sábado, 16 de abril de 2016

O Primeiro Último Beijo

Nome: O Primeiro Último Beijo
Título Original: The First Last Kiss
Autora: Ali Harris
Editora: Verus
Ano: 2016
Páginas: 448
Tradução: Sandra Martha Dolinsky
Livro: Skoob
Sinopse:
“O primeiro último beijo” conta a história de amor de Ryan e Molly, de como eles se encontraram e se perderam diversas vezes ao longo do caminho. Na primeira vez em que eles se beijaram, Molly soube que ficariam juntos para sempre. Seis anos e muitos beijos depois, ela está casada com o homem que ama. Mas hoje Molly percebe quantos beijos desperdiçou, porque o futuro lhes reserva algo que nenhum dos dois poderiam prever… Esta história comovente, bem-humorada e profundamente tocante mostra que o amor pode ser enlouquecedor e frustrante, mas também sublime. 

Como nessa semana tivemos o dia do beijo, não há livro melhor para te convencer a beijar, e muito, como se fosse a última vez. O Primeiro Ultimo Beijo conta a história de Molly e Ryan, um casal que vem a ser semelhante com a maioria que conhecemos no nosso cotidiano.

Ryan e Molly moravam na mesma cidade, frequentavam a mesma escola, mas pertenciam a grupos diferentes. Na época, Molly era reclusa, e Calsey, sua melhor amiga, era gordinha e vítima de bullying, enquanto Ryan e seus amigos eram os reis da popularidade.

Um tempo depois, Molly e Ryan tiveram a chance de se aproximar e se entregar ao que sentiam um pelo outro. Molly não acreditava em amor, frisava que jamais se casaria, e Ryan entrou em sua vida para mudar totalmente sua opinião.

Não sou mais uma adolescente, e meu coração não pode ficar mais partido do que já está. Quando se passa pelo que eu passei, quando se aposta tudo no amor – e se perde –, nunca se é a mesma de novo. Não de verdade.

Logo de início temos noção que a história que nos espera possui uma carga emocional enorme. Molly acorda sozinha no apartamento, na companhia somente dos gatos e das caixas de mudança. Ela reluta, e se entrega pela milésima vez ao DVD, prometendo que será a última vez que assistirá. Nesse DVD, estão vídeos e fotos dos momentos mais especiais dela com Ryan.

A partir disso, a autora intercala a narração em primeira pessoa entre o presente e o passado. Esse é o ponto pelo qual não dei nota total para o livro. A estrutura do livro ficou muito boa, só que extremamente confusa. Uma hora estamos no presente, 2012, em outra estamos em 2007, e outra em 2000, e por aí vai. Todas essas datas são informadas no início de cada capítulo, mas esse vai-e-vem é tão constante que o leitor se perde. Alguns acontecimentos são possíveis de ligar na ordem, mas outros me senti andando em círculo, tipo, isso vem antes ou depois daquela cena lá? A autora coloca as datas, mas sinceramente é impossível acompanhar a trajetória. Esse fator incomoda, e bastante, mas o romance deles é tão profundo que dá pra relevar. Os capítulos são curtinhos e entre eles existem “sub-capítulos” de uma página só onde Molly faz confissões, fala sobre beijos e a importância deles.

Com o amor, vieram também as desavenças. Ryan e Molly são muito diferentes, e embora amem um ao outro incondicionalmente, eles tem hábitos que fazem o relacionamento desandar. Os conflitos os fazem discutir, pensar, cogitarem inclusive se separar. Mas será que eles agüentariam? Será que o amor é suficiente para superar as diferenças?

Veja só onde a Kate Winslet foi parar: agarrada a um pedaço de madeira, no meio do oceano Atlântico. E se isso não é uma metáfora adequada para o amor, não sei o que é.

O Primeiro Ultimo Beijo é repleto de lições e sentimentos. Como todo casal, Molly e Ryan tem seus altos e baixos. Molly é aventureira, enquanto Ryan é um cara caseiro, e a rotina após seis anos juntos os fazem se questionar onde foram parar aqueles sonhos, se casaram cedo demais, e por isso eles costumam montar listas. Algumas em conjunto, outras particulares, do que gostariam de realizar. Era para ser uma brincadeira, até que eles se viram escrevendo uma lista dolorosa. Uma lista na qual eles não possuíam mais o tempo ao favor deles.

Um aviso: Você vai chorar! Não o suficiente para alagar o quarto, mas é tocante. O desenvolvimento do amor deles, os dilemas, todo o carinho e preocupação que nunca os abandonou, o desejo de chegar em casa e receber aquele beijo, é tudo tratado com muita profundidade. O drama nos envolve ternamente, e nos comovemos fácil pelo que eles enfrentam.

E só para garantir a fossa, a personagem cita algumas músicas que, além de serem importantes para ela, são lindas e combinam com o momento.

Cada beijo, não importa o quão irrelevante seja – um beijo rápido de “oi”, um beijo de agradecimento ou de “até logo” –, é recebido como se fosse o último. É como uma ferida permanente que eu sei que nunca vai cicatrizar.

Para todos os fãs de um bom romance emocionante do estilo P.S. Eu Te Amo, esse é mais do que indicado!

Nota: 4

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 20 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário