sábado, 13 de agosto de 2016

A Geografia de Nós Dois

Título: A Geografia de Nós Dois
Título Original: The Geography of You and Me
Autora: Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 272
Livro: Skoob
Sinopse:
Lucy mora no vigésimo quarto andar. Owen, no subsolo... E é a meio caminho que ambos se encontram - presos em um elevador, entre dois pisos de um prédio de luxo em Nova York. A cidade está às escuras graças a um blecaute. E entre sorvetes derretidos, caos no trânsito, estrelas e confissões, eles descobrem muitas coisas em comum. Mas logo a geografia os separa. E somos convidados a refletir... Onde mora o amor? E pode esse sentimento resistir à distância?

Ah, Jennifer! Será que vou precisar ler até sua lista de mercado mesmo?


A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista” foi o livro lançamento da autora. Curto, leve e singelo, me conquistou facilmente. Os direitos do livro para adaptação já foram comprados, assim como os atores escolhidos. “Ser feliz é assim”, segundo livro da autora publicado pela Galera Record, deixou um pouco a desejar. Ainda assim, contava com uma história simples e tocante. Seguindo o mesmo padrão, “Geografia de nós dois” alcançou o segundo lugar em meu coração. Uma obra de capa extraordinária e edição caprichada que passa a impressão de ser uma leitura rápida pelo seu tamanho. De fato é rápido, mas por outro motivo: é impossível não devorá-lo!

- Isso quer dizer que estamos no centro exato de Nova York? – perguntou ela, indicando o rabisco, e ele se sentiu subitamente instável sob seu olhar.
- Acho – respondeu ele em voz baixa. – que estamos no centro exato do mundo como um todo.

Lucy desce para buscar a correspondência e, quando volta ao elevador, ele para no caminho. Dentro do elevador também está Owen, o filho do novo administrador do prédio, que mora num apartamento no subsolo. Ele parece sempre avesso ao mundo, distante na companhia constante de seus fones de ouvido. Naquela ocasião, no entanto, Lucy descobre que Owen é exatamente o oposto disso. Owen é simpático e engraçado, mas o falecimento recente de sua mãe e a mudança para Nova York o tornou em alguém mau-humorado.

Ao compartilharem aquele momento de silêncio e escuridão presos no elevador, sem terem noção se alguém estava vindo resgatá-los, Lucy pela primeira vez em muito tempo não se sente sozinha. Seus pais vivem viajando e seus irmãos gêmeos foram para a faculdade. Lucy até gosta da companhia do desconhecido, e é um alívio quando Owen permanece com ela após saírem do elevador. A cidade inteira ficou sem energia e durante aquela noite única e peculiar, Lucy e Owen vivem momentos que nunca mais se esquecerão. Nem mesmo o oceano entre eles será capaz disso.

Eventualmente, ambos são obrigados a mudar de cidade. Nesse sentido, me lembrou um pouco o livro “Simplesmente Acontece”. Os dois se mudam com freqüência e visitam diversos países no caminho. Owen não é fã da tecnologia e suas redes sociais, então a forma de contato deles é através de cartões postais. A cada lugar novo que passam, eles mandam um cartão. Até que eles param de ser enviados.

Juntos, debruçaram-se sobre a parede de granito, almas invisíveis em uma cidade invisível, espreitando os 42 andares abaixo de uma altitude de tirar o fôlego.

A Geografia de Nós Dois fala sobre desencontros e amor. Entre tantas ocasiões, desencontros e pessoas novas, em algum momento os pensamentos sempre pairam um no outro. Um único evento foi o suficiente pra criar uma conexão forte entre eles, uma lembrança na qual eles se agarravam, desejando que existissem outros dias como aquele.

A escrita da autora é objetiva e envolvente. Conseguimos sentir com clareza a saudade que sentem e, embora tenhamos romance, ele fica em segundo plano. O foco é no crescimento dos personagens e como eles encontram o próprio caminho para isso.

Não sei como pessoas que mudam de cidade com freqüência vivem. Sem poder criar raízes, sem poder se ligar de verdade a alguém. Logicamente a tecnologia facilitou muito, a Leeh aqui da Caverna e eu por exemplo moramos há 3 horas de distância, mas nada como ter a pessoa ao seu lado, seja ela um amigo, familiar ou namorado. E mesmo assim, Lucy e Owen provam que nem a distância consegue mascarar um sentimento verdadeiro.

Owen era como um de seus livros, ainda inacabado e melhor compreendido no lugar e horas certos.
Mal podia esperar para ler o resto.

Nota: 5

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 21 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário