sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Above The Noise - McFLY


Havia feito um texto EXTREMAMENTE grande sobre minhas manias. Mas lembrei que o plano era comentar sobre o novo cd do mcfly, e deletei tudo. Um dia quem sabe eu conto minhas manias né.

Baixei o CD do mcfly, above the noise. Baixei mesmo, admito, porque eu havia convencido minha mãe de pagar a assinatura anual, falei sobre tudo de bom que o site iria ter… E dois dias antes do site lançar(da primeira vez) eu cheguei no quarto da minha mãe, depois do almoço, e falei pra ela que era pra ela guardar esse dinheiro bem, porque eu preferia um notebook.

Ah, sábia escolha.

O SuperCity lançou. TODO MUNDO comentando sobre isso. Lembro de ter falado que o site iria dar problemas, porque mcfly já tem um histórico de não saber a quantidade de fãs que eles tem. É um fato.

Mcfly está agora para as grandes massas. Para o dinheiro. Não vá me dizer que é mentira porque o mcfly que eu conhecia e gostava, era o que havia produzido a música que mais marcou a minha vida - Bubble Wrap. Falando sobre isso, inventaram de colocar umas bolhas gigantes que as pessoas entram, no estacionamento do mercado aqui perto. Adivinha do que eu lembrei?

Voltando, por alguma causa que ATÉ HOJE EU NÃO ENTENDO, lá pelo meio de 2006(eu estava na 6ª série, só pra vocês terem uma pequena noção) eu fui baixar alguma música em um programa alguma coisa lime(eu realmente não lembro do nome do programa - só sei que meu computador era cheio de vírus por causa dele) e acabei baixando Bubble Wrap de uma banda chamada McFly. “Nome estranho pra uma banda hein?”. Viciei completamente. Só que meu computador foi formatado dias depois, e eu perdi essa música.

Uma lembrança forte era de que acho que em 2007, eu tinha fake, e uma amiga minha da QUARTA SÉRIE tinha um também. Ela namorava um tal de Ned Bigby(que eu só fui descobrir quem era em meados de 2008/2009, quando comecei a ter sky.) e que, depois dela sumir do nada, esse tal Ned veio falar comigo pra descobrir o que tinha acontecido, eu expliquei pra ele e ele mudou do nada pra um tal de Harry Judd. Que, na minha cabeça de pré-adolescente, era lindo.

Eu só não fui Judd por alguma coisa de sorte. Sério, aquela foto de criança do Harry era a coisa mais fofa do mundo. Ah sim, lembrei o porque eu não sou Judd - naquele album cheio de fotos do Harry Judd, tinha uma foto dele deitado com o Doug. Meio que me fez desistir, haha.

Voltando, não sei quando ou como, mas um dia eu baixei o MITO do mcfly. Não me arrependi de modo algum. Bati numa foto do mcfly,

essa, pra ser mais exata.

E olhei para aquele terceiro carinha ali, que parecia deslocado na situação. Foi amor à primeira vista, quase.

Ali estava Thomas Fletcher, meu primeiro amor platônico.

Ok, vou encurtar essa história porque eu tenho certeza que vocês não querem ouvir o porque eu fui gostar justo dele. E eu estou percebendo que eu ja escrevi aproximadamente uma página do word e nem sequer comentei sobre UMA música do cd novo.

Ah sim, acho que no início de 2008 ou coisa assim, saiu o radio:active aos poucos. Lembro até hoje de que tava na casa de uma amiga quando saiu “Lies”, e ela gostava mais ou menos de mcfly, então eu fiz ela ouvir comigo. Admito - não gosto muito do r:a. Foi como uma surpresa pra mim, porque NÃO ERA o mcfly que eu conhecia, sabe, daquelas músicas melosas.

Claro que, depois de ouvir umas quinhentas vezes o cd, eu coloquei na cabeça de que o cd era “bomzinho”. Aguentável, até. Aposto que já tem pessoas querendo me tacar pedras agora.

McFly veio pro brasil duas vezes - a primeira, a qual eu conseguiria ter ido, mas meus pais entraram numa crise de dívidas que dura até hoje, provavelmente, então não fui. Chorei pra caramba, cheguei até a falar que ia me matar(só falar mesmo porque viu qq hoje vejo como fui extremamente boba e infantil). Torcia pra que eles voltassem pro Brasil. Voltaram. Mas NADA de show em curitiba, o único lugar que meus pais me deixariam ir. Legal Mcfly, acabando com minha vida pela quinhentésima vez. Resumindo, nunca fui em nenhum show do mcfly, e nunca comprei nenhum cd ou dvd deles.

Considerei o porque eu iria comprar o tal negócio do supercity.

