sábado, 1 de agosto de 2015

No Mundo da Luna

Nome: No Mundo da Luna
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Livro: Skoob
Sinopse:
A vida de Luna está uma bagunça! O namorado a traiu com a vizinha, seu carro passa mais tempo na oficina do que com ela e seu chefe vive trocando seu nome. Recém-formada em jornalismo, ela trabalha como recepcionista na renomada Fatos&Furos. Mas, em tempos de internet e notícias instantâneas, a revista enfrenta problemas e o quadro de jornalistas diminuiu drasticamente. É assim que a coluna do horóscopo semanal cai no colo dela. Embora não tenha a menor ideia de como fazer um mapa astral e não acredite em nenhum tipo de magia, Luna aceita o desafio sem pestanejar. Afinal, quão complicado pode ser criar um texto em que ninguém presta atenção? Mas a garota nem desconfia dos perigos que a aguardam e, entre muitas confusões, surge uma indesejada, porém irresistível paixão que vai abalar o seu mundo. O romance perfeito — não fosse com o homem errado. Sem saída, Luna terá que lutar com todas as forças contra a magia mais poderosa de todas, que até então ela desconhecia: o amor. Com seu estilo ágil e fluido, Carina Rissi criou em No mundo da Luna uma leitura viciante, permeada de humor, magia e paixão, que vai conquistar você do início ao fim.


Já foi conferir o que a Cigana Clara tem a dizer sobre o seu signo essa semana??

Luna trabalha como secretária na revista Fatos&Furos, mas era pra estar na parte interessante do escritório, lá dentro, inteirada das fofocas e junto dos funcionários, dos jornalistas de verdade, o que tecnicamente ela também era, já que tinha acabado de se formar na faculdade. Mas, seguindo Dante, seu chefe que ela tanto admirava, acabou na cadeira da recepção atendendo telefones e passando recados. Podia sua vida ser pior? Bom, com a Luna sempre dá pra dar um jeito! Há pouco tempo, ela descobriu que seu namoro de 2 anos com Igor era pura farsa. Ela o encontrou na cama com a vizinha, e nem isso foi suficiente pra que Luna se esquecesse da praga. Frequentemente, ela se pega pensando se de fato aquela foi a única amante dele, pensando em como ela pôde ser enganada daquela forma. Pelo menos, ela tem o ombro amigo da Sabrina, que divide o apartamento com ela, para choramingar e comer chocolate.

Até que as coisas mudam. Abre uma vaga na coluna de horóscopo da revista, e Luna consegue ganhar finalmente sua própria coluna. Não que ela fosse especialista em falar de signos, ou sequer soubesse como fazer isso, mas pelo menos agora ela se sente um passo mais próxima de ser uma jornalista de verdade. E, além disso, Dante foi informado que o nome dela era Luna, não Clara, como ele vivia chamando, e milagrosamente parou de errar.

Totalmente perdida e precisando entregar a coluna pro dia seguinte, Luna recorre à sua avó, que é cigana, e se recusa firmemente a ajudá-la, já que sabia que a neta não pretendia levar o dom a sério. E Luna, mesmo revoltada, acaba se jogando nas cartas e os interpretando da melhor maneira possível. Ela só não esperava que receberia tantos elogios.

Entre tantas confusões, Luna conhece Viny, o novo fotógrafo que tira o fôlego de qualquer uma, é aquele típico cavalheiro atencioso que vive jogando charme pra ela. Mas é lógico que o coração de Luna vai insistir em bater insanamente justamente por Dante, seu chefe carrancudo que terminou um relacionamento recentemente e se encontra em situação parecida que ela.

Na verdade, é a Carina Rissi que parece ter um dom, um poder único nas mãos quando tocam o teclado pra produzir histórias tão especiais, leves e loucas. Só pela escrita já é possível se dar conta do quão simpática e divertida a autora é, pois isso é constante em todos os seus livros. Não tem como ler e não abrir um sorriso com as tiradas de Luna, as respostas bem dadas, a criatividade.

Às vezes penso que a mesma regra se aplica aos seres humanos. Algumas pessoas não pertencem a ninguém além de si mesmas. E a beleza da coisa está aí. Elas nunca pertencerão, mas podem — e vão — escolher alguém para dividir as aventuras. A insegurança sempre nos faz querer, ter, precisar, possuir, colecionar coisas ou pessoas, mas não seria melhor, em vez de possuir alguém, ser escolhido por esse alguém e ter a escolha também?

Só tem uma coisa que me tirou muito do sério. Embora as cenas sejam bem construídas para compor quase 500 páginas, a Luna irrita demais quando se trata do Dante. Não estou apontando esse fator como algo necessariamente negativo, até porque cada personagem tem sua característica própria, mas que irritou, irritou. Ela é extremamente teimosa e dramática, sempre jogando a culpa nas costas dele e distorcendo as suas palavras. Eu sei que a intenção é dar aquele toque de amor que não deve ser concretizado, aquele “vai-não vai”, mas os surtos dela eram sem noção e eu sinceramente não sei como o Dante suportava às vezes. Um drama aqui, um ali, tudo bem, mas ela extrapolava. E isso me fez travar um pouquinho, porque o que era pra ser uma cena proveitosa, acabava sendo cansativa, você já imaginava as desculpas que ela ia inventar e alegar, mais querendo provar algo a si mesma, se recusando a encarar a realidade.

E o Dante mesmo perdeu um pouco o encanto quando passou a ser carinhoso ao cubo com ela. Mas, novamente, isso é uma coisa minha. Eu gostava muito mais da versão emburrada dele, passava uma imagem mais desafiadora. Mas quando ele saía do escritório e virava outra pessoa, me fez murchar um pouco, embora certamente a maioria dos leitores tenham se derretido por toda essa dedicação dele por ela. E não pensem que é tudo flores. O início da relação deles é bem conflituosa, mais tapas do que beijos, é beeem aos poucos que eles vão se entendendo, parando a birra um com o outro.

No Mundo de Luna é um livro que te faz viajar por emoções. Te faz rir, chorar (sou emotiva), ficar encabulado, se apaixonar. E além disso tudo, tem o horóscopo né, que foi o motivo principal pra eu pegasse essa obra. Eu amo tudo que envolve signos. Não que eu entrasse antigamente todo dia na Capricho pra conferir como seria meu dia (cof), mas acredito no que falam sobre a essência de cada signo, do jeito próprio, das qualidades e defeitos. Pra mim sempre bateu, então fiquei curiosa, e juntando ser escrito pela Carina, então, eu sabia que era risada na certa!

Nota: 5

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 20 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário