quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O Resgate do Tigre


Livro: O Resgate do Tigre
Autora: Colleen Houck
Série: A Saga do Tigre
Editora: Arqueiro
Livro:Skoob
Sinopse:
Kelsey Hayes nunca imaginou que seus 18 anos lhe reservassem experiências tão loucas. Além de lutar contra macacos d'água imortais e se embrenhar pelas selvas indianas, ela se apaixonou por Ren, um príncipe indiano amaldiçoado que já viveu 300 anos. Agora que ameaças terríveis obrigam Kelsey a encarar uma nova busca – dessa vez com Kishan, o irmão bad boy de Ren –, a dupla improvável começa a questionar seu destino. A vida de Ren está por um fio, assim como a verdade no coração de Kelsey. Em O Resgate do Tigre, a aguardada sequência de A Maldição do Tigre, os três personagens dão mais um passo para quebrar a antiga profecia que os une. Com o dobro de ação, aventura e romance, este livro oferece a seus leitores uma experiência arrebatadora da primeira à última página.


De verdade, eu comprei Resgate do Tigre num total desespero. Peguei o péssimo hábito de, a partir do momento em que comprei o primeiro livro de uma série (e que ainda está sendo lançada), e eu realmente gostei, tenho que comprar os seguintes, mas não somente pela questão de ~querer ter a coleção (além de ser bonitinho, he) e sim de querer ~ler! Já tinha ameaçado comprar antes, mas estava mais caro, entao quando encontrei num preço acessível, não resisti e voltei toda feliz da vida pra casa. Nem era prioridade lê-lo, pois eu estava literalmente lotada de livros há mais tempo e com prazo pra ler, mas novamente, quem disse que resisti? Comecei a devorá-lo numa madrugada, e só fui dormir com muito pesar no coração por não poder continuar.

Já aviso que para quem não leu o primeiro livro, há spoilers.

Após Kelsey ter voltado da Índia, decidida a se manter longe de tudo que envolvesse a vida que deixou pra trás (e principalmente Ren, cujo ela acreditava fielmente merecer alguém melhor do que ela), ela descobre que o Sr. Kadam a matriculou numa faculdade, exatamente no curso que ela queria, além de ter lhe dado de presente uma casa nova (detalhe, com todos os móveis, inclusive um guarda-roupa gigantesco, com a maior diversidade de roupas e bijuterias) e um carro. Kelsey nem sabia como começar a agradecer, mas ele a interrompia sempre que ela começava tentando, pois alegava que era apenas uma recompensa por tudo que ela fez, e que jamais conseguiria lhe pagar tudo de volta. Ela tenta reconstruir sua vida, sempre próxima de seus pais adotivos, e ingressa na faculdade, se envolvendo com novas pessoas, e principalmente garotos. Com o passar do tempo, sem perceber, acabou marcando três garotos, e com garotos diferentes - Aiden, Jason e Li.
Não dá pra dizer que Aiden era exatamente um dos pretendentes, pois ele apenas marcou em sua agenda, e nem ao menos perguntou se ela realmente queria isso. Fora que ela não o levava muito a sério; Jason era bem diferente dela, era um garoto que gostava mais de se divertir, e tanto seus gostos quanto conversas não eram muito iguais. Mas ainda assim, Kelsey se divertia com Jason, era bom pois ela não precisava ficar focada em algo, apenas se deixava levar no momento, e ele era engraçado; Lin foi qual ela mais se identificou. Seus gostos e paixão por livros e filmes era a mesma, e ele era um garoto de família, educado, além de realmente divertido, sempre conseguia a relaxar e esquecer do mundo. Digo, não totalmente, pois Ren não saia absolutamente da cabeça dela, nunca saiu, na verdade. Ela tentava, ainda mais se esforçando com os encontros, mas quando estava sozinha, desocupada, ele sempre vinha à sua mente, e ela recordava os momentos em que passaram juntos, os beijos, as carícias, toda a alegria que agora não era nada além de uma saudades imensas.
No Natal, quando ela tinha tomado a decisão de finalmente beijar Lin, Ren apareceu. Entregou um presente para toda a família dela, e anunciou que depois queria falar com ela, logo descobrindo que ele estava morando ao lado da casa dela. Ele tinha ido a procura dela, pois não suportava mais ficar distante da pessoa que amava, e a queria de volta, de qualquer jeito.
Mesmo a decisão sendo óbvia, que ela ficaria com ele, Kelsey saiu com Lin e o beijou, meio que para comparar os sentim entos, e Ren descobrindo isso, disse que não a beijaria até que ela se decidisse com quem ficar, mas continuaria na ~competição. Sei lá, isso foi algo bobo, pelo amor de deus, você manda a garota que você ama ir beijar outros pra ela ter certeza se o ama? Mas por outro lado eu entendo, pois ele tinha certeza do que sentia, mas queria que ela escolhesse se essa era a vida que ela realmente queria seguir. Ao lado dele, e com todas as confusões, ao invés de uma vida simples e mais... Certa.
E o pior, é que Lin é um cara muito fofo. De verdade, no ponto certo, mais natural. Não um principe encantado como Ren. O ponto negativo do livro é que, meu deus, Kelsey e Ren tem muita melação, além do ciumes possessivo. Mal podem respirar um longe do outro que já não sobrevivem, ou de dar um passo já sentem ciúmes. É algo um pouco fora do normal, apesar de bonito, e formal. Sei lá, eu gosto mais da parte tipo vai ou não vai? Que nem é o primeiro livro, e o começo desse. A parte do romantismo excessivo às vezes torna a história chata.
Após a óbvia decisão dela, Lokesh vem atrás dela, e Ren chama Kishan para ajudar a protegê-la, mas não acaba dando totalmente certo, pois Ren acaba ficando nas mãos de Lokesh, e agora eles precisam resgatá-lo.

"Não sou o tipo de homem que reprime os sentimentos, Kells. Não fico sentado no quarto me consumindo de tristeza, escrevendo poemas de amor. Não sou um sonhador. Sou um lutador. Sou um homem de ação e vou precisar de todo o meu autocontrole para não lutar por isso. Quando é preciso fazer alguma coisa, eu faço. Quando sinto alguma coisa, eu tomo uma atitude. Não vejo nenhum motivo para que Ren mereça ter a garota dos seus sonhos e eu não. Não me parece justo isso acontecer comigo duas vezes." - Kishan

O segundo volume da saga infelizmente não me conquistou tanto quanto o primeiro. Tem certas partes que é muito arrastado, e desanimam um pouco. Sr. Kadam conta várias e várias histórias, o que é super legal, mas se você não está com paciência, acaba cansando logo. Kishan é simplesmente muito perfeito! Ele é, como podemos dizer, o lado mais selvagem de Ren. Sempre fui mais a favor dele, embora a Kelsey sem sombra de dúvidas pertença totalmente ao Ren. E isso, o Kishan também sabe, mas continua com uma obsessão por ela que eu acho meio desnecessário. Se o sentimento entre eles fossem como de irmão, por exemplo, seria mais bonito. Mas mais pro final até dá para entender o motivo, e por falar em final... Meu deus. Eu fiquei encarando as últimas palavras, e pensando: Você não vai fazer isso comigo, Colleen! Mas, como sempre, ela para em uma parte que te faz ficar com o coração partido, e por mais que eu tenha me desmotivado um pouco com essa segunda parte, o final me fez tomar a decisão de que eu PRECISO ler o terceiro, hahahaha. E logo!

Nota: ★★★★☆


Nenhum comentário:

Postar um comentário