de spoiler acima, mas acho que não é muito difícil deduzir. Ter um personagem queer/gay nos livros é algo importante e fiquei bastante chateada de ver algumas pessoas no tumblr irritadas com isso, algumas afirmando ser "um livro de crianças" e as crianças teoricamente não deveriam ser expostas a sexualidade tão cedo. Fico irritada só de escrever isso aqui e é por isso mesmo que vou aproveitar para falar: exatamente por ser um livro de crianças (e, vamos lá, 99% dos leitores já são adolescentes, convenhamos) que é tão importante. A representação LGBTQ+ na mídia e literatura é mínima e acho incrível que as crianças possam ler um livro e se identificar com um personagem, poder dizer "ei, olha, um personagem que é igual a mim! Um herói que é como eu", o que na verdade se traduz para "ei, talvez não tenha problema ser do jeito o que eu sou?", e se considerarmos que pessoas queer tem muito mais chances de cometer suicídio, desenvolver transtornos mentais, ser expulsos de casa, entre outros, é uma boa coisa que pode acontecer no seu dia. Não compensa nada disso, mas representação ajuda um pouquinho a normalizar nossas vidas. Então eu só queria agradecer à Rick por ter provado mais um vez que está disposto a incluir vários tipos de personagem em seus livros (como fez incluindo vários personagens não-brancos na série).
É isso, amei o livro e estou triste porque agoro terá mais um ano de espera para o fim. Sei que minha resenha ficou grande, mas eu tenho muitos feelings ok

Nota: 5

Sobre mim: Flávia Crossetti, 18 anos, carioca. Estudante de Psicologia, leitora compulsiva, viciada em séries, escritora de fanfic e feminista nos tempos vagos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário