quinta-feira, 11 de outubro de 2012

A Captura


Nome: A Captura
Autora: Kathryn Lasky
Série: A Lenda Dos Guardiões (#1)
Editora: Fundamento
Livro: Skoob
Sinopse:
(...) Soren tentou desesperadamente bater as pequenas asas curtas. Inútil! "Estou morto. Uma corujinha morta. Três semanas fora da casca e a minha vida termina!", ele pensou. Soren, uma coruja jovem e inteligente, vive na pacífica Floresta de Tyto. Ele nem desconfia que uma grande e inimaginável ameaça vai transformar sua vida para sempre. Depois de cair do ninho onde mora, Soren é sequestrado e levado à sinistra Academia S. Aegolius para Corujas Órfãs. Lá, ele e outros filhotes são forçados a trabalhar e ficam expostos à Lua cheia, que os hipnotiza e transforma em seres vazios, sem lembranças de quem eram. Qualquer reação ou pergunta pode resultar em terríveis castigos ou até ser fatal! Enquanto luta para não perder a identidade, Soren faz uma amiga, Gylfie. Os dois logo descobrem que a única maneira de fugir dali é aprender a voar - voar até Ga Hoole, um reino de bravos guerreiros, os únicos que podem proteger as corujas de tamanho perigo. Será que eles vão descobrir a razão dos sequestros? Ga Hoole existe ou é só uma lenda? Junte-se a Soren e Gylfie e conheça um universo repleto de fantasia, surpresas e ação. A série A Lenda dos Guardiões ficou por diversas semanas na lista dos livros mais vendidos do New York Times e deu origem a um filme. A Captura é o início de uma história envolvente, diferente de tudo o que você já viu.


Desde que saiu o trailer do filme em junho de 2010, eu nunca fiquei tão obsecada por uma série quanto essa. Assisti o filme assim que saiu e me apaixonei ainda mais pela história de Soren e seus amigos. Como todo mundo sabe, filme baseado em livro não é e nunca vai ser como o livro, mas são poucos os filmes baseados em livros que me fazem querer ir atrás da origem, de onde todo aquele fantástico mundo saiu.

A vida de Soren, nossa corujinha protagonista, era normal. Ele ficava na toca, comia os insetos e roedores que seus pais lhe davam e sonhava um dia voar, sentir o vento bater embaixo de suas asas e ter a sensação de liberdade que sempre quis. Infelizmente, nem tudo é como Soren espera ser: ele tem um irmão mais velho, Kludd, que está sempre implicando com ele, o rebaixando e se vangloriando por ter nascido primeiro e está tendo suas aulas de primeiro vôo. Kludd nunca está satisfeito com o que tem, ele quer sempre mais e desde que seus irmãos mais novos nasceram, Soren e Eglantine, ele não tem atenção suficiente dos pais.

Em um fatídico dia, Soren é raptado por corujas de S. Aegolius, lá, ele aprende o que é estar no inferno. As perversas corujas hipnotizam as corujinhas roubadas e as 'criam' em um sistema severo e rude. Perguntas são totalmente proibidas e quem ousar fazer alguma é punido da pior maneira possível. É lá também, em S. Aggie, que Soren conhece a sua fiel amiga Gylfie, uma coruja-duende, que apesar do seu tamanho pequeno, tem uma grande força de espírito, bastante intuição e imaginação.

Juntos, eles lutam contra a hipnose da Lua, método usado pelas corujas da Academia S. Aegolius para Corujas Órfãs para alienarem as corujas raptadas, e tentam descobrir um meio de fugir daquele lugar. É lá na Academia que eles resolvem ir atrás de ajuda das corujas guerreiras que vivem na Árvore de Ga'Hoole, que fizeram um juramento de sempre lutar pelo bem dos reinos das corujas e derrotarem o mal.

A Captura tem uma atmosfera incrível, uma vez que você começa a ler, não quer se separar dele para nada. Kathryn consegue prender a sua atenção nessa história tão leve e suave, a lealdade entre Soren e Gylfie é tremenda, mesmo podendo escapar do local onde estão, Gylfie decide não ir, porque ela quer esperar Soren está em condições de poder escapar com ela.

Em alguns pontos, você achar a história sem graça e cansativa, pois, diferente do filme, esse primeiro fala quase que exclusivamente de Soren e Gylfie em S. Aggie, mas a Kathryn não te decepciona e no capítulo seguinte te lança uma informação muito preciosa e te deixa totalmente surpresa com o rumo que o livro está indo.

Uma diferença bem grando que eu notei foi que o Twilight (ou Crepúsculo) do livro é totalmente diferente do filme, ele é uma figura mais sombria. Mais dei umas boas gargalhadas com ele. Esse é outro aspecto do livro, não é apenas drama e aventura, tem uma pitadinha de comédia, posso dizer que eu me encantei com as cenas de morte do livro, não pela cena, mas pela forma da Lasky descrever, você fica triste, mas não é uma coisa agoniante de você chorar copiosamente, ela é sutil quando toca nesse assunto, por mais chocante que seja a fala do personagem.


Nota: ★★★★★

Photobucket

Nenhum comentário:

Postar um comentário