Meetings - meetings no brasil seriam somente em são paulo. Se eu não morasse a umas DEZ HORAS de são paulo, até valeria a pena.

Acesso à ingressos de shows antecipadamente - Não valeria a pena, vendo que eu moro a quatro horas de uma provavel cidade onde teria um show, sendo que seria praticamente impossivel ter um show nessa cidade provavel.

Chat com mcfly - Tenho uma sorte tão imensa que só ganho bingo. É sério. A última coisa que lembro de ter ganhado foi um jogo de peixes numa gincana de festa junina na quarta série. Então a chance de conseguir falar com o mcfly, principalmente com o Tom, é do estilo 0,01%.

Downloads de coisas exclusivas - Vamos falar a verdade - coisa exclusiva só é algo que se é guardado num cofre com sete trancas e as senhas são trocadas todo dia. É IMPOSSIVEL DEIXAR ALGO, DE UMA BANDA TÃO FAMOSA QUANTO MCFLY, GUARDADO SOMENTE PRA QUEM PAGOU. A coisa mais difícil, que eu até considerei em comprar, de achar na internet, foi o cd de ETNA. Mas visto que moro no interior e aqui só chegou o cd cinco meses depois do lançamento, minha vontade havia sumido. E um mês depois, que eu já havia juntado dinheiro para comprar o cd, descubro que o cd tinha no 4shared. Imagine minha felicidade.

Ah ta, falando sobre uma mania minha, eu tenho mania incrível de enrolar tudo e contar histórias do meu passado.

Outra coisa que o mcfly anunciou - Haveriam poucos “pioneers” e esses ganhariam coisas exclusivas. Bobagem. Muitos se mataram pra conseguir ser pioneers, e hoje, umas duas semanas(eu acho) depois do supercity lançar, ainda tem vagas pra pioneiros. Qual é a graça de ter um site se todos que entraram até agora são pioneiros?

No mesmo dia que havia saido o nowhere left to run, achei dividido em três partes pela internet. demorei três horas pra baixar tudo, mas consegui, e assisti. Vontade imensa de virar empregada do mcfly viu HSDIYASDOIGUASDIOU

Hoje, foi o mesmo. Anunciaram o novo cd no supercity, e horas depois, procurando no twitter, achei o link do mesmo. Tão fácil…

Antes havia saído um painel(e eu devia estar fazendo um painel agora, como trabalho) com nomes de musicas do novo cd e imagens. Reuni um bom pessoal no skype e no msn e começamos a comentar sobre esse novo cd do mcfly. Os nomes das músicas, o que cada desenho significava, etc. Desde o início, deixei claro que minha nova música preferida seria “I’ll be your man”, porque só o Tom canta.

Não tava certa? qq

É uma pena que eu tenha deletado o arquivo sobre esses comentários, porque eu tenho certeza que acertei 50% das músicas e seus significados.

Vou fazer rápidos comentários de cada música, de acordo com o que eu vou ouvindo, pra não ocupar mais espaço ainda do post. Juro que tentarei ser breve.

Ah sim, comecei vendo o encarte do cd. ALGUÉM AÍ ENTENDEU ESSA HISTÓRIA EM QUADRINHOS?

This song - Já começo ouvindo essa voz do tom, que é mais feminina que a minha. Sério Thomas, tu andou usando esteróides pra ganhar massa muscular, mas acabou com a voz fina né, porque isso tá muito estranho. Tem uma frase que pega na cabeça, “and i’ll try, girl i’ll try to make you happy, i won’t stop until the day that i die”(eu tirei a música de ouvido, então não sei se ta certo), sério que me lembrou uma música do michael jackson. ELE VOLTOU NO CORPO DO DANNY! -n

That’s the truth - A música é boa, mas eu senti uma vontade imensa de ouvir backstreet boys depois disso. Irônico, não? Alias, deixa eu falar uma coisa - só reconheço o refrão porque SEMPRE é o Danny que canta. Mas ok, esse é o mal de ter uma banda em que dois são cantores principais. Ah sim, senti uns tons de auto-tune aí. Não vira BEP não, mcfly.

I’ll be your man - “i’ll be your man through the fire, i’ll hold your hand through the flames, i’ll be the one you desire, honey cause i want you to understand, i’ll be your man” virou minha música ‘se cantar eu caso’ agora. Estou esperando imensamente uma versão acústica dessa música(uma das minhas manias é só achar a música boa quando é acústica. vai entender), que daí eu vou até a inglaterra procurar o Tom e casar com ele ok -t

Pausa rápida para um comentário:

viitormartins: Porque o McFly é uma banda britânica, e uma
banda britânica deveria ser, supostamente, cool. E eles estão mais pra boyband americana.

Ah, ta explicado o porque eu lembrei de BSB. Continuando…

Take me there - Eu comentei isso no twitter, mas eu juro que esse começo me lembra alguma música. Eu não tenho um histórico grande de gostar de músicas dançantes, visto que odeio ir em festas. Mas nos ultimos tempos comecei a ouvir algumas mais dançantes, mas ainda não muda minha idéia de que música boa é música com muita guitarra e muita bateria. Essa música só não me conquistou porque é muito dançante, mas o refrão é contagiante.

“I don’t wanna spend another day without you, without you”

Foolish - Pela primeira vez, essa voz fina do Tom fez quase meu timpano explodir. É isso que acontece quando você ouve a música em volume 28(meu mp3 só vai até volume 31) e no fone de ouvido. Toda vez que ele fala Foolish, eu fecho meus olhos imaginando uma explosão no meu ouvido. Mas a música em si é legal, não é dançante, então gostei. Mas tem muito auto-tune, o que complica. “Never say, never say, never say, goodbye”

End of the world - Desde Karate on my heart do Bourne, não gosto de músicas que tem pessoas falando no início. Eu to ouvindo porque quero saber da música, não da introdução, ok? Acho que, de tanto ter ouvido “end of the world”, eu já sei o ritmo da música… Ou talvez porque me lembre de alguma música, de novo. “I really think this could be the end of the world” 2012 vem aí oi.

Party girl - Essa música é tipo descrição da carol rodrigues(@cah_rodriigues), porque não é possível ter outra pessoa que dê pra identificar com essa música. Como o Harry, de primeira não gostei dessa música, bateria kd? Mas depois fui ouvindo e até gosto. Só não gosto muito porque é eletrônica demais. Se eu quisesse eletrônica, ouvia alguma banda específica americana.

Nowhere left to run - ”Cause i need yoooou to save meeeeee” adorei a parte mais violão dessa música, apesar do auto-tune. Certo, tem mais bateria, ótimo. Mas esses “OOOOOOOOOOOOOOH” são pra matar. O mcfly, claro. Meus tímpanos doem, depois desse “NEEEEEEEEEEEEEEEED YOOOOOOOOOOOOOOU”.

If you see Kate - Eu juro que esperava algo como “If u seek amy” da Brit diva, mas foi diferente. Eu imagino como essa música deve ficar só com sons de palma. Mas é o contrário, é bem romântica, apesar desses toques de auto-tune.

Shine a light - ESSE é o mcfly que eu gosto. Quer dizer, eu não gosto muito do ritmo da música, mas é a música mais real de todo o cd. Foi a música que grudou na cabeça de todos. “Shine a light on her-ê-ê, if anybody sees her”. Nada mais para comentar.

I need a woman - A primeira vez que ouvi, achei o início super parecido com alguma música. Ouvi quinhentas vezes pra lembrar que música era, até que lembrei - My girl, The Temptations. Claro, as músicas se distinguem logo que o Tom começa a cantar - ele sempre começa a cantar as músicas, ja perceberam? -, mas ainda fica um gostinho de “my girl”. “I’ve goot sunshine on a cloudy daaaaay when it’s cold outside, i’ve got the month of maaaaay” = “i need a woman, not any woman, but a woman who needs me too”. Ah, a vontade de mandar uma mulher de verdade pro Jones só é crescente viu.

Termino o post por aqui. Mcfly, que tal fazer como o Chris drew(agora não mais nevershoutnever, e sim christofer drew and the shout. não gostei. não mesmo.) e deixar um gostinho de mais? A única coisa que eu senti vontade de fazer depois de ouvir esse cd foi de fazer meus trabalhos de uma vez.

ps: você ganha um halls de melancia se leu tudo isso, ok?

Um comentário:

  1. HAHA, em primeiro lugar, eu quero meu halls de melancia por ter lido tudo isso, ok? Agora, vamos ao que é mais importante: porque o porra louca e anão de jardim do Dougie Poynter não foi citado? Só porque ele tem tendências gays e ama o Judd? Tadinho dele, ele é estranho mas eu o amo, licença! É interessante como em cada lugar que se olha hoje em dia se acha uma fã de McFly, HSHAUH. Quanto ao cd, sério, pra mim deixou de ser McFly. O nome pode ser o mesmo, e os integrantes também, mas não é mais aquela banda pela qual eu me apaixonei e fiquei louca para ir no show (o que não foi possível, infelizmente!). Ok, eu não consigo falar de McFly, nunca sai algo produtivo, eu só enrolo. Merda. haha

    Bom, vou parar por aqui. Já irritei aqui, né? Beijos para toda a equipe, adorei o blog! :D

    Eduarda,
    Equipe The Coolture.

    ResponderExcluir