terça-feira, 25 de agosto de 2015

Séries #010

Oioi gente! Quem tá precisando de série nova e com pouquíssimas temporadas pra assistir e acompanhar? Tão precisando de tempo né, pra falar a real hahaha mas borá lá que vocês não vão resistir às que indicarei!

Tema de hoje: Baseado em


Zoo: Já pensou em ir num safári e os animais enlouquecerem? E se de repente você se visse cercada por leões, sem ter pra onde correr? Esse é o tema central de Zoo, onde o jogo vira e nós somos as vítimas da vez. Animais até então demonstrados serem pacíficos resolvem atacar os humanos, e algo definitivamente está errado. Com essa premissa, a série se mostra promissora ao atiçar a curiosidade do espectador em descobrir o mistério acerca do motivo daquele surto. Admito que ainda não vi muitos episódios, mas achei o começo bem legal e pretendo continuar. O livro escrito por James Patterson foi lançado esse mês pela Editora Arqueiro, o que é ótimo, pois quem se interessar pode assistir e ler e fazer as comparações. Atualmente ainda está na primeira temporada.






Bates Motel: Com certeza voce já ouviu falar da famosa cena da moça sendo morta no banho por facadas que se encontra no filme Psicose do Hitchcock, certo? Mas afinal, o que aconteceu durante a adolescência de Norman para que ele ficasse daquele jeito perturbado? Bom, Bates Motel está aí para isso. Norma Bates comprou o motel logo que se mudou pra cidade após a morte do pai de Norman. Ela esperava encontrar uma chance de recomeçar e ter paz, só que havia um problema. Sua família tem um poder incrível de atrair encrenca, como um ímã. Mortes e situações comprometedoras os cercam, e como se não fosse suficiente, Norman tem apagões. Ele desativa do mundo e quando volta a si mesmo não lembra nada do que fez, das pessoas que assassinou pra proteger a mãe. Norman tem uma paixão incomparável pela mãe, ela significa o universo pra ele, algo próximo a doentio, não normal. E Norma de fato se preocupa e se dedica à Norman na mesma proporção, ao mesmo tempo que é independente e digamos que bem louca. A sorte é que eles não estão sozinhos nessa. Emma, a garota que Norman conheceu na escola e que possui fibrose cística, praticamente faz parte da família. E há também Dylan, o irmão mais velho de Norman. E meu deus, como eu AMO esses dois personagens! Eles são os meus favoritos de todos os tempos, e eles nem mesmo existem no filme original!! Dylan de início dá raiva, vive criando intriga na família, mas depois nós conseguimos perceber que ele é o mais sensato daquele lugar (e lindo e incrível e meu e). Emma também dá raiva por ser intrometida, sempre querendo saber o que não era da sua conta, mas seu esforço é justificado pelo tanto que se importa com aquela família e como quer se sentir fazendo parte de algo maior que ela mesma e sua doença. Sério, não tenho palavras pra dizer o quão humanos são esses personagens e o quanto eles são capazes de dominar nosso coração. Norman e sua mãe são únicos também, bem fiéis ao informado no filme, com ciúmes e possessividade lá no talo. Quando assisti Psicose, fiquei encantada por Norman *gosto de coisas psico, sim, fazer o que*, e o jeito dele agir é muito bem explicado na série. No entanto, admito que demorei bastante *meses* pra sair do primeiro episódio. Onde já se viu celular e carros chiques e caríssimos na década de 60? Sério, eu não engolia aquilo de jeito NENHUM, então pra mim já havia estragado toda a imagem. Mas então minha amiga da faculdade veio surtando sobre o quão boa era a série e resolvi dar uma segunda chance e, bom, digamos que eu assisti às três temporadas em uma semana só. É bom demais!! Você fica desejando por mais e não sossega até assistir o último episódio. Pros fãs de Hichcok, nem preciso dizer que devem assistir imediatamente.

Scream: Todo mundo sabe bem o pavor que é ver aquela máscara branca e preta né? Se não viram no filme de terror, pelo menos assistiram na comédia de “Todo mundo em pânico”. Scream é uma adaptação pra série do filme Pânico. Uma sequência de assassinatos deixa a cidade em alerta, e especulam ser a volta de Brandon James, o serial killer que anos atrás cometeu o mesmo tipo de massacre. No entanto, Brandon James estava morto. Ou será que não? Ninguém tem a resposta pra isso, mas sem dúvidas Emma e sua mãe, a amada de Brandon que mudou o nome pra que não a identificassem após as mortes, estão tremendo na base. E quando Emma começa a receber ligações de um número identificado é que o jogo começa de verdade. Ela precisa escolher quem morre e quem vive. Quem dos seus amigos ela vai conseguir salvar pra continuar ao seu lado. Tudo parece estar rondando elas, mas a polícia nem mesmo suspeita, tentando encontrar o assassino através de alguma ligação entre as vítimas, já que tudo começou com a morte de Nina, a garota popular que gostava de praticar bullying. A série lançou mês passado e até agora está tendo uma boa audiência. Não sei dizer se está de fato sendo fiel com o filme, pois admito que nem lembro da história além da máscara, mas estou gostando bastante da série. Tem personagens com características marcantes, principalmente Noah, que é fascinado por psicopatas e sabe bem como ter o mesmo tipo de pensamento que eles. Tanto que no primeiro episódio, ele comenta sobre a diferença de uma série e filme, onde nas séries você torce por eles, pra quando forem brutalmente assassinados, isso doa. E bom, até que algumas até agora doeram mesmo, só que não sei se vai sobrar gente até o final dessa primeira temporada que está sendo transmitida atualmente haha.


Sobre mim: Carolina Rodrigues, 20 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário