sábado, 30 de março de 2013

Bem Mais Perto


Nome: Bem Mais Perto
Autora: Susane Colasanti
Série: So much closer
Editora: Novo Conceito
Livro: Skoob
Sinopse:
Quando Brooke descobre que o amor de sua vida, Scott Abrams, está se mudando do subúrbio de New Jersey para Nova York, ela decide segui-lo até lá. Viver com o pai ausente e se adaptar a uma escola totalmente nova são desafiantes para ela — e as coisas ficam ainda piores quando ela descobre que Scott já tem uma namorada. Mas como ela aprende a sobreviver na cidade grande, começa a descobrir todo um novo lado de si mesma e percebe que, às vezes, o amor pode te encontrar mesmo quando você não está olhando para ele.


É muito difícil explicar o que achei de "Bem mais perto", pois na mesma quantidade que eu me irritava por determinadas coisas, eu me envolvia por completo.
Recebi esse livro da Novo Conceito, e só de olhar o kit você já morre de vontade de ler. É muito lindo! Ainda mais a caixa, é tão apaixonante!
Com isso, eu logo comecei a ler, na maior expectativa. Mas que infelizmente, não foi alcançada.

"Gosto de livros com enredos sobre infidelidade ou divórcio. Gosto de me identificar com a história que estou lendo, faz com que me sinta menos sozinha. Todos esses livros sobre pessoas muito felizes são tão cansativos! A vida real não é nem um pouco assim. Os melhores livros, os que me fazem ficar esperançosa, são aqueles em que os problemas das personagens são resolvidos realisticamente no final, e não convenientemente amarrados com um grande laço vermelho."

Pra começar, a história fala sobre Brooke, uma garota que logo de início já deixa explícito o seu amor inabalável por Scott, um garoto que ela gosta platonicamente, já que eles nunca se falaram. Quando finalmente houve uma situação em que eles finalmente conversaram, ela descobriu que ele ia se mudar para Nova York, e eles nunca mais se veriam.
Ela ficou indignada com aquilo, pois nunca mais teria a chance de admitir o seu amor à ele, ou afirmar o quanto eles eram feitos um para o outro. Então, por causa dele, ela vai morar com o pai, que vive justamente em Nova York, e se matricula no mesmo colégio que Scott.
E daí eu que fiquei indignada. A forma como ela descreve tudo é muito como uma criança, sabe? Eu mesma já tive um amor exatamente assim, mas foi quando eu tinha por volta dos doze, treze anos! E ela tinha o que, dezesseis?
E tem mais! O pai dela literalmente abandonou a família, sabe. Ela ficou desde o dia em que ele as abandonou sem falar com ele, por raiva, e de repente, por um garoto que ela não tinha nem conversado, decide ir morar com ele, como se nada tivesse acontecido, ou como se isso não fosse chatear a própria mãe?
Não sei, acho que ela agiu muito imaturamente ao pôr acima de tudo seus próprios sentimentos, o que realmente foi algo infantil a se fazer. Ainda mais porque ela faria o mesmo que o pai, abandonando a própria mãe por alguém que mal sabia da existência dela.

"As pessoa destroem sua confiança e depois partem. Você nunca consegue conhecer alguém completamente, não importa o quanto ache que conheça. As pessoas sempre omitirão partes de suas vidas. Sempre haverá alguma verdade sobre elas que você nunca saberá. Ou talvez, algum dia, você conheça a verdade que elas escondem e vai concluir que era melhor nunca ter descoberto."

Mas, enfim. Prosseguindo, logo no primeiro dia de aula, ela acaba se perdendo na procura da sua classe e coincidentemente Scott também está perdido, e é quando se encontram e começam a conversar de verdade, além de sentar próximos um do outro na aula. A partir de então, a amizade deles vai se desenrolando, e ela tenta decidir qual é a melhor hora para declarar o seu amor. Além disso, ela ajuda Sadie, uma colega de classe num exercício, o que faz com que Sadie a incentive a virar monitora, pois aprende com muita facilidade e ensina perfeitamente.
Esse é outro ponto que me irritou. Por no outro colégio de Brooke não darem muito valor aos estudos, ela também não dava, e ficava enfurecida sempre que alguém, principalmente sua mãe e amiga, reclamavam pelas notas baixas sendo que ela tinha um potencial maravilhoso. E inclusive, todos que a conheciam davam valor à isso, menos ela mesma.
Convencida a ser monitora, e após passar por um teste que obviamente a capacitou a ajudar os alunos, o professor a encaminha para um aluno especial, chamado John, que sempre teve muitos problemas com as matérias. A partir de então, ela começa a lhe ajudar, sem ter a real de intenção de se aproximar ou se esforçar naquilo, já que seu único intuito verdadeiro era conquistar o coração de Scott, mas ela se sente tão confortável e sem precisar pensar em como agir com John que se liberta e logo viram amigos.

"Isso soa altamente suspeito pra mim. Não acredito que as pessoas façam qualquer coisa por razões puramente altruístas. Os atos das pessoas são motivados pelos próprios desejos. Cada uma que me desapontou é a prova de que não se pode confiar em ninguém."

Bom... A história é muito bem desenvolvida, isso tenho de admitir, embora seja uma história bem básica e comum, relacionada bastante com nosso cotidiano, nada fora do normal. Não estou reclamando, pois é totalmente bom ler coisas que se comparem à nossa rotina, saindo daquela ilusão de fantasias da maioria dos casos. Os personagens são agradáveis, e não posso dizer que esperava mais do Scott, pois como ele mesmo disse em certa parte, esse sou eu, não o que você esperava que fosse. Então até os personagens de livros mesmo nós temos de aceitá-los como são, independente de serem dramáticos ou de nos darem nos nervos. Faz parte!

E Brooke realmente me irritou diversas vezes. Primeiro que, a autora não soube como lidar muito bem com as ações dela. Primeiro, Brooke era aquela garota tímida que não tinha coragem de chegar no Scott apenas para conversar com ele. E de repente, ela tinha até admiradores secretos, sem ter feito absolutamente nada para ganhar aquilo. E fora quesitos que não vou citar para não dar spoilers, mas que definitivamente não condizem com uma garota que ela costumava ser.
Mas o lado bom, é que eu entendi o real propósito da autora nisso tudo. Ela queria exatamente que Brooke cometesse erros e ficasse cega de tanta fissura pelo Scott, para poder ir reparando no que fez aos poucos, e  mudando de ideia. Tanto que, tem várias frases ao decorrer do livro que eu me identifiquei, e aposto que muitos também vão se identificar, pois é a pura verdade! A autora abordou bastante o assunto desse amor da nossa adolescência, que sempre parece ser tão certo, tão único, que nos deixamos ser levados sem reparar na realidade ou o quanto estamos nos enganando.
Apesar de tudo, a nota que eu dei é porque apesar da intenção ser boa, não atingiu completamente ): Tem muitas partes bobinhas, e que poderia ser abordado de maneira bem melhor.

"Uma das coisas mais incríveis que pode acontecer é encontrar alguém que enxergue tudo que você é e não a deixe ser nada menos. Essa pessoa vê seu potencial, percebe as infinitas possibilidades e, através dos olhos dela, você começa a se enxergar da mesma forma: como alguém importante, alguém que pode fazer a diferença neste mundo.
Se você tiver muita sorte de encontrar essa pessoa, nunca a deixe ir embora!"

Nota: ★★★☆☆



Nenhum comentário:

Postar um comentário