quarta-feira, 30 de março de 2016

A Queda dos Anjos

Nome: A Queda dos Anjos
Título Original: Angelfall
Autora: Susan Ee
Série: Fim dos Dias - #1
Editora: Verus
Páginas: 279
Livro: Skoob
Sinopse:
Quando o mundo que conhecemos está prestes a ser arrasado, é preciso apostar tudo na redenção
Os anjos do apocalipse chegaram — e vieram para aterrorizar a humanidade e acabar com o mundo moderno. Gangues de rua tomam conta do dia, enquanto o medo e a superstição dominam a noite. Quando anjos guerreiros sequestram uma menininha indefesa, sua irmã mais velha, Penryn, fará o que for preciso para salvá-la. Até mesmo um acordo com um anjo inimigo. Raffe é um guerreiro caído, que perdeu as asas. Depois de eras lutando suas próprias batalhas, ele é resgatado de uma situação desesperadora pela jovem Penryn, que concorda em ajudá-lo — desde que ele mostre a ela como encontrar sua irmã. Viajando por um mundo sombrio e perigoso, eles podem contar apenas um com o outro para sobreviver. Juntos, vão em direção à fortaleza dos anjos em San Francisco, onde Penryn arriscará tudo para resgatar sua irmã, e Raffe se colocará à mercê de seus piores inimigos pela chance de voltar a ser inteiro.

Penryn corre pelas ruas desertas da cidade devastada empurrando a cadeira de rodas da irmã, Paige. A mãe ao seu lado, por sua vez, empurra um carrinho com alimentos e kits de primeiro socorros. Elas não sabem exatamente para onde vão, só que não podem mais ficar no apartamento. Não é seguro. Ninguém ficava muitos dias no mesmo lugar. Elas precisavam continuar se mexendo, procurando o próximo lugar para se refugiar.

Na estrada, um rebuliço as obriga a parar. Anjos. Um número pequeno deles brigando. Penryn manda a mãe correr. E sob o desespero, os responsáveis por todo aquele inferno levam sua irmã, sua pequena irmãzinha paraplégica.

Atordoada, Penryn nota um dos anjos caídos na estrada, sangrando. Ele morreria se não recebesse ajuda, e ele devia saber o local para onde levaram sua Irmã. Ele era sua única esperança.

- Os anjos são criaturas violentas.
- Percebe-se. Eu achava que eles fossem todos doces e gentis.
- Por que você pensaria assim? Mesmo na sua Bíblia, somos os arautos da desgraça, dispostos e capazes de destruir cidades inteiras. Só porque algumas vezes avisamos um ou dois de vocês com antecedência não significa que somos altruístas.

Numa corrida contra o tempo, Penryn passa dias tentando convencer Raffe, o anjo, a falar. Sem suas asas, ele é um peso morto fraco que a provoca e não colabora. O início da relação deles é difícil, cheia de rancor e tortura. Aos poucos, Raffe e Penryn reconhecem que se quiserem sobreviver, precisarão aprender a confiar um no outro, e é o que fazem, derrubando as barreiras e se aproximando até que não só precisam, como querem ajudar e socorrer um ao outro.

Eu não dava nada para esse livro. A Leeh leu há muito tempo e desde então não parava de me encher para ler. Aí a Record publicou e não tive mais como escapar. Vou falar, o começo não me ganhou. Estava no piloto automático, lendo só por ler, e a Leeh me xingando, mas posso explicar o porquê.

Vocês entenderam o que diabos afinal está acontecendo na cidade dela pela resenha? Pois é, nem eu, e nem no livro até quase a metade. A autora não inicia o livro explicando os eventos que sucederam aquele mundo apocalíptico. Não é um “Oi, sou a Penryn, e aconteceu isso e aquilo”. Simplesmente nos deparamos num caos com anjos sendo cruéis e é isso. Parece ruim, mas quando passamos a entender, essa estratégia da autora foi genial. Não teria o mesmo impacto se ela já jogasse na roda a situação toda. Nós a vivenciamos para então compreendê-la. Nós estamos lá, impotentes e sob o olhar deles. A jornada e luta dos dois me lembrou a Cassie e o Evan de A 5ª onda, tem uma pegada bem parecida, embora em Angelfall seja mais convincente.

Uma notícia para a galera: É uma trilogia. Às vezes não tem o número do volume na edição e caímos na leitura que nem bobos achando que é único. Não esperem por respostas, esse é um livro mais de apresentação, desenvolvimento, e é bem agradável.

Nunca matei ninguém antes. O que me assusta não é matar. O que me assusta é a facilidade com que faço isso.

Penryn e Raffe são personagens ótimos. Maduros (=sem drama), determinados, guerreiros. Raffe é o mais durão, enquanto Penryn pende pro humor, o que dá uma balanceada. Os anjos em si não dão muito as caras, infelizmente, mas imagino que isso mude nos próximos volumes.

O livro conta com ação, muita correria, e um baita nervoso. Roí tanto as unhas nas cenas tensas. Pra quem desdenhou do começo, levei na cara pelo resto do livro. Vocês não fazem idéia do quanto amei, provavelmente porque faz tempo que não saem histórias onde os anjos são vilões, é uma imagem totalmente diferente, e o cenário que a Susan construiu é surpreendente. Você fica de queixo caído. E eu preciso desesperadamente ler os próximos volumes, só um aviso, Verus!

Nota: 5

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 20 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário