terça-feira, 27 de setembro de 2016

A arte da magia para arrumar e proteger a sua casa

Título: A arte da magia para arrumar e proteger a sua casa
Título Original: Magical Housekeeping
Autora: Tess Whitehurst
Editora: Pensamento
Ano: 2016
Páginas: 230
Tradução: Denise de Carvalho Rocha
Livro: Skoob
Sinopse:
Tess Whitehurst nos mostra que a arrumação da casa vai muito além da realidade fí-sica e pode ser um poderoso catalizador para a transformação pessoal. Aprenda a ir além da simples arrumação da bagunça e identificar as coisas que estão gerando energia negativa, mantendo apenas o que atrai boas vibrações. Com técnicas práticas de organização de ambientes combinadas com outras, de feng shui e magia natural, você vai transformar o seu lar num refúgio aconchegante e num portal mágico para impulsionar todas as áreas da sua vida.

No mês passado eu recebi um livro de divulgação em parceria com o grupo editorial pensamento chamado A arte da magia para arrumar e proteger a sua casa.

Confesso que assim que botei os olhos eu entortei o nariz. Não é o meu tipo de leitura, mas serviu para que eu saísse bastante da minha zona de conforto.

Tess Whitehurst trabalha com artes mágicas e nos mostra neste livro como a bagunça dentro de casa pode influenciar na nossa vida e nas energias que nos rodeiam. Sabe aquela roupa que você nunca mais vai usar porque cresceu, mas tem dó de jogar fora? Ou aquela televisão quebrada que você precisa mandar pra consertar, mas já tem outra no lugar, e sabe que a antiga vai ficar parada mofando? Ou os bichinhos de pelúcia enfiados nos cafundós do armário? Ou até aquelas cartinhas de amor do seu ex namorado e as folhas infinitas de matéria que você sabe que nunca mais vai parar pra rever? Ou inclusive aquele livro, que você não gostou e sabe que jamais vai ler de novo? Pois então, você pode começar por aí. Se desfazer de coisas que estão apenas ocupando espaço é essencial. Todos nós sabemos bem como é sentir a preguiça reinando e pensando “ah, amanhã eu dou um jeito na casa”. E lá se vai mais um dia de sujeira e negatividade.

Alguns desses pontos achei relevantes. Uma vez por ano, pelo menos, eu e minha família aqui em casa nos reunimos pra fazer um mutirão e limpar tudo, não dar só aquela varridinha básica. Botamos tudo guardado no armário abaixo, revisamos o que vai pro lixo, o que vai pra doação, o que acaba retornando, mas Tess mostra que essa faxina deve ser realizada com freqüência. Acumulação é um hábito péssimo.

No entanto, a Tess faz analogias exageradas. Em uma passagem, ela diz que se tal móvel não está te agradando, como a mesa da cozinha, por exemplo, você pode facilmente se desfazer dela, sentar e comer no chão, até o dinheiro para comprar outra aparecer magicamente.

Gente..... Não.

Só que não.



Tess também ressalta formas de arrumar a nossa própria bagunça interna. Às vezes, a escuridão não está somente no ambiente onde vivemos, e sim nas mágoas e decepções que alimentamos. Um trauma do passado, uma pessoa que nos maltratou. É preciso aprender a perdoar e tirar a culpa dos ombros para poder seguir em frente sem um peso para nos afundar o tempo todo.

Em seguida, Tess deposita todo o seu conhecimento nas páginas e nos ensina rituais. Primeiro bate palmas, depois pega um café, coloca uma música animada e enfim dá início a faxina. E esse é o mais simples dos rituais. Tess mostra ao leitor rituais para diversas coisas, explicando como se fosse uma receita de bolo. Os ingredientes e a forma para realizar. Tess fala também sobre purificação da energia, sobre como encontrar os centros de poder da casa, sobre cristais, fadas, anjos, plantas, defumação, benção, entre outros itens que auxiliam na proteção da casa.

Logo que o livro chegou, minha mãe ficou curiosa, e até leu algumas páginas até chegar na mesma conclusão que eu. Certas partes nós concordamos com o que a Tess dizia, mas outras pareciam absurdas. O problema desses livros é que parece que tudo vai ser resolvido num passe de mágica. Pode ser que alguns rituais tornem o ambiente mais calmo e positivo, é verdade. A própria autora admite ter passado por uma barra pesada e a arte da magia tê-la ajudado. Pode ser mesmo que a alma fique mais leve. Conheço pessoas extremamente sensitivas, que captam energias negativas a ponto de passarem mal por conta disso, então imagino que o livro servisse quase como um remédio para elas.

É um livro interessante, de fato, repleto de explanações e métodos a serem seguidos. Mas só funciona com quem crê. Acho que não adianta você só obedecer os procedimentos de rituais, você precisa acreditar na força daquilo, o que depende das suas crenças. Mas não custa tentar, né? Nunca é demais recarregar a casa com vibrações positivas, afinal.

Nota: 3

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 21 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário