segunda-feira, 16 de maio de 2011

Desafio de Equipe #009

Lançado por: Juh


Título Original: Dorian Gray
Título Traduzido: O Retrato de Dorian Gray
Ano: 2009
Gênero: Drama
Classificação: 16 anos
Elenco: Ben Barnes, Colin Firth, Ben Chaplin, Rebecca Hall.
Sinopse:
Londres. Dorian Gray (Ben Barnes) é um belo e ingênuo jovem, levado à alta sociedade local por Henry Wotton (Colin Firth), que lhe apresenta os prazeres hedonistas da cidade. Basil Hallward (Ben Chaplin), um artista que frequenta este meio, resolve pintar um retrato de Dorian, de forma a capturar sua beleza jovial. Ao ver o quadro Dorian faz a promessa de que daria tudo, até mesmo sua alma, para permanecer sempre com o visual nele estampado. A partir de então Dorian não mais envelhece, mas todos os pecados que comete e a idade que chega são demonstrados no retrato, cada vez mais terrível. Para que ninguém mais o veja, Dorian decide esconder o retrato no sótão de sua casa.



Resenha:
O filme foi literalmente um desafio. O tema é quase inapropriado, pois há muita nudez e cenas de sexo constantes. Tem sua devida apelação, E os atores, por serem conhecidos, enfrentam um desafio com seus papéis. Admito, nunca imaginaria Ben Barnes(As crônicas de nárnia) num papel como esse. Como, acredito eu, que o Caue mencione, é provável que o Lord Henry seja a forma do Diabo, como humano. O filme é baseado no livro de Oscar Wilde, o qual comprei em março se não estou enganada, e estou ansiosa para ler o livro. Mostra exatamente o quanto nós podemos ser influenciados, e o quanto nos preocupamos com a imagem, a beleza. Tem momentos de sadomasoquismo, homosexualismo, entre outras coisas. O final é surpreendente, o jeito como a pintura estava, acabada, e a reviravolta dos personagens. Não se tornou um dos meus filmes favoritos, mas me deixou curiosa para ler o livro.


Carol:
Cara, esse filme sim eu achei foooda *-* No começo, foi bem calmo e até chato. Se minha família que tava vendo comigo, não tivesse falado que já viu outra versão desse filme, e que o que aconteceria em seguida era MUITO bom, acho que eu tinha dormido viu. Mas eu forcei os olhos o mesmo que pude (ou seja: nada. mentira HUIOSUSAOISA). Basil, um amigo de Dorian, é muito famoso com suas obras. Assim, ele faz um retrato para Dorian, e o entrega como um presente. Harry, seu outro amigo, pergunta se ele faria até um pacto com o diabo, só para poder ser jovem para sempre, igual ao retrato. Inocentemente, encantado com o retrato tão real e vivo, Dorian aceitou, brincando. Entretanto, ele mal podia imaginar que aquilo se tornaria realidade. Harry também acabou o levando pro 'lado negro da força', o mostrando drogas e locais que jamais frequentaria. Nesse sentido, achei que não precisava mostrar tanta pornografia. Afinal, ele se transformou em um monstro, um homem cruelmente mal. Mas sabe, maldade não envolve 95% sexo. EEntão, poderiam até ter criado outros crimes para ele cometer, (assim como me contaram de outras versões). Como nem tudo é bom, ele após muitos e muitos anos, permanece com o mesmo rosto e saúde. Porém, todas suas feridas, e sentimentos iam parar no retrato, revelando sua alma, seu verdadeiro ser. E quem descobrisse, ele era obrigado a matar a pessoa. Por quanto mais tempo será que ele suportaria isso? No começo, poderia estar com a vida que sempre desejou, mas ninguém é de ferro, e chega uma hora que simplesmente desaba.
Como eu disse, apesar da pornografia, e cenas desnecessárias, é um filme MUITO bom, além de super bem bolado!


Caue:
Eu não sei muito bem o que falar sobre O Retrato de Dorian Gray... Ainda não consegui definir se o filme me agradou ou não, pois parando pra pensar as mesmas coisas que tornam o filme um pouco ruim, também lhe concedem pontos positivos, mas vamos ao que eu achei.
Primeiro eu achei que as coisas aconteceram meio rápido, Dorian aceita os conselhos de Henry sem nem parar pra pensar e em poucos minutos de filme ele já cedia ao fumo, bebidas, bordéis e até drogas. Porém eram justamente nessas partes que embora tivesse censura ainda era pouca e censura é algo que eu sou contra em filmes, séries, HQ's, etc, mas por causa disso o filme com certeza não é indicado para menores.
Outro ponto do que me desagradou é que ele é um pouco previsível também, a partir do momento que Dorian vê o seu retrato, você consegue imaginar tudo o que vai acontecer até o final sem muitas margens de erro, o que torna o filme um pouco chato, pois a maior parte dele é Dorian cedendo a todos os seus desejos e prazeres (alguns que me traumatizaram), até tentar algum tipo de mudança e aí sim o filme começou a me prender de verdade, porque mesmo eu sabendo o que iria acontecer, eu queria ver acontecendo (faz sentido? sahusauhsahsua).
Quanto ao figurino e atores, ambos estão bem escolhidos. Os cenários e figurinos estão de acordo com um filme de época e eu não conseguiria imaginar outro ator fazendo Dorian Gray embora eu não me lembre de ter visto outro filme com ele...^^'
Bom, como eu disse no começo, eu ainda não defini se gostei do filme ou não, então não sei se recomendaria, mas se vocês tiverem curiosidade, assistam. =]

Leeh:
Ok, vamos lá! Eu não sabia o que esperar de Dorian Gray, assim como todos os outros filmes do desafio, perceberam? ): sempre começo assim hehe. Enfim, eu realmente adorei o filme *-* No começo, quando Henry pergunta se ele aceitaria fazer um pacto com o diabo, e Dorian aceita com toda a certeza em sua voz, eu percebi que ele tinha se ferrado. A partir de então, o quadro que seu amigo-colorido Basilio havia pintado e ficado tão 'vivo' como algumas pessoas disseram... realmente começou a ficar vivo demais. Tão vivo, que Dorian se viu obrigado à escondê-lo no porão, esconder sua verdadeira face. O filme começa, na verdade, com Dorian chegando a Londres, onde influenciado por Henry, após o 'pacto', ele leva a verdadeira vida de: comer, comer, dormir. E vou dizer, homem, mulher, nova, velha, baixa, gorda, magra, alta, não importa... Dorian pega tudo! Ok, meio desnecessária a quantidade de cenas de sexo? Sim. Mas ao contrário do pessoal eu não achei tuuuuuudo isso, já vi piores. Até porque, a nudez mesmo não tem tanto. E se aparece, é uma coisa de frações de segundo. (aliás, agora vamos colocar classificação indicativa do filme, se vocês perceberam). Como o Caue disse, o filme é meio previsível. O cara vive à mil, com todo prazer que alguém pode querer ter, se entupindo de sexo, bebida, cigarros e drogas. E, logo em seguida, vem as consequências.
Mas não é por isso que o filme deixa de te prender e de ser bom ou interessante. Eu fiquei bem presa ao filme, vendo até onde ele aguentaria. E o final... Bom, eu adorei aquele final. Se tem uma coisa que vocês ficam com vontade de ver o filme todo é como está o quadro, que mostra a verdadeira aparência de Dorian. E meu Deus, o que é aquilo! Dá pra ter pesadelos só com a foto do quadro *exagero*
Vi muitas críticas do filme, mas eu particularmente adorei. Os atores, o figurino, a interpretação... Tudo muuuito bom! Eu indico (mas não assistam com a família, ahm...)

Mari: Não participou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário