terça-feira, 7 de outubro de 2014

Fangirl

Nome: Fangirl
Título Original: Fangirl
Autora: Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
Livro: Skoob
Sinopse:
Cath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas para Cath, ser fã é sua vida – e ela é realmente boa nisso. Vive lendo e relendo a série; está sempre antenada aos fóruns; escreve uma fanfic de sucesso; e até se veste igual aos personagens na estreia de cada filme. Diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath simplesmente não consegue se desapegar. Ela não quer isso. Em sua fanfiction, um verdadeiro refúgio, Cath sempre sabe exatamente o que dizer, e pode escrever um romance muito mais intenso do que qualquer coisa que já experimentou na vida real. Mas agora que as duas estão indo para a faculdade, e Wren diz que não a quer como companheira de quarto, Cath se vê sozinha e completamente fora de sua zona de conforto. Uma nova realidade pode parecer assustadora para uma garota demasiadamente tímida. Mas ela terá de decidir se finalmente está preparada para abrir seu coração para novas pessoas e novas experiências. Será que Cath está pronta para começar a viver sua própria vida? Escrever suas próprias histórias?

Carol: Sabe quando um livro te cativa tanto, que você deixa de ser apenas um leitor? Você torce por eles (e principalmente pra que a história não termine nunca)? Pois então...

- E só quero saber... Você tá torcendo por mim? Torcendo pra que eu consiga?
Os olhos de Cath grudaram-se nos dele, tentativos, como se fosse escapar a qualquer momento.
Ela fez que sim.
Ele abriu um meio sorriso.
- Estou torcendo por você – ela suspirou.


Flávia: Eu tinha ouvido muito falar de “Fangirl” antes de ler e, por causa disso, criei altas expectativas. Mas, ao contrário do que normalmente acontece nesses casos, Fangirl não me desapontou nem um pouco. Não só atingiu minhas expectativas, mas foi além delas; eu estava no meio do livro quando ele já foi eternamente para minha lista de preferidos.

“É tão bom assim?” Vocês me perguntam, e minha resposta é: depende. A história de Fangirl é bastante simples, Cath é uma fangirl, isso é, ela é ativa no fandom de Simon Snow (a versão fictícia de Harry Potter) e escreve fanfics slash de Simon/Baz. Agora, ela acabou de entrar na universidade e, pela primeira vez, está separada de sua irmã gêmea, Wren, que não quis dividir o quarto com ela e tem uma postura bastante diferente de Cath em relação à universidade. É uma história lindinha sobre família, amizade, romance e, bom, fandom.

Desde os meus doze anos eu venho fazendo partes de fandoms e escrevendo fanfics, e isso foi, e ainda é, grande parte da minha vida. Eu me identifiquei muito com a Cath, o livro soou muito real para mim, e eu amei isso. Apesar de eu já estar no meu segundo ano na universidade, minha irmã ser alguns anos mais velha do que eu, e a parte do romance estar bastante em falta na minha vida, boa parte do livro me atingiu em cheio. É por isso que eu digo “depende”, eu não sei se quem não fizer parte de fandoms vai entender o significado de tudo ali e vai apreciar ter uma personagem assim. Provavelmente vai achar só um romance bonitinho, o que é, e provavelmente vale a pena só por isso, mas duvido que tenha o mesmo impacto.

A relação de Cath com o fandom e as fanfics foi tratada de forma perfeita e respeitosa durante o livro. A autora podia ter tratado como algo que a Cath precisasse deixar para trás e amadurecer, mas, graças a deus, ela não fez isso. Não sou tão die-hard fan, nem uma escritora tão dedicada quanto a Cath, mas conheço muita gente que é e é ótimo que não tenha sido apresentado como algo a ser consertado. O relacionamento de Cath com as fanfics é sim explorado, principalmente com os paralelos entre Vá em frente (a fic que ela escreve) e as aulas de Escrita Criativa que ela cursa, cuja professora parece ser super anti-fanfic, o que causa um leve conflito entre Cath e a professora. Fiquei com medo que essa sub-história da aula da Cath fosse me decepcionar, mas é claro que não, teve um desfecho bastante satisfatório, assim como o resto do livro.

Entretanto, o livro não é todo sobre fanfics, isso é mais um pano de fundo. A verdadeira história é sobre o crescimento da Cath, sobre ela sair de casa, se separar da irmã e do pai. O pai da Cath é um fofo, ele é maníaco-depressivo e, por isso, Cath se sente um pouco insegura ao deixá-lo morando sozinho e, como uma filha preocupada, sempre a vemos checando como ele está, um amorzinho. Já quanto à Wren, eu tive sentimentos bastante conflituosos, passei grande parte do livro morrendo de raiva dela, talvez porque nós víssemos tudo pela visão da Cath. As duas irmãs brigaram antes do livro começar, porque Wren não queria dividir o quarto com Cath, e, ao ir para a universidade, suas diferenças foram se sobressaindo e cada vez mais elas só foram se distanciando. Ao final do livro, porém, Wren foi conquistando aos poucos meu coração. Realmente, eu sou muito mais parecida com a Cath do que com a Wren, mas ela também é uma boa pessoa e eu amo ver desenvolvimento de relacionamentos familiares, então esse foi um grande presente para mim, que eu nem estava esperando no livro!

Por fim, temos a parte romântica do livro. Eu não quero dar spoiler nenhum e não sei se o interesse amoroso da Cath deveria ser uma surpresa (porque eu já sabia quem era antes de ler), para mim fica claro desde o início, mas well. Tudo o que direi é que foi um dos romances mais fofos que eu já li na minha vida, me fazendo literalmente parar para abraçar o livro de tanta fofura. Eu não tenho certeza se estou apaixonada pelo ship ou pelo personagem, mas não importa, eles são lindos juntos, o desenvolvimento, o diálogo, as interações, tudo tão lindo. Por que essa não podia ser a parte da vida da Cath que é igual a minha, hein?

De qualquer forma, esse livro é perfeito, os personagens são perfeitos e eu já quero relê-lo, mesmo tendo acabado de terminar.

Essa era a beleza de amontoar palavras - ficavam mais leves quanto mais você as tinha.
Às vezes, escrever é como descer um morro, seus dedos tocam o teclado do mesmo modo que suas pernas pisam o chão quando não conseguem lutar contra a gravidade.


Carol: Desculpa Flávia, eu tive que me intrometer na sua resenha só pra comentar uma coisa, porque eu acabei justamente agora de ler o livro e to me remoendo pra surtar em algum lugar. Eu faço de todas as palavras da Flávia, as minhas. Tudo nesse livro é perfeito, desde a vida pacata de Cath até seu amadurecimento, mas o principal é que embora a história seja perfeita, os personagens não são. Todos eles tem suas dúvidas, seus erros, e isso serve tanto como aprendizado, pois no decorrer, alguns deles reparam na forma que estão agindo e vão mudando aos poucos, e também como aceitação, pois mesmo com os defeitos e diferenças entre o casal, eles acabam se apaixonando da mesma forma. E não de uma hora pra outra; é algo muito bem desenvolvido, tanto que até a metade do livro, muitos leitores (assim como eu) ficaram se perguntando se era realmente ele que ia fazer par com ela. E além disso (não vou prosseguir no quesito romance pois se não vou ficar delirando aqui de tanto que as cenas me tocaram), existe a abordagem que a autora fez em torno das fanfics, como a Flávia falou. Passei muitos anos da minha vida também nesse mundo, conhecendo quase todas as fanfics dos sites, escrevendo e participando de toda aquela magia. Talvez quem não passou pela experiência não se afete tanto, mas certamente vai se encantar por tudo que Cath comentar. É viciante, e uma fonte maravilhosa pra se fazer amizades e ao mesmo tempo viajar nas histórias de pessoas comuns, assim como você, e não autores tão bem sucedidos. E essa história me trouxe uma nostalgia tãaao gigantesca, que foi mal fechar o livro, e eu já corri pra escrever alguma coisa hahaha. Fangirl é aquele livro bem doce que você guarda no coração e deseja reviver a história diversas vezes, incapaz de deixá-la pra traz.

Nota: 5

Sobre mim: Flávia Crossetti, 19 anos, carioca. Estudante de Psicologia, leitora compulsiva, viciada em séries, feminista e escritora de fanfic nos tempos vagos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário