quinta-feira, 9 de junho de 2016

A Improvável Teoria de Ana e Zak

Título: A Improvável Teoria de Ana e Zak
Título Original: The Improbable Theory of Ana & Zak
Autor: Brian Katcher
Editora: Rocco
Ano: 2016
Páginas: 320
Tradução: Lucas Peterson
Livro: Skoob
Sinopse:
Ana Watson é uma aluna exemplar, pratica tiro com arco, é capitã da equipe de jogos acadêmicos e voluntária no programa de distribuição de sopa para pessoas carentes. Seu foco é ser aceita na Universidade de Seattle e escapar um pouco dos pais controladores; Zak Duquette é um nerd inveterado. Divide seu tempo livre (e boa parte do resto do tempo também) entre games, filmes duvidosos e quadrinhos. Seu grande objetivo é não perder a Washingcon, a maior Convenção de Ficção Científica, Fantasia e Quadrinhos da região. Quando o irmão mais novo de Ana abandona as semifinais de um campeonato da escola para participar escondido da Washingcon, escondido dos pais, ela sabe que Zak é a única pessoa que pode ajudá-la a encontrar o irmão. E descobre que eles podem ter muito mais em comum do que ela gostaria de admitir. A improvável teoria de Ana & Zak é um romance divertido e cheio de reviravoltas sobre dois adolescentes se descobrindo numa convenção sci-fi.

Que livro delicioso!

Para não reprovar na matéria de saúde, Zak Duquette é obrigado a participar do campeonato de Jogos Acadêmicos. O problema é que os jogos acontecem na mesma data que a Washingcon, uma convenção de ficção científica que Zak vai desde os seus dez anos. Numa tentativa de conter o ódio, ele conta histórias sobre o evento para todos da equipe, por mais que claramente eles não estivessem interessados. Exceto por Clayton, um garotinho de 13 anos. E após uma briga com Ana, sua irmã, ele foge para viver uma noite naquele lugar mágico.

Ana se desespera, o peso da responsabilidade caindo sobre suas costas. Seus pais nunca poderiam descobrir. Existia um motivo para que suas notas e desempenho fossem sempre altos, algo além de os pais serem simplesmente exigentes. E por mais que ela detestasse Zak, ninguém conhecia o lugar melhor do que ele. Com isso, eles embarcam numa missão atrás de Clayton.

A convenção seria como um Anime Friends pra nós, só que de ficção. Ana segue a risca as ordens dos pais, e estar ali é como se tivesse sido teletransportada pra outro mundo. As pessoas vestidas de cosplays, um número imenso de pessoas vagando pelos corredores, pessoas de papo fácil que se entendem por terem os mesmos gostos. Aquele evento é a casa deles, ou o Natal, como Zak diria, e custa pra Ana compreender o que aquele ambiente significa para Zak. E por outro lado, ela passa a ter uma imagem totalmente diferente do garoto preguiçoso e arrogante que tinha antes; Zak era popular naquela área, era gentil, carinhoso e realmente adorado pelo povo. E ele prova isso seguidamente a Ana, toda vez que se metem em encrenca e ele surge com um plano para safá-los.

- Zak?
- O quê?
De repente, penso na coisa perfeita para dizer. Só espero acertar a citação.
- Ajude-me, Obi-Wan. Você é a minha única esperança.
Zak abre um sorriso. Não seu sorriso marrento de sempre, mas um sorriso grande e bobo, como o de um cachorrinho. Já é um começo.

A narração é intercalada entre Zak e Ana a cada capítulo. Maior parte da história decorre em um único dia e, por mais que pareça pouco, é o timing perfeito pra conhecer os personagens e a relação deles ser desenvolvida. Clayton é um menino inteligente e corajoso, se aventura nas sombras, dificuldando a tarefa de Zak e Ana. Os dois personagens são apresentados de uma forma, e o autor vai moldando a personalidade deles de maneira que conhecemos seus segredos e principalmente o que os influencia a serem de tal jeito, que no caso são os problemas familiares que ambos tem. Juntos, eles se aventuram, causam intrigas, criam amizades, e passam por situações que os fazem cair na real que a vida pode ser muito mais do que conhecem dentro da zona de conforto deles.

É uma leitura leve, gostosa, super tranquila e divertida. Não posso deixar de ressaltar as referências magníficas, né? Os geeks de plantão vão à loucura, cada citação reconhecida é um sorrisinho a mais. Amei muito mesmo esse livro, já tô me segurando pra não reler, então leiam por mim!

Nota: 5

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 21 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário