segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

[+18] Paixão Sem Limites

Nome: Paixão Sem Limites
Título Original: Fallen too far
Autora: Abbi Glines
Série: Sem Limites
Editora: Arqueiro
Livro: Skoob
Sinopse:
Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça. Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas.

Totalmente apaixonante!!
Eu nunca fui muito chegada à livros new adult. Aliás, nem me interessava em parar pra ler algum a fundo, pois sabia que seria sexo o tempo inteiro, sem uma base verdadeira pra sustentá-la. Mas, quando li a sinopse de “Paixão sem limites”, eu percebi que existia uma história por trás daquela sensualidade toda, e que talvez estivesse na hora de dar uma chance pra esse estilo.
Ainda bem que pensei desse jeito, se não acabaria perdendo uma história e tanto!
- Fique aliviado em saber que vou sair daqui em menos de um mês.
- Eu provavelmente deveria ficar. Aliviado, quero dizer. Aliviado pra cacete. Só que não estou, Blaire. – Ele fez uma pausa e se inclinou para sussurrar no meu ouvido. – Porque será?
Minha vontade foi estender as mãos e segurar os braços dele para não desmoronar, mas me contive.
- Fique longe de mim, Blaire. Você não vai querer chegar muito perto. Ontem à noite... – Ele engoliu em seco. – Não paro de pensar em ontem à noite. Saber que você estava vendo me deixa louco. Então fique longe. Estou me esforçando ao máximo para ficar longe de você.

Blaire Wynn não sabe para onde ir após a morte de sua mãe, a única parente que tinha próxima a ela. Como o tratamento do câncer custou muito caro, Blaire teve que gastar todas as economias que tinham nos medicamentos, inclusive sua própria casa, ficando assim sem ter outra opção além de ir para Flórida, procurar por seu pai, que agora tinha uma nova família. Mesmo contra todos seus princípios, já que ele as abandonou quando a irmã gêmea de Blaire faleceu num acidente de carro, e nem ao menos ajudou a pagar os remédios da mãe, ela respira fundo e vai com sua picape, a única coisa que lhe sobrou, pedir abrigo pro pai. Mas é lógico que não seria assim tão fácil.
Pra começar, quando Blaire chega ao endereço que foi dado pelo próprio pai, ela encontra uma enorme festa acontecendo. Lá, ela conhece Grant, um rapaz simpático que a leva pro dono da festa, que por acaso, é o filho da nova esposa de seu pai. Rush Finlay não demonstra nem um pouco de alegria em recebê-la e diz que é melhor ela arranjar um hotel pra ficar até que consiga falar com o pai dela, que está em Paris, com a mãe de Rush. É lógico que ele não estaria lá por ela, não é? Mas o grande problema é que Blaire só tem 20 dólares, e o tanque da sua picape está vazia. Devastada e sabendo que era melhor não insistir, ela volta pra sua picape, decidida a passar a noite ali mesmo, já que era o que lhe restava. Mas Rush acaba abaixando a guarda, e deixa que ela durma no quarto da empregada até que consiga arranjar um emprego e alugar um apartamento pra morar sozinha. O que ele não esperava (ou, na verdade, esperava, embora lutasse contra isso) é que Blaire ia acabar o conquistando e desejando tê-la só pra ele. Ele podia ter qualquer mulher que quisesse, e aliás, todos os dias Blaire se deparava com uma mulher diferente dentro da casa, mas nenhuma o deixava tão fora de controle quanto Blaire. Ele podia ter qualquer uma, mas só queria exatamente a que não poderia nunca ter, por causa do segredo de sua irmã Nan.
- Eu o perdoo com uma condição – falei, fitando os seus olhos emocionados que me faziam esperar muito mais.
- Ok – respondeu ele, cauteloso.
- Quero ficar com você hoje. Chega de joguinhos. Chega de esperar.
A expressão preocupada sumiu na hora dos seus olhos e foi substituída por um brilho ávido.
- Nossa, claro – grunhiu ele, puxando-me para junto de si.

Desde as primeiras cenas, Blaire já é apresentada sendo uma personagem muito forte e que sabe totalmente cuidar de si mesma sozinha. Ela que cuidou da mãe durante toda a doença, e a confortou quando sua irmã morreu. E logo no primeiro dia que vai atrás de trabalho, ela consegue arranjar um que dá uma gorjeta maravilhosa, e dá muito valor pra isso, dedicando-se ao máximo. Acho que esse é um dos motivos que me fez adorá-la. Além de que, logicamente, Rush não é o único que se interessa por ela. Tem outros também, mas diferente de muitos livros, onde a garota fica indecisa e não sabe o que fazer da vida, ela sempre soube o que queria de verdade, e não se aproveitava dos outros por causa disso. E aliás, esse é um dos motivos por Rush evitar tê-la em seus braços. A cada dia ele tinha uma mulher diferente, ou até mais, e Blaire era de valor, reservada, não alguém que ele poderia simplesmente usar e jogar no lixo no dia seguinte. Maas... Não foi isso que fez o sentimento de um ou de outro mudar. Pelo contrário, até... Sempre que Blaire o via transando com alguma mulher, ela ficava chateada, mas acima disso, ela sentia a vontade de ser desejada e tocada por ele daquela forma também.
Eu achei legal o fato de como Rush a respeitou e se esforçou ao máximo pra se manter o mais distante possível dela pra exatamente não magoá-la. Mas vai se tornando evidente no decorrer da história que o sentimento de ambos vai crescendo, e não se trata mais de apenas sexo. É algo muito além disso.
O ponto principal da confusão toda que é causada na história é por Nan, a irmã dele, que vou te falar, viu... É bem chatinha. Mas também, é um mistério que a autora vai deixando pistas soltas pela história, e que ao chegar ao final, você já faz ideia do que é. Só achei que o Grant, que por acaso também é irmão de Nan e Rush, devia ter um destaque maior na história. Eu adoreeei ele, mesmo nas poucas cenas que ele aparecia era sempre alegria, haha.
Enfim... Acho que depois dessa resenha toda nem preciso falar que super recomendo esse livro, né? É totalmente viciante! Você não consegue largar o livro até que tenha o terminado. Talvez eu tenha dado sorte, mas essa história em particular, não se trata de sexo o tempo inteiro. E, quando aparece, tem tanto sentimento junto que acaba te envolvendo também. Eu realmente adorei, e mal vejo a hora de ler a continuação!
- Ué, Rush, pensei que você não ficasse abraçadinho – falei enquanto ele alisava o meu pescoço com o nariz, sentindo o meu cheiro.
- Não ficava, mesmo. Só com você, Blaire. É a minha exceção – sussurrou ele.
Então aninhou a minha cabeça sob o seu queixo e puxou as cobertas por cima de nós dois. O sono veio depressa. Eu me sentia segura e feliz.

Nota: 5

Sobre mim:Carolina Rodrigues, 18 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário