sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Sussurros de uma garota apaixonada


Nome: Sussurros de uma garota apaixonada
Autora: Mandy Porto
Editora: Underworld
Livro: Skoob | Orelha de Livro
Sinopse:
Sussurros de uma garota apaixonada apresenta Brooke Watson, uma novata na Universidade de Stanford. Brooke não queria saber nada de garotos, apenas queria se concentrar nos estudos e ser uma boa médica no futuro. Danny Garcia entra em sua vida, um garoto arrogante que a maioria das pessoas da Universidade detesta. Ele é morto por um Serial-Killer do campus e Brooke é a única que consegue vê-lo. Eles se detestam, mas deverão trabalhar juntos para descobrir quem é o assassino que está matando meninos no campus da Universidade. E mais uma vez o amor ultrapassa os limites da morte...


Depois de muuuito tempo querendo ler esse livro, eu o encontrei no meio das minhas coisas e comecei a ler, só por curiosidade, porque no momento já estava cheia de leituras na lista de preferência. Mas foi só começar a ler que eu já esqueci do mundo e me entreguei completamente à história.
Brooke é uma garota bem tímida, sozinha e que fala bem pouco. Não direi que é uma Bela da vida, só para que você não largue a resenha agora mesmo e já decida que é uma história chata e cheia de dramas da personagem.
Ela está em seu primeiro ano de faculdade de Medicina, um curso que, como todos sabem, não é nem um pouco fácil, e ninguém achava que ela suportaria a barra, principalmente por sua fisionomia: loira, de olhos azuis, baixa e pequena, com traços bem fracos. Mas apesar disso, ela era muito inteligente, e se esforçaria até o fim para conseguir alcançar seu sonho.
Isso é , se um garoto chamado Danny não entrasse, literalmente, em seu caminho. Seu dia logo começa mal, quando ele esbarra nela, derrubando seu material, e segue em frente, sem nem ao menos olhar para trás. Lucy, a amiga de quarto de Brooke, a ajuda e lhe mostra o quarto onde elas dividirão segredos, conversas, e uma amizade super importante para ambas, mesmo que Lucy seja aquele tipo de garota que adora falar o tempo inteiro. Para completar o grupo, Brooke conhece Nicolas em uma de suas aulas, que se junta a elas, e tem uma queda especialmente por Brooke, embora ela não queira nada com ele.
Após uma semana de aula, Danny some, e se torna um assunto muito comentado pela faculdade, já que ele era super conhecido por todos, ainda mais por sua beleza e seu jeito arrogante. Vários boatos percorrem, como ele ter desistido do curso, mas ele estava nos últimos anos do curso, e não haviam razões para ter desistido assim de uma hora pra outra, nem mesmo os amigos conseguem imaginar o que pode ter acontecido.
É no meio desses acontecimentos que Brooke consegue um estágio no necrotério, onde logo em seu primeiro dia, ela ajuda seu chefe com um corpo que acaba de chegar.
O corpo de Danny. O mesmo garoto que é tão conhecido pela faculdade. O mesmo garoto que a tratava com ignorância. E o mesmo garoto que estava no exato momento, ao lado dela, olhando para seu corpo sem vida.
Brooke surta na mesma hora, sem conseguir entender o que estava acontecendo, e se perguntando se ela tinha enlouquecido, porque só ela, entre todas as pessoas daquele lugar, conseguia ver e conversar com o espírito de Danny.
E além disso, para piorar mais ainda a situação, Danny não foi o único assassinado, o que leva a crer que há um serial killer por meio dos estudantes.
Arrependo-me de tê-la tratado mal naquele dia de madrugada quando acabei dormindo em frente ao seu quarto. Eu agiria de maneira completamente diferente se eu soubesse. Eu a teria beijado se soubesse que nunca mais poderia tocá-la. Eu a quero muito, mas nada podemos fazer para que alguma coisa mude para... melhor.
Uma coisa que eu achei exagerada foi a preocupação dela com Danny. Tipo, ela nunca tinha conversado direito com o cara, só trocado míseras palavras, e ainda assim ela ficava pensando nele o tempo inteiro, mesmo antes de saber que ele estava de fato morto. Como se ela estivesse encantada com ele, sendo que digamos que ele só tratava ela com grosseria. E quando ele passou a persegui-la o tempo todo após a morte, já que só ela podia falar com ele, ela acreditava em absolutamente tudo que ele dizia, confiando de olhos fechados, sabe? Um pouco drástico isso para quem nem conheceu alguém direito pra isso. Ainda mais alguém que não tinha jeito de ser sincero.
E outro detalhe, é que acho irônico o fato de que na maioria dos livros em que as personagens são tímidas e se acham horríveis, sempre tem um monte de caras caindo por elas. Isso significa o que, que as pessoas precisam ter a autoestima mais elevada? Porque, só se for!
E ah, a facilidade que elas tem pra chorar me irrita. De verdade, qualquer coisa boba ela chorava. E, eu sei, não é algo que dá pra exatamente controlar, mas... poxa! Não precisa exagerar também, né.
E bom, de certa forma, ela estava sendo fraca, sim. Talvez não com o curso, mas com tudo acontecendo ao redor dela. Parece que sempre esteve tão acostumada com a sua rotina sem surpresas, que uma única situação já era o suficiente pra fazê-la perder as estribeiras. E fora que ela nunca sabia o que queria. Uma hora implorava pra que ele voltasse a aparecer pra ela, mas poucos minutos depois queria que ele fosse embora e desaparecesse. Sério, que nervosooo! Decida-se, menina!
A história com certeza tem uma boa proposta, mas não acabou sendo muito bem construída, principalmente e infelizmente pelos personagens, além de que acabou perdendo o rumo do foco principal. É bom, mas eu realmente esperava mais.
Nota: 4

Sobre mim: Carolina Rodrigues, 18 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo histórias ou ouvindo música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário