quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Encarcerados

Nome: Encarcerados
Título Original: Lockdown
Autor: Alexander Gordon Smith
Série: Fuga de Furnace - #1
Editora: Benvirá
Livro: Skoob
Sinopse:
De um dia para outro, Alex Sawyer passou de valentão a delinquente juvenil. Os trocados arrancados dos garotos na escola já não eram suficientes, e, com a ajuda de seu melhor amigo, Toby, começou a cometer pequenos furtos na vizinhança. Até que uma noite, homens fortes, de terno preto, e um esquisitão usando uma máscara de gás cruzaram o caminho dos dois. Toby foi cruelmente assassinado e Alex, preso e acusado pela morte do amigo. Seu novo lar? A Penitenciária de Furnace, um buraco - literalmente - para onde todos os garotos condenados são enviados, e de onde só é possível sair morto. Com guardas sádicos e criaturas terríveis responsáveis pela segurança, Furnace é o inferno. O lugar é infestado de criminosos - como as perigosas gangues Caveiras e os Cinquenta e Nove - mas também há muitos garotos que, como Alex, foram presos por crimes que não cometeram. Como escapar e provar sua inocência? Em quem confiar? O que na verdade era Furnace: um reformatório? Um depósito? Ou, pior, um laboratório maligno?

Vocês não fazem ideia do tempo que esperei pra finalmente ler esse livro. Lembro que o encontrei pela primeira vez numa livraria, quando estava fuçando por lá com a Leeh. Não lembro nem se foi aqui ou na cidade dela; só sei que foi como se ele estivesse chamando por nós. E foi só o olhar bater, que nós duas surtamos e desejamos profundamente ler. Só anos depois, quando já nem lembrava mais dele, que encontrei em ebook e não teve esforço que me impedisse; corri pra ler na hora mesmo! E ah, cooomo eu devia ter lido antes!

— Sob o céu fica o inferno, garotos, e, sob o inferno, Furnace. Espero que desfrutem da permanência aqui.


Ainda bem jovem, Alex Sawyer se tornou um dos valentões da escola, mais pra ladrão, roubando todos os alunos e casas próximas com ajuda do seu amigo Toby. Ele fazia tanto aquilo que já achava natural, não algo a pesar em sua consciência; a única coisa que temia era serem descobertos. E aos 14 anos, isso finalmente aconteceu, mas não da forma óbvia que esperava. Ao invés de simplesmente ser descoberto pela polícia e preso eternamente, Alex foi mandado pra Penitenciária de Furnace, um lugar específico para jovens até dezoito anos delinquentes como ele. Mas sua ida pra lá não foi por ter sido pego roubando uma casa, e sim por supostamente ter matado seu melhor amigo, algo que não é verdade, e obviamente ninguém acredita nele. Quem realmente matou Toby foram os homens de terno preto que invadiram a casa logo após eles, e fizeram com que Alex fosse mandado pra penitenciária propositalmente por um erro que não cometeu.

Furnace é uma prisão subterrânea, suja e beem estranha. Logo que Alex chega, junto com mais três garotos, eles são designados a celas diferentes, onde dividirão com outra pessoa. Alex logo se aproximou mais de , um dos garotos que veio junto, e que estava tão inconformado quanto ele por ter sido enviado pra lá tão injustamente; aparentemente, basicamente a maioria das pessoas naquele lugar não haviam cometido crimes, então porque aqueles homens estavam fazendo aquilo justamente com eles?

Além de Zê, Alex tem a sorte de ter Donovan por perto, que é o garoto que divide a cela com ele. De início, ele parece arrogante, irritado por tê-lo como companhia, mas quando ficam sozinhos, Donovan se demonstra uma pessoa sensata e até mesmo alegre, visto o lugar onde estão. E, principalmente, se torna o meu personagem favorito haha é estranho dizer que você se apaixonou por um prisioneiro, mesmo que ele esteja dentro de um livro, mas ele tinha um bom motivo para estar ali, e de verdade, não tem como não simpatizar por ele!

— Não façam amigos, não estabeleçam conexões. Eles perceberão, e isso provocará a morte de ambos. Não cometam o erro de trazer o coração aqui para baixo; não há lugar para ele em Furnace.


Se toda a situação já parece esquisita, Furnace é muito pior. O local todo é vigiado pelos homens de terno preto, e o chefe deles é um homem (ou deveria dizer um ser?) de aparência bem grotesca, além de ser simplesmente impossível olhar em seus olhos; antes que percebam, estão desviando o olhar, como se forçados. Quando a sirene toca, todos tem que retornar imediatamente às suas celas, senão serão caçados por cães que parecem demoníacos, repletos de músculos e tendões à vista, expostos sem a pele. E, de vez em quando, no meio da noite, o lugar cai numa luz vermelha, avisando que os Ofegantes chegaram, e que irão escolher cinco celas para levar uma pessoa de cada embora. Pra onde? Nem Deus deve saber. A única certeza é que uma vez levado, nunca mais retornam. E para aqueles que criam confusões, são mandados para o Buraco, onde não recebem alimento, água, absolutamente nada, por tempo indeterminado. Ou seja, muitos não aguentam e acabam enlouquecendo, morrendo ali mesmo.

Em desespero e sabendo que não suportaria a ideia de nunca mais ver a luz do dia, Alex sugere a ideia de fugir, mesmo tendo ouvido Donovan dizer milhões de vezes que não tem como, de jeito nenhum. Mas será mesmo que não existe nem uma falha em Furnace? O trabalho pesado que os presos tem de executar diariamente vai lhes dizer se há esperanças, ou se irão apodrecer pro resto da vida ali; isso se não forem levados pelos Ofegantes.

Não acredito que alguém realmente perca o medo do escuro. Sim, os adultos agem como quem se sente em casa quando as luzes estão apagadas, dizem que não há o que temer, que nada mudou só porque você não consegue enxergar nada.
Mas estão blefando. Desafio até mesmo o adulto mais corajoso a passar uma noite em um lugar como a Penitenciária de Furnace, no mais escuro breu, sem pensar que cada ruído é algo bem atrás de você com dentes como punhais, olhos prateados e hálito exalando sangue; que todo sopro de ar que percorre sua pele é a investida de uma lâmina implacável; que cada mínimo movimento é um fio de escuridão se envolvendo em sua garganta e se enrascando na profundidade de suas entranhas, onde vai se banquetear com sua alma.


Encarcerados é um livro até que curto; pode ter sido só impressão minha, porque o devorei de tamanha curiosidade. A escrita do autor é bem tranquila, nos transmite todos os sentimentos e pensamentos dos personagens, além de clara visão quanto ao local. É uma história muito bem construída, que nos traz várias dúvidas, principalmente sobre a existência daqueles seres que certamente não são desse mundo. Mas sinceramente, eu esperava algo mais pesado. Tudo bem, talvez eu esteja exagerando, pelo tanto de sufoco que Alex e seus amigos passaram, e por tantas vezes que estiveram a beira da morte, mas pela sinopse, a gente espera por mais violência, sofrimento, aflição, etc. E além disso, a história é narrada por Alex, e muitas vezes ele parece ser bem mais adulto do que sua idade representa, mas isso eu aprendi por convivência que é mais do que possível, ainda mais hoje em dia, pessoas novas terem um pensamento mais evoluído. Enfim, nem por um momento o livro me decepcionou, mesmo que tenha esperado mais por esses detalhes que citei. A série é composta por cinco livros (sofri quando descobri isso), mas vamo que vamo pro próximo volume! Não vou conseguir me sentir livre até respirar o ar fresco junto deles haha

Nota: 5

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 19 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário