quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Série A Mediadora


A Mediadora é uma série que conta a história de Suzannah Simon, uma garota que tem o dom de ver espíritos, e é capaz de ajudá-los a resolver os problemas que os prendem na terra, afim de libertá-los dessa agonia. Simplesmente pelo fato de envolver espíritos, já me chamou grande atenção. Eu amo esse assunto, ainda mais livros. Só que, esse não é basicamente um livro que te dê medo, pois quando retratamos sobre fantasmas, normalmente tem o objetivo de botar pavor. Porém, neste livro, é sobre o amor entre Jesse e Suzannah. Entretanto, há um pequeno detalhe.
Jesse é um espírito.
E então, como eles resolverão esse trágico caso de amor?

Cuidado, as resenhas podem conter SPOILERS caso você não tenha lido todos os livros

A Terra das Sombras
Editora: Galera Record

Suzannah está se mudando de Nova York para Califórnia com sua mãe, que se casou pela segunda vez com um homem chamado Andy Ackerman, cujo tem três filhos: Jake, Brad e David. Porém, Suze tem uma mania incrível de chamá-los por apelidos, nessa exata ordem: Soneca, Dunga e Mestre. Soneca aparentemente sempre está dormindo pois trabalha até tarde numa pizzaria com o objetivo de ganhar dinheiro suficiente para comprar um carro. Ele é um dos meus personagens preferidos nesse livro, pois apesar de tudo, sempre estava disposto a ajudar a meia-irmã quando necessário. Dunga, é sempre mau-humorado e rude com Suze, os dois completamente não se dão bem, ele chega a dar ódio nela. Já Mestre, é o meio-irmão favorito dela, é o mais inteligente na família, e até divide com ela um segredo.
Um segredo, que deveria ser somente dela. Mas que Padre Dominic, o padre da escola onde ela estuda, também o compartilha, por ser um mediador, assim como ela.
Ao descobrir que sua nova família mora numa casa muito antiga, que no passado foi uma estalagem para viajantes, ela conhece Jesse. Um rapaz espanhol de fisionomia de aproximadamente 20 anos apesar de na verdade estar morto a mais de cem anos, que "mora" em seu quarto, e diz que não sairá de lá, de forma alguma. Apesar do incômodo de ter um fantasma dividindo seu quarto, estava tudo correndo tranquilamente, até conhecer mais uma confusa e perturbada pessoa. Ou diria eu, espírito? A vaga que ela conseguiu na nova escola, foi somente por causa que Heather, uma garota líder de torcida, suicidou-se com um tiro na cabeça pelo namorado chamado Bryce Martinson. A partir de então, Heather vaga pelo colégio dia e noite, afim de achar uma estratégia para matar o ex-namorado, mas seus planos vão abaixo quando Suze o salva, apenas com a intenção de mantê-lo distante do perigo. Só que o que ela consegue, é um convite para sair. E, bem... Digamos que Suzannah nunca foi convidada para sair antes. Tampouco tinha amigos, e ela acabava de conquistar um.
Suzannah tenta convencê-la de que aqui não é o lugar certo a permanecer, de que ela deve deixar Bryce em paz, mas a garota não lhe dá ouvidos, e só arranja mais problemas à vida de Suze, e dos que a cercam. Heather, raivosa e vingativa, seria muito bem capaz de matar não só Bryce, mas como Suze também. Afinal, ela intrometeu-se num assunto, que era somente dela - não precisava discuti-lo com mais ninguém. Estava decidida do destino que queria.
Além dessa encrenca toda que Suze se meteu, ela ainda havia de desvendar o mistério que rondava Jesse, e como occorreu sua morte.

"— Não há no céu fúria comparável ao amor transformado em ódio nem há no inferno ferocidade como a de uma mulher desprezada.
Eu olhei para ele.
— Está falando por experiência própria?
Ele deu um pequeno sorriso à luz da lua.
— É uma citação de William Congreve.
— Ah... Mas, como você sabe, às vezes a mulher desprezada está cheia de razões de ficar furiosa.
— E você, está falando por experiência própria? — quis saber ele.
Eu dei uma risada.
— Nem de longe.
Para te desprezar, é porque antes o cara gostou de você. Mas isto eu não disse em voz alta. Não há a menor hipótese de que eu pudesse alguma vez dizer uma coisa dessas em voz alta. Não que eu estivesse preocupada com o que o Jesse podia pensar de mim. Por que haveria de me preocupar com o que um caubói morto podia pensar de mim? "


O Arcano Nove
Editora: Galera Record

Neste segundo livro da série, Suzannah se adaptou com facilidade aos costumes da nova família, aspectos da cidade, de um modo geral, fez até amigos. Porém, na vida de Suzannah, nada dá certo. Pelo contrário, tudo que ela consegue é se meter em mais e mais confusões, cada vez piores.
Durante uma madrugada, ela recebeu a visita do fantasma de uma mulher que gritava desesperada, implorando para que Suzannah dissesse a um tal de Red que ele não tinha matado-a. Para complicar mais, essa mulher passou a perseguí-la, e não deixá-la em paz até que finalmente falasse com o cara. Mas, afinal, quem é Red?
Com os conselhos de Jesse - de que ela deveria ser mais atenciosa, e não grossa com o pobre espírito, tentar compreendê-la -, Suze decide procurar ajuda, indo direto à Cee Cee e Adam, que a apresentam para a Tia Pru (Uma tia completamente doida de Cee Cee). Com pesquisas, descobrem que o homem o qual a mulher refere-se, é Thaddeus “Red” Beaumont, cujo é pai de Tad Beaumont, um garoto que insistiu a dançar com Suzannah na festa de Kelly Prescott. Várias coisas sombrias se acumulam na cabeça da garota, até de que Taddeus poderia ser um vampiro, por em uma das visitas à casa dele, sua sala estava totalmente apagada, numa escuridão aterrorizante.
Mas tudo tem seu lado bom. Apesar dos acontecimentos apavorantes, Tad e Suze vivem um pequeno caso, que por sinal, dá um ciúmes extremo em Jesse, que tenta esconder esse sentimento.
As visitas de Peter Simon, pai de Suzannah, que por um acaso também está morto, continuam. Afinal, nem a própria Suze sabe o que o pai ainda está fazendo vagando pela terra.
Será que o Red, realmente é Thaddeus? Sendo ou não, só tenho um aviso: "Red" é muito perigoso.

"— Jesse, se houvesse um modo de eu fazer com que você não estivesse morto, eu faria.
Ele sorriu, mas para o gato, não para mim.
— Faria?
— Num minuto — falei, e então continuei, com uma ousadia completa: — Só que, se você não estivesse morto, provavelmente não iria querer ficar comigo.
Isso o fez me olhar.
— Claro que iria.

E de repente as coisas começaram a parecer melhores.
Em vez de desmoronar em choque — meu primeiro instinto — eu levantei o olhar para o rosto dele. O luar que estava se filtrando no quarto
através da janela se refletia nos olhos escuros e suaves de Jesse e eu podia sentir o calor de seus dedos se espalhando por mim.
Foi quando percebi que, apesar do quanto eu vinha tentando não me apaixonar por Jesse, não estava fazendo um trabalho muito bom. Dava para ver isso pelo modo como meu coração começou a martelar contra a camiseta quando ele me tocou. "


Reunião
Editora: Galera Record

Neste terceiro volume, Suzannah recebe sua melhor amiga de Nova York chamada Gina, que por um acaso é muito engraçada e divertida, apesar de um pouco estranha.Depois de ficarem um tempo na praia tomando sol, as duas revolvem comprar umas bebidas e vão até a loja de conveniência, onde Suze se depara com quatro jovens vestidos diferentemente do costume de trajes que se vai à praia. Dessa vez, Suze não terá de lidar com somente um único fantasma, e sim quatro, de uma vez só! Quatro adolescentes, mais conhecidos como Anjos da RLS (chamados de Josh, Felicia, Mark e Carrie) , morreram num horrível acidente de carro na volta da festa de formatura. O causador dessa tragédia, os jovens acreditam que seja Michael Meducci, um nerd da turma de Suze.
Com isso, para tirar mais provas, Suze se finge estar apaixonada por Michael, só que faz o cara realmente gostar dela, e só trazer-lhe mais confusão. Além de, mais ciúmes em Jesse, que dessa vez, não somente a assiste resolver os problemas, como também a ajuda, na hora de ir falar com os quatro adolescentes revoltados, que no caso estão bem furiosos. Junto do Padre Dominic, eles tentam solucionar este difícil caso, pondo a vida de outras pessoas também em jogo. Suze ouve os conselhos do Padre: Ao invés de partir para a agressão, tente resolvê-los com calma e tranquilidade. Mas quando estamos lidando com quatro fantasmas vingativos, não tem como controlar-se e ter uma conversa decente.
Porém, os Anjos da RLS, também tem grande culpa na história, por terem sido mortos.
E então, quem é o violão, e quem é o bonzinho afinal?

"- Sí, querida - disse ele em espanhol. - Eu entendo.
Meu coração começou a bater tão depressa que tive certeza de que ele podia ouvir. Além disso, provavelmente não preciso dizer, minhas costelas doíam, doíam de verdade. Cada pulsação parecia fazer o coração se chocar contra elas.
Então Jesse fez uma coisa que nunca tinha feito. E duvido que faça outra vez.
E aconteceu tão depressa que depois nem tive certeza de que aconteceu de verdade ou se, cheia de remédios nas idéias, eu imaginei."


A Hora Mais Sombria
Editora: Galera Record

Finalmente, as férias chegaram, e neste quarto volume da série, ao invés de descansar, Suzannah terá que trabalhar ou ter aulas particulares. Optou por arranjar um trabalho, mais especificadamente, de babá em um hotel. Lá, ela tem que cuidar de um garotinho chamado Jack Slater, que não sai de casa por nada. Ele é super isolado, quieto, não ganha muita atenção dos pais e tem medo de sair na rua. Suze nunca compreendeu bem esse seu medo, talvez fosse da idade, ou simplesmente seu jeito de ser. Mas então, no aniversário de Jack, ela resolve levá-lo para passar um dia divertido e diferente na piscina. Ele, amedrontado, acaba por fim após muita insistência, aceitando. No caminho, Suze vê o espírito de um dos jardineiros que trabalhava no hotel. E, surpreendentemente, Jack também vê. Suze fica em choque ao descobrir que o garoto também é um mediador, e por isso, se achava estranho e tinha medo de sair na rua - pois somente ele podia vê-los.
Paul Slater, o irmão de Jack, se mostra extremamente interessado em Suze, desde o momento em que se conheceram. Charmoso, inteligente e completamente bonito. Obviamente, tinha de ser somente mais um problema para Suzannah. Afinal, quando um romance dela, daria tudo certo?
A situação complica devastamente quando a ex-noiva de Jesse aparece, ameaçando Suze, para que seu padrasto parasse de cavar o quintal (já que ele queria construir lá uma piscina), por algum motivo inexplicado. Suze se interessa, achando que provavelmente o que Maria está tentando esconder, é uma prova da morte de Jesse, ou de onde ele está enterrado. Porém, ela passa a pensar.
E se o que prende a alma de Jesse na terra for seu corpo enterrado, ao desvendarem e acharem, ele partirá para... Sempre?
Os fantasmas de Maria e Diego voltam para tentar impedi-la de descobrir a história verdadeira de Jesse, e para piorar, Paul ajudará de alguma forma que Suze nem pode imaginar que ele poderia estar envolvido nessa trama.
Qual será a tão confidencial história de Jesse, para que ninguém possa descobrir?

"- Se quer voltar - falei, ainda que cada palavra, eu tinha certeza, tivesse um gosto parecido com aqueles besouros que Dunga acidentalmente havia derramado na boca -, a hora é agora, antes que ele se feche outra vez.
Jesse olhou para o buraco, depois para mim, em seguida de novo para o buraco.
E de novo para mim.
- Não, obrigado, mi hermosa - disse em tom casual. - Acho que quero ficar e ver como tudo isso termina."


Assombrado
Editora: Galera Record

Suzannah passou o último verão no Pebble Beach Hotel and Golf Resort. Neste quinto volume, Paul volta, matriculado na mesma escola que ela, decidido em conquistar de vez Suze, e ela acaba cedendo, mas somente para não deixar que ele exorcize Jesse. Porém, ela não conta à Jesse sobre a volta do garoto, ainda mais pelo motivo de que após o beijo, ele simplesmente passou a evitá-la. Após descobrir que Paul também é um mediador, ele vem com várias histórias sobre mediação, e que traz interesse à Suze. Mas as coisas se complicam quando a amizade deles, dá um avanço. Mesmo porque, Jesse mudou-se, largando de assombrar o quarto dela, para morar na reitoria com o Padre D.
Como se não fosse suficiente, há a presença de Craig, um espírito que acredita que não deveria estar morto, e sim seu irmão Neil, e por conta disso, quer matar o irmão injustamente.
Brad dá uma festa em casa enquanto os pais estão fora, e rola muita violência, brigas, sangue, quando Jesse descobre sobre o que houve entre Paul e Suzannah. Craig aproveita a idéia de Jesse tentar afogar Paul na piscina, e faz o mesmo com o irmão.
Além disso, existe o avô de Paul, que tenta alertar Suzannah do quão seu neto pode ser perigoso, e como ela deve se proteger e tomar cuidado, para não cair em armadilhas.

"Pensei nisso ainda mais quando vi Jesse levantar uma das mãos e passar os dedos pelos cabelos, e vi que eles estavam tremendo. Os dedos, quero dizer. Por que os dedos dele estariam tremendo assim?
- Como eu poderia ficar? - perguntou Jesse. - O padre Dominic estava certo. Você precisa estar com alguém que sua família e seus amigos possam ver. Precisa de alguém com quem você possa envelhecer. Precisa de alguém vivo.
Balancei a cabeça. Meu sangue, que eu tinha começado a suspeitar de que havia se congelado nas veias nos últimos dias, pareceu subitamente correr de novo. Esperei não estar cometendo outro erro. Esperei que isso não fosse um sonho do qual acordaria logo. "


Crepúsculo
Editora: Galera Record

No sexto e último livro da série "A Mediadora", Suzannah e Jesse finalmente se acertaram ficando juntos, e tudo parece ir bem até, adivinha? Paul resolver estragar a felicidade de ambos. Sendo mediador, ele têm um poder especial de se deslocar na quarta dimensão, dom que Suzannah também têm, mas não sabia até Paul lhe contar. Suas intenções são de usar isso contra Suze, voltando ao passado, e impedindo a morte de Jesse. Assim, quando voltar ao futuro, ele poderá ter uma vida tranquila em paz, ao lado de sua amada, que não o quer de forma alguma.
Ao conseguir o tão desejado, Paul descobre que Suzannah o seguiu, e não está sozinho. Mas ela o impedirá caso tente procurar por Jesse, então ele a prende, deixando-a impossibilitada de mover-se e procurar por ajuda, ou um jeito de parar Paul. Mas por um acaso, Jesse a escuta, e a encontra. De princípio, não entende aquela história louca de que ela veio do "futuro", mas acaba aceitando, e tentam se esconder, quando seu assassino chega.
Entretanto, Suze terá de fazer uma escolha. Se Jesse conseguir sobreviver, ele terá mais uma chance. Uma chance de viver, e ser feliz. Mas será que seu amor obsessivo falará mais forte, e ela o deixará morrer, só para tê-lo eternamente ao seu lado?

"E, quando eu estava lá de pé, o encarando, os olhos dele se abriram...
...E eu estava caindo, tão forte quanto eu fazia toda vez que ele olhava para mim, nas piscinas escuras e fundas que eram os olhos de Jesse... Olhos que pouco estavam me vendo, mas que me reconheceram. Reconheceram minha alma.
Mas uma que palavra fez meu coração cantar.
-Hermosa."


 Uh. Eu sinto que essa resenha ficou enorme, mas ok, me empolguei. Tive que reler algumas partes do livro pra poder fazer a resenha, pois faz tempo que já li, e fiquei morrendo de vontade de ler tudo de novo, haha. O que eu posso falar? Eu tenho perda de memória recente e não lembro exatamente como, ou quando me interessei a ler esse livro. Com certeza, chamou minha atenção por falar sobre espíritos. Mas... Acho que eu nunca li um livro, ou melhor, uma série, com tanta pressa. Eu lia cada um, com a curiosidade aguçada, e morrendo de vontade de ler a próxima página, próximo capítulo, e desvendar os segredos desse misterioso conto. No primeiro e segundo livro, eu achei estranho o fato dela poder tocar fantasmas. Qual é! São espíritos, qualquer um sabe que não somos capazes de encostá-los. Mas então lembrei de duas coisas. 1 - Ela é uma mediadora. Mediadores podem tanto encostar, como ver, ouvir e conversar com espíritos. Eu deveria ter deixado minha lerdisse de lado um pouco, e compreendido isso. 2 - É um livro, o que não o torna real, infelizmente. E, bom, nos livros tudo pode acontecer. Exatamente por isso eu amo o mundo da leitura. Nós podemos viajar na nossa própria imaginação, e ninguém nos impedirá de sonhar, pois é um mundo somente nosso. Temos prioridade, e não há quem venha julgar. Além de que, sempre é bom escrever aquilo que... Até pode se tornar real, mas nada concreto. Sempre há dúvidas, então botando isso num papel, nos faz bem, nos faz sentirmos melhor... Ás vezes pode trazer até força para seguir em frente e batalhar por aquilo. Porém, apesar desses dois fatos, convenhamos que não deixa de ser estranho uma humana se apaixonar por um espírito. Mas ao decorrer do livro, você se acostuma. É uma coleção extremamente incrível! O romance entre a Suzannah e o Jesse pode demorar um pouco para realmente começar, mas quando se inicia, o coração bate até mais forte, de tão lindo. É um livro que te dá várias sensações. Alegria, felicidade, tristeza, várias risadas, choro, etc. Da série, "Reunião" e "Crepúsculo" são meus livros favoritos. Mais lindo ainda, é no fim, explica o porque do pai dela ainda estar "preso" na terra, é uma história super bem bolada, com muito potencial, e super recomendo! Não irá se arrepender de ler :) "A Mediadora" se tornou, com certeza absoluta, uma das minhas séries preferidas.
"E de repente não estou sozinha na nevoa. Jesse está comigo, segurando minha mão. Não sei se é o calor de seus dedos ou a gentileza de seu sorriso que afasta o temor, mas subitamente estou convencida de que tudo vai ficar bem."

4 comentários:

  1. Essa serie é a única da meg cabot que eu me interesso, mas mesmo assim nao me interesso muito. Nem li as resenhas pra evitar spoiler, mas ja ouvi dizer q é uma serie mto boa.

    Abraço
    Victor Lopes
    yaboys.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. MEU LIVRO FAVORITO DE TODOS. Sério, eu amo Mediadora, é a melhor série da Meg Cabot. Meu sonho sempre foi ser a Suzannah, amo o jeito e o estilo dela. Foi com esse livro que eu também perdi um pouco do medo que tenho de espíritos, é :D

    ResponderExcluir
  3. A Mediadora está entre minhas três séries favoritas da Meg Cabot. AMO, AMO, AMO!
    Todos os livros são bons, sempre uma aventura diferente e você fica naquela ansiedade pra saber o que acontece... Ai, ai.
    Suzannah RULEZ! *-*
    Jesse é TUDO de bom! (L)
    Detesto o Paul. HAHAHAHAHAHAHAHA

    Beijocas!
    Juh Oliveto
    Livros & Bolinhos ~

    ResponderExcluir
  4. Li 'A Terra das Sombras' como e-book e supergostei, mas quando fui ler 'O Arcano Nove' me decepcionei e abandonei. E sua resenha não ficou tão enorme não, ficou é ótima!

    http://livrosletrasemetas.blogspot.com/

    ResponderExcluir