quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Filmes #015

Título Original: Self/less
Título Traduzido: Sem Retorno
Ano: 2015
Gênero: Ficção científica, mistério, thriller
Elenco: Ben Kingsley, Ryan Reynolds
Sinopse: Sofrendo de um câncer terminal, um senhor decide passar por um tratamento médico radical. Após ter sua consciência transferida para o corpo de um jovem, ele percebe o envolvimento de uma organização secreta e muito perigosa.

Esses dias assisti um filme esplêndido. Damian é um homem de idade já avançada, dono de um grande negócio e riqueza, que vê sua vida esvaindo entre dedos junto do câncer. Por conta da doença, ele toma conhecimento de uma organização secreta que visa a troca de pele. Como assim?
Bom, eles criam uma pele sintética e incubam até encontrar o receptor compatível. A estrutura física do ser humano é totalmente construída, mas permanece sem alma. É como se o corpo fosse o hospedeiro, e a alma de Damian então o parasita que se instala nele. E Damian acaba por aceitar a proposta. Tudo é programado. Seu antigo corpo vai a óbito, a notícia para em todos os jornais, e ele é transportado pro novo corpo, onde retornará aos passos de bebê, tendo que aprender novamente a andar, nadar, etc. Sua vida é nova, também. Damian tem um novo nome, casa, e principalmente aparência jovem, sem poder se comunicar com ninguém do passado.
Mas o cientista avisara: Existem efeitos colaterais. Para evitá-los, deve-se tomar as pílulas nos horários certos. Uma vez que Damian esquece é suficiente para ter alucinações que pareciam tão reais que fez Damian começar a suspeitar. Será que aquelas memórias eram reais? Será que vinham daquele corpo? Mas como se ele foi criado laboratorialmente?
Sem retorno é fantástico. Um filme que vai tecendo o seu plano de fundo e instigando com naturalidade. É daqueles que você perde a noção do tempo assistindo e fica tenso em todas as cenas de ação. Os atores eu já conhecia a maioria e só provaram mais ainda seu potencial. Esperava por maiores explicações científicas que, infelizmente, nunca chegaram, e esse detalhe me desapontou.
Por outro lado, além do mistério, é um filme que te faz parar e pensar: E se fosse realmente possível trocar de corpo? Eu faria isso? Eu deixaria tudo para trás por uma nova chance?

Trailer:


Título Original: Ego
Título Traduzido: Ego
Ano: 2013
Gênero: Romance, comédia, drama
Elenco: Martin Wallström, Mylaine Hedreul
Sinopse: For 25-year-old Sebastian it is all about surface and appearance. Life is full of party, money and one-night stands. He has never challenged himself, whether it be his dream of a music career or maybe, especially true love. When everything is at its best in his superficial life he has an accident that leads to him becoming blind. A whole world closes, or rather opens up. When he sees everything in black, he meets Mia, a personal assistant. A girl he normally would not pay any attention to. She becomes the first to successfully open his eyes to what is important in life. But when Sebastian discovers that Mia is not who he expected superficiality gets an entirely different meaning. EGO is a romantic comedy drama about vanity, love, sex, and that things are not always as they seems.

Vi esse filme num post do Estilhaçando Livros e tive que perpetuar a indicação, tipo as correntes do orkut. “Assista a esse filme e em 2 horas você vai encontrar o amor”. Eu estou apaixonada até agora. Esse filme merece ser reconhecido. O mundo inteiro devia vê-lo. Talvez eu esteja exagerando porque sou fã do livro “Como eu era antes de você”, e o filme tem 2 fatores semelhantes que pra quem leu logo vai entender.
Sebastian é o típico homem livre e festeiro (o famoso fanfarrão) que vive de balada, bebida, amigos e sexo sem compromisso. Sua vida seguia o ritmo perfeito até um acidente fazê-lo perder a visão. Sebastian fica sem direção, até tenta realizar as atividades de antes, os amigos ajudam, mas não funciona. Ele não se conforme em estar cego. E quem o ajuda é Mia, a assistente contratada pela mãe do Sebs.
Mia não pergunta sobre suas limitações ou insiste em dizer que ele vai melhorar. Ela o distrai, fala de assuntos do cotidiano, o trata como uma pessoa normal, não como um deficiente. Ela se torna uma amiga, capaz de tirar sorrisos fáceis de seu rosto.
O problema é que Sebastian é muito vaidoso e rigoroso com a aparência, e imagina que Mia seja o tipo de garota que ele gosta, aquelas barbies da vida, e quando descobre a verdade, se surpreende. Mia não é feia; ela tem uma beleza exótica, mas bem que podia se vestir melhor, mesmo kkk
A história nos faz pensar no quanto damos valor à aparência, e o quanto ela realmente importa. O filme é sueco, por isso não teve muita divulgação por aqui. E, ah, que língua maravilhosa! Já descobri qual vai ser meu próximo idioma a aprender hahaha sério, entrou no meu ouvido de forma tão agradável, isso é raro.
O ponto alto da história é que Sebs é músico, e não quer se apresentar cego em concursos, e é Mia quem o incentiva. Que voz lindaaa aaaaa fiquei horas depois de ver ouvindo a trilha sonora e derretendo lentamente com a letra, que é maravilhosa, e essa voz de esmagar o core. Amei tanto o filme que o favoritei. As cenas do Sebs com a Mia são tão leves, divertidas e sinceras, morri de amores pelos dois, e com certeza a química entre os atores ajudou bastante.

Trailer:

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 20 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário