domingo, 29 de novembro de 2015

Tempestade de Areia


Título: Tempestade de Areia
Série: Crônicas de Myríade #2
Autor: Karen Soarele
Editora: Cubo Mágico
Páginas: 308
Ano: 2013
Livro: Skoob
Sinopse:
Ao pensar que sua jornada chegaria ao fim, Aisling descobre que aquele era apenas o início. Munidos da localização da Fortaleza da Resistência, o exército de Vulcannus avança, ameaçando o sonho de uma Hynneldor livre.
Nessa sequência de Línguas de Fogo, Aisling deverá escolher entre voltar para casa com Dharon ou entregar uma importante mensagem à capital de Datillion. Enquanto isso, seus amigos enfrentam antigas lembranças e buscam, uns nos outros, forças para seguir em frente.
Muitos perigos e aventura aguardam nessa jornada, que levará o leitor a territórios inexplorados do mundo mágico de Myríade.


Após sermos apresentados a ótimos personagens e aventuras intensas em Línguas de Fogo, Tempestade de Areia chega já com muita aventura logo nas primeiras páginas. Para quem leu minha resenha do primeiro livro, vai ver aqui que eu mordi minha língua ao reclamar do desenvolvimento e da melhor exploração do universo e reinos criados: no segundo livro, Karen nos joga de cabeça no mundo de Myríade.

A Resistência está sendo fortemente atacada pelo exército de Vulcannus, e a melhor opção deles é se dissipar para se reencontrar em breve, reunindo forças. Sendo assim, Marian e Desmond saem atrás de aliados para aumentar suas forças, enquanto Aisling e Dharon ficam com a missão mais importante: entregar uma mensagem super importante da Resistência aos aliados de Datillion, uma mensagem que pode definir o destino não apenas da Resistência, como de Myríade, visto que o exército de Vulcannus está cada vez mais forte e conquistando mais e mais terreno.


Nessa aventura, Aisling e Dharon têm que passar pela Cidade Ponte, onde são separados ao serem descobertos, e Aisling têm que seguir seu caminho sozinha, se tornando cada vez mais e mais independente e madura. Enquanto no primeiro livro tínhamos o foco na amizade dos dois, nesse segundo somos apresentados a um pouco mais de romance entre Marian e Desmond, mas na medida certa, o que faz a coisa toda muito mais real.

“Aisling já ouvira falar dela muitas vezes. Imaginava que fosse uma cidade cortada pelo rio, ou que possuísse uma ponte ao centro. Mas estava enganada. A cidade era, de fato, a própria ponte.”

A narrativa é em terceira pessoa, variando o foco entre os personagens: desde Aisling, até Kendra, a pisto vilã-malvada-que-solta-fogo. Isso é muito bom, porque nos dá uma ideia verdadeira do que está acontecendo com cada personagem, e tudo faz mais sentido quando as histórias se cruzam. Inclusive, uma coisa que eu gostei muito, foram os capítulos que mostravam Kendra, porque, afinal, ninguém é 100% mau (acho), e foi muito legal ver algumas vulnerabilidades dela, "sua" visão de mundo e porque ela faz o que faz.

" O passado é imutável, mas o futuro depende de nossas escolhas."

Enquanto Aisling percorre Myríade para entregar a mensagem e conhecendo muitos personagens novos e lugares diferentes, Marian e Desmond enfrentam o frio absurdo das montanhas (era um deserto?) procurando aliados, mais especificamente: os Grandes Lobos da Montanha, que, na verdade, são apenas uma lenda. Mas uma lenda que vale a pena arriscar para ver se é real ou não. Marian, como uma líder extremamente corajosa, mesmo com todos os obstáculos que encontra, deposita sua fé em Aisling e continua a dar a cara a tapa pela resistência, sua crença e seus amigos.

Como nem tudo é um mar de rosas, todos os obstáculos possíveis parecem entrar no caminho de nossos 4 personagens principais, enquanto para Kendra parece que tudo simplesmente flui (aquele momento de desespero que o vilão tá conseguindo tudo e os heróis não). E isso não é uma crítica, porque Kendra consegue o que quer, sendo quem ela é: realmente má. E realmente soltando muito, muito, muito fogo.


Buscando aliados e percorrendo caminhos difíceis, a Resistência, no meio de tudo isso, ainda tem que chegar à capital de Datillion, o próximo local que Vulcannus atacará, o que poderá definir o resultado da guerra e o destino de Myríade. E claro que para uma batalha tão importante, no comando está Kendra e seu corpo vermelho-fogo, com todo seu ódio para destruir tudo em seu caminho. E uma batalha tão importante nunca vem antes de muita coisa e um leitor muito ansioso!

“- A Resistência não vai morrer. Ela vai viver como uma brisa suave no coração de cada um de nós. Viverá para germinar novamente em um poderoso furacão futuro.”

Há uma personagem muito intrigante junto aos Lobos das Montanhas, que eu realmente tô curiosa pra entender mais sobre... Como aquilo aconteceu? (é spoiler dizer que ela é IDÊNTICA a Aisling?) Outro personagem, é o que eu esqueci o nome (não me batam), mas que está sempre com a Kendra. Ele acompanha toda a história dela com a criança, filho dela, e é realmente um personagem que eu gosto muito. E tenho pena, porque deve ser literalmente infernal estar sempre ao redor de Kendra.

Ainda há outro personagem que preciso citar: Kaled. Ele aparece logo no começo do livro, e depois seus capítulos parecem ser totalmente desconexos com o restante da história, até que... Bom, até que não é. Kaled é um guerreiro do povo do deserto e se torna um verdadeiro aliado. Adorei o modo como ele entra no restante da história, e quero muito mesmo saber o que acontece a seguir com eles.


Em Tempestade de Areia há muito mais sobre os Reinos, lendas e mitos, muito mais da história de Myríade, exatamente como eu disse que queria no primeiro livro! A única coisa é que como o livro começa com tudo e fazia muuuuito tempo que eu tinha lido o primeiro, no começo eu fiquei bem confusa até lembrar quem era quem, onde eu estava, etc (porque eu sou perdida, gente, juro). Acho que se eu pegasse todos os livros da série para ler de uma vez, ia mergulhar de verdade e acabar ficando de Ressaca Literária, porque até mesmo a história da Rainha da Primavera parece ter alguma ligação com tudo (leiam o e-book!).

Foi difícil no começo eu entrar de cabeça no livro por me sentir meio perdida, depois de tanto tempo, senti um pouco de falta daquilo que algumas séries fazem de reforçar alguns conceitos (que quando você lê tudo seguido parece forçado, mas depois de tanto tempo sem ler, faz falta), mas valeu a pena me forçar. Vale a pena entrar em Myríade e conhecer tantos personagens maravilhosos, porque todos são humanos (até a Kendra, acreditem) e nesse segundo livro vemos muito mais a relação com outros personagens, há amizade, amor, perdas (sério, POR-QUE), superação de medos... Tudo em suas poucas 300 páginas, que nos levam a um universo completamente diferente que nos prende de verdade.

"São muitas as pessoas que se arrependem dos erros que cometem, mas são poucas aquelas que se aventuram a corrigi-los. E estas merecem a nossa admiração."

Nota: 4



Sobre mim: Letícia Proença (Leeh), 21 anos, estudante de Medicina Veterinária em Botucatu, até hoje não sabe como leva a graduação e a paixão por sites e livros lado a lado. Canceriana louca, gostaria de saber como aumentar as horas do dia para poder fazer tudo o que gosta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário