terça-feira, 22 de novembro de 2011

Ainda não te disse nada

Nome: Ainda não te disse nada
Autor: Mauricio Gomyde
Editora: Porto 71
Livro: Skoob
Sinopse:
"Ninguém mais escreve cartas hoje em dia", Marina pensava. Até que um dia uma caiu em suas mãos por engano e mudou o rumo de sua vida. Levou-a ao lugar que ela sempre sonhou. E a conhecer o amor do jeito que nunca imaginou, da forma mais improvável do mundo...


Em certas situações, eu odeio ter de fazer resenhas de livros, já que nós temos que ser sinceras, e quando algo não é exatamente como imaginamos, pelo menos para mim, é ruim ter de criticar algo que reconheço o esforço de um autor. Porém, também compreendo que as vezes isso somente o estimula a reparar tais erros, e melhorar cada vez mais, pois faz parte.
Admito que o começo de Ainda não te disse nada, não me agradou muito. É arrastado demais, passa boas páginas apenas contando da vida de Marina, uma garota que mora no interior de São Paulo, faz faculdade de moda e trabalha no correio para poder pagar sua faculdade, e ter sua vida própria longe da família. Seu maior sonho é se tornar uma estilista famosa, e ser feliz com o trabalho de seus sonhos. O livro inteiro, conta bastante sobre suas melhores amigas, as conversas que elas têm, cada uma com uma história diferente, que Marina sempre acaba se envolvendo pra tentar ajudar. Só que, ainda mais no começo, eu achei que ficou preso demais a isso, a uma rotina, que concordo em termos de conhecer, mas demorou bastante pra entrar no assunto principal, se tornando até um pouco cansativa essa parte.
Logo no começo, mostra uma conversa de Marina com uma colega de trabalho, onde comentam sobre hoje em dia, ser extremamente raro alguém mandar cartas escritas a mão para o correio. Afinal, para que mandar - além de gastar dinheiro com cada carta -, se é muito mais prático encaminhar um email, onde a resposta é rápida, e até mesmo na hora, pra pessoas de até fora do país? Sejamos sinceros, o computador facilitou demais a comunicação, e estamos acostumados demais com coisas práticas, onde não temos muito trabalho. Apesar disso, eu gosto de escrever cartas, nos acalma ao ler a letra da pessoa, e a ansiedade de termos a resposta em nossas mãos. Mas Marina não concorda com isso, ela diz que cartas são coisas dos antigos, e não gosta muito da idéia. Até que um dia, uma mulher vai no correio mandar exatamente o que? Uma carta. E não só uma, como praticamente toda semana, ela manda uma nova. Marina fica morta de curiosidade para saber o que tanto ela fala por cartas, e por qual o motivo. Mas mal sabia Marina, que seu destino ainda ia lhe pregar muitas cartas para escrever, haha.
Tirando aquele detalhe que não me agradou muito, eu li o livro inteiro em somente três horas, já que aos poucos conseguiu prender minha atenção, também com a vontade de descobrir o que havia naquelas cartas. Nesta parte, sim, eu achei que deveria ter se prolongado, quem sabe traria mais emoção ainda! E o final, então? Ao menos para mim, totalmente surpreendente! Eu realmente não esperava isso, haha.
Algo que eu gostei bastante, é que, mesmo sendo em terceira pessoa, a história gira ao redor de não só uma mulher, mas como juntando suas amigas, e mostrando as conversas e pensamentos que elas tinham. Andei reparando ultimamente que mulher, costuma fazer do foco principal de seu livro, garotas também. E vice-versa. Uma mulher fazer um pov masculino, também não é tãao difícil assim de se encontrar. Mas um homem contando todas as conversas de uma mulher, os pensamentos, sentimentos, e tudo bater direitinho? Só o Maurício mesmo pra conseguir algo tão ótimo, sério mesmo! Adorei.
Outro aspecto que me chamou bastante atenção, é que nem preciso comentar da capa, certo? Completamente linda! Ainda mais a contra-capa, onde tem uma cadeira, e um violão. Amei *-* Fora poucos detalhes que comentei, o livro realmente vale a pena ler, tendo uma história calma e tranquila, boa de se ler e relaxar.

Nota: ★★★★☆



Nenhum comentário:

Postar um comentário