quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Máscara

Título: Máscara
Autor: Luiz Henrique Mazzaron
Série: Máscara
Editora: Novo Século
Livro: Skoob
Sinopse:
No mundo de Domus, a morte é a moeda que alimenta o jogo. E a verdade pode custar a vida.
Liam é um garoto que viveu por muito tempo isolado devido aos constantes castigos do sádico tio, um carrasco ex-militar. Porém, inesperadamente, surge uma entidade maléfica, uma figura das trevas trajando uma máscara, e passa a o perseguir, levando-o a participar de um jogo num mundo surreal, chamado Domus.
Junto a um grupo, Liam parte para uma experiência alucinante, em que os pecados da humanidade serão colocados em xeque, como numa espécie de julgamento. Um combate onde o principal objetivo do adversário é mostrar o quão odiosa é a raça humana…
Mas ainda há muitos mistérios que rodeiam este intrincado jogo. Por qual motivo a criatura possui tamanha obsessão por ele? E vale a pena prosseguir, já que a morte é a única certeza?

Liam é um garoto solitário. Trancado no porão, ele lamenta ao mesmo tempo em que agradece por não estar perto do tio na sala, recebendo agressões sem poder proferir. As coisas mudam quando uma moça que parece um anjo vem resgatá-lo e o manda correr pra polícia que está chegando enquanto ela vai enfrentar o tio de Liam. Da polícia, Liam é mandado pro orfanato já que seus pais haviam morrido anos antes, mas algo parece persegui-lo, algo que deseja tê-lo com tamanha intensidade. 10 anos e loucuras depois, Liam se encontra numa família peculiar. Ele fora adotado por Craig, um dos policiais, e sua esposa Sylvia. Além deles, na casa também mora outras pessoas que não tem laço sanguíneo, mas se tornaram parte da família e precisaram se juntar já que estavam fugindo do massacre que ocorrera na noite em que Liam fora salvo.

Tudo estava perfeito. Cada membro da família tinha sua responsabilidade na casa, e a maré parecia ter abaixado, já que nada suspeito havia acontecido dentro desses 10 anos. Mas após uma determinada festa, Liam fica estranho a ponto de ser levado pro sanatório, onde lá ele se torna uma presa vulnerável. E então Liam percebe que nunca deixou de ser perseguido. Seja lá o que fosse, ainda estava atrás dele, todos os dias. E quando ele acorda já não está mais no sanatório, e sim dentro de um jogo onde ele precisa decidir quem vive e quem morre. De 10 pessoas, ele precisa escolher 5 para jogar ao lado dele. Mas a escolha não é nada fácil a partir do momento que todas essas pessoas são acusadas de algo. Seja assassinato, ser covarde, ou traidora. E no desespero, sem tempo para pensar, Liam escolhe: Georgia, Kiki, Ramon, Mary, Daniel, Kelly e Genevieve. E para chegar ao fim do jogo, eles precisavam se manter juntos. Será que conseguiriam? O que afinal estava esperando por eles por trás daquelas portas?

Ficou meio complexo até agora, não é? Desculpa gente, mas são muitos detalhes. Qualquer coisa a mais que eu soltar se torna um spoiler.

Máscara foi uma surpresa tanto positiva quanto negativa. Não sei o que eu estava esperando ao certo, mas definitivamente não a história que se desenrolou. Com quase 400 páginas, o autor teve a oportunidade de caracterizar com maestria seus personagens, e conseguiu construí-los de uma maneira única. São realmente muitos personagens que aparecem desde o início, e é engraçado como ainda lembramos lá dos primeiros ao chegarmos no final do livro, de tão marcantes eles são em sua própria singularidade. Mas sem dúvidas os que mais se destacam são os do grupo que participam do jogo. Cada um tem um jeito bem diferente do outro, o que nos leva a pensar que aquilo não vai terminar bem, que haverá muitas discussões, que irá tudo por água abaixo. Mas mesmo com todos os poréns, eles crescem. Amadurecem. Mostram quem são de verdade. Aqueles que simpatizamos no início, passamos a ver com outros olhos, enquanto outros nos surpreendem e passamos a admirá-los.

A escrita do autor é fluida e nos envolve com facilidade. A ação e o mistério dá ânsia ao leitor, que avança nas páginas desejando por mais. Os jogos são cruéis, impiedosos, repletos de sangue e um toque de sarcasmo. O mundo de Domus é bem peculiar, algo futurístico pós infecção que devastou a população, mas devo ressaltar que algumas partes ficaram confusas como em relação ao poder de Liam, como ele o adquiriu, e particularmente achei estranho como ele superava as mortes num estalar de dedos. Tudo bem que ele mal tinha tempo pra respirar, mas. Sei que esse é só o primeiro volume, mas senti falta de algumas respostas, de forma que o autor joga não só com Liam, mas com o leitor também. E chateada por o segundo volume ainda não ter saído, viu :( foi frustrante chegar ao fim e não ter as explicações, é de arrancar o cabelo haha

Nota: 4

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 20 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário