sábado, 9 de agosto de 2014

Atormentada


Nome: Atormentada
Título Original: The Unquiet
Autora: Jeannine Garsee
Editora: Jangada
Livro: Skoob
Sinopse:
Rinn é uma garota bipolar, que mantém o transtorno sob controle com a ajuda de medicação. Ela mora com a mãe e estuda no Colégio River Hills, onde dizem que a piscina é assombrada por Annaliese, uma adolescente que se afogou ali vinte anos antes. Quando coisas terríveis começam a acontecer aos seus colegas e não a ela, Rinn promete descobrir por que não pode ser “atingida” pelo espírito de Annaliese. Ela consegue fazer contato com o fantasma, que não se mostra nada pacífico. Ao descobrir o motivo, Rinn pede ajuda para seu namorado Nate, e elabora um perigoso plano para descobrir a verdade. Logo realidade e fantasia se confundem, até Rinn perceber que é quase impossível diferenciá-las. Diante de uma força malévola que ameaça a vida de todos de quem ela gosta, Rinn se pergunta se de fato pode confiar no que sente ou se está novamente perdendo o contato com a realidade.

Num dia como outro qualquer, entrei numa livraria e logo me deparei com esse livro. Foi amor à primeira vista. A capa me encantou, a sinopse me encantou, tudo nele me encantou! E assim que cheguei em casa, a primeira coisa que fiz foi baixar em PDF *pobre* e ler. Eu já tinha noção de que era um livro bem psicótico, mas acabou me perturbando mais do que imaginava.

Corinne e sua mãe, Mônica, mudam pra cidade natal dela, pois sabem que Frank, o padrasto de Rinn, jamais as aceitará de volta. E o mais incrível, é que o motivo dessa separação drástica, não foi por causa de Mônica, e sim por culpa da própria Rinn. Aos 14 anos, eles descobriram que ela tinha um transtorno bipolar, e levaram-na pra morar por um tempo com a avó de Frank, pois ela era enfermeira e bem forte. Por um tempo, Rinn sentiu-se melhor, tomando seus remédios e fazendo companhia pra avó que adorava, até o dia que todo aquele divertimento acabou. Sem querer, Rinn colocou fogo na casa da avó, provocando sua morte. E sentindo-se totalmente culpada por isso, ela cortou a própria garganta.

Me dá aflição só de pensar. E todas as cenas são bem descritas, então a aflição é maior ainda, haha. Após passar um tempo internada numa ala psiquiátrica, elas vão pra cidade natal de sua mãe, tomando milhõooes de remédios pra se manter estável. Logo que chega, ela conhece Nate, um garoto da sua idade que se dispõe a ajudá-las com a mudança. Só que tem um detalhe. Como se não bastasse a garota ter um monte de problemas, ainda colocam um encosto na história. Sério, achei muita mancada.

A casa pra onde elas se mudam é justamente a casa da antiga professora de piano de Mônica. E que, inclusive, se matou enforcada no sótão (ou seja, no quarto que Rinn escolheu pra ser dela). Mas ninguém avisou essas coisas antes delas terem comprado a casa. E quando descobrem esses detalhes básicos, já não há mais nenhuma outra casa disponível, e poucas outras opções, então após muita discussão, elas acabam se conformando a ficar ali mesmo.

E calma que ainda piora. Como se não bastasse só um encosto, no colégio de Rinn, há um túnel por onde os alunos tem que passar, que dizem ser assombrado por uma garota que morreu afogada na piscina que tem no túnel, e que foi fechada justamente por causa do acidente. Que maravilha, não é? E os alunos adoram provocar, sem acreditar nas lendas, chamando pelo nome de Annaliese, a garota que morreu. Até mesmo no Halloween é tradição berrar por ela.

Acho que ainda não comentei que ela também ouve vozes, certo? Pois é. Pra mim isso mais parece uma junção de bipolaridade com esquizofrenia, porque nunca ouvi falar de bipolar ouvindo vozes, maaas... Acho que já deu pra perceber que a história é uma loucura toda, né? Mas eu gosto! Eu adooro livros de terror, e é difícil encontrar um bom hoje em dia. Mesmo porque, eu tentei ler de madrugada umas cenas mais tensas, e o resultado foi sonhar que a menina tava cortando a minha garganta. Não to brincando. UHAUHAUHAUHAUH Pra vocês verem como esse livro mexeu com a minha cabeça.

Depois do que aconteceu no cercado apenas algumas horas atrás, como eu posso me sentir segura com ele?
Segurança, eu sei, não passa de uma ilusão.
Não estamos seguros.
Ninguém está seguro.

Além disso tudo, tem as amigas que Rinn faz logo de primeira. Meg, Tasha e Lacy são aquelas garotas consideradas populares, e talvez por isso elas me deram nos nervos. No começo estava tudo bem, mas no decorrer do livro, quando vão mostrando quem são de verdade, várias cenas me deram raiva delas e me perguntei porque diabos Rinn ainda andava com elas. E Nate é um amor, mas eu não consegui idealizar ele muito bem, quanto a personalidade e tudo mais. Achei que faltou algum aspecto que marcasse melhor ele, mas tudo bem. Ele foi a primeira pessoa que Rinn sentiu que podia confiar plenamente, e o primeiro que a escutou sem julgar ou parecer amedrontado. Heh, coisa de livro.

Um dia, Rinn e seus amigos vão pro túnel, mais especificamente pra piscina, e fazem uma sessão para tentar evocar Annaliese. Logicamente, tudo é só uma brincadeira, pois nenhum deles acredita em fantasmas, mas coincidentemente ou não, depois daquele dia as coisas começam a ficar estranhas, e todos começam a agir de modo diferente, menos Rinn. O que diabos estava acontecendo, e porque justamente nela não havia surtido efeito nenhum, além de ser a única a reparar que todos estavam mudando e agindo de uma forma, digamos que... Perigosa? Como se não fossem eles mesmos. Como se estivessem possuídos.

Eu realmente AMEI esse livro. O enredo inteiro foi muito bem construído, o desenrolar dos fatos e descobertas, tudo muito bem combinado! Houve uma hora que quase 90% dos personagens do livro pareciam ter enlouquecido, e eu tava só esperando a hora de acabar enlouquecendo também pela confusão que Rinn estava sentindo com tudo aquilo D: Mas por um lado bom, entende? Não no sentido de confundir o leitor, mas no sentido de deixá-lo em desespero também. Nossa, a escrita dessa autora é maravilhosa!! Nunca tinha lido nada dela, mas eu fiquei bem impressionada com a forma que ela conseguiu retratar uma história digamos que pesada de um jeito tão envolvente e até mesmo suave.

Confesso que ainda não sei se gostei do final ou não. Parte de mim esperava algo diferente, mas parte ficou surpresa com as últimas palavras, e ansiosa pra que tivesse uma continuação (algo que acredito que não tenha). Com toda sinceridade, eu digo: Leiam esse livro! Ainda mais se você gosta de terror, suspense, mistério, ele é perfeito! Mal consigo acreditar que finalmente encontrei um livro exatamente como eu desejava, depois de tanto tempo! *-*

Nota: 5

Sobre mim:Carolina Rodrigues, 19 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

2 comentários:

  1. Olá!

    Não conhecia o livro mas sua resenha despertou minha curiosidade! Quero ler!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oii
    Apesar da sua resenha excelente, eu não leria esse livro por um único motivo: Medo! Morro de medo de fantasmas e afins, então realmente tenho que dispensar essa leitura. Mas ótima dica para quem curte esse tipo de suspense.

    Beijo,
    http://www.pitadadecultura.com/

    ResponderExcluir