domingo, 18 de dezembro de 2011

O Mundo de Vidro


Nome: O Mundo de Vidro
Autor: Maurício Gomyde
Livro: Skoob
Sinopse:
Até onde pode ir a paixão de uma pessoa por outra? Como, quando e por que começa? Até que ponto pode-se cometer alguma loucura para fazer parte da vida de alguém? Quais as consequências da paixão avassaladora incompreendida? Nesse seu primeiro e hilariante romance, Maurício Gomyde retrata o cotidiano de um cidadão normal como tantos que se vê por aí em qualquer canto, tentando responder estas aparentemente simples perguntas. Passeando com extrema facilidade tanto pela liguagem refinada e sutil quanto pela tosca, Maurício Gomyde nos brinda com um livro de leitura fácil e extremamente agradável.


Depois de tantos comentários bons a respeito desse livro, acho que é a primeira vez que vocês irão ler uma resenha nem tão positiva assim. Só pra começar, eu perdi a conta de quantas vezes eu tentei e tentei continuar a ler, mas foi difícil criar coragem pra ler até o final de uma vez só, já que não me chamava a atenção da forma que eu esperava.
O personagem principal - cujo não tem nome, e isso é um ponto que eu considerei legal, pois não é fácil criar uma história sem ter os nomes dos personagens, principalmente os principais, e deixar com que não se torne repetitivo - é um cara solteirão, e eu digo no sentido literário. Há muito tempo, ele tem se cansado de ser aquele que assiste a felicidade das pessoas, cercadas de amigos, compartilhando um lindo amor, ele ali, sozinho com seu pássaro. De princípio, eu até me identifiquei e empolguei-me na leitura, já que por um bom tempo fui que nem ele, haha. Mas então, indo pro trabalho todos os dias, ele passa a ver uma moça sentada sempre no mesmo lugar, lendo um livro. O interesse por ela é instantâneo, e só cresce rapidamente. É exatamente aquele tipo de amor a primeira vista, quando a pessoa bate o olho, e decide que é a alma gêmea dela. E o amor dele se torna basicamente uma obsessão, pois sempre conta as horas para finalmente vê-la, e ela mal sabe de sua existência.
A respeito disso, não posso falar muito, já que já fiz coisa parecida, e não foi por pouco tempo não. Mas a diferença de idade, é bem notável. Ele já trabalha, e talvez perdendo as esperanças, encontrou nela algo que chamou a atenção e achou que valia a pena tentar. Só que ele foi tão a fundo, que a seguiu, e matriculou-se num curso cujo ele não fazia idéia alguma sobre o que era, e foi descobrindo aos poucos, assim também como descobriu que ela era a professora. Ele começou a fazer de tudo pra tentar conquistá-la, inclusive mentir sobre seus gostos, inventando coisas que ele nunca tinha feito na vida, apenas para ver se a cativava.
Uma coisa que me irritou, foi... Como se ele gaguejasse, sabe? Só que é o tempo inteiro praticamente, e o exagero nas palavras, como prolongar, ou então uma página inteira só com diálogo e sem contar o que estava acontecendo além do que estavam conversando. Sei lá, eu acho que isso, faz MUITA falta num livro, se torna chato só ver o bate-papo e não poder imaginar como está ocorrendo exatamente. Teve as partes bonitas, como a história que ela recebia, o fato de ambos terem outras pessoas no decorrer do tempo, mas nenhuma ser a certa pra eles, mas sabe quando não é o tipo de história que te conquista totalmente? Que você sente que falta algo, seja na história, na escrita, ou o que for?
Mas esse é só o primeiro livro de Maurício, e já tendo lido Ainda não te disse nada, seu segundo livro, percebo o quanto ele evoluiu, é muito visível, mas sei que ele ainda tem muito mais o que evoluir, e melhorar a ponto de fazer uma história mais surpreendente ainda!


Nota: ★★☆☆☆


Photobucket

Nenhum comentário:

Postar um comentário