sexta-feira, 18 de maio de 2012

Hathor


Nome: Hathor
Autor: Markus Thayer
Editora: Novo Século: Novos talentos da literatura brasileira
Livro: Skoob
Sinopse:
John McBrian é aluno em uma renomada faculdade de Cambridge. Entretanto, sua vida pacata de estudante está prestes a mudar. O que a princípio parecia ser apenas um trabalho de escola coloca o jovem inglês em extremo perigo.
Um mistério intrigante, fenômenos inexplicáveis e mensagens criptografadas levam John a cruzar o oceano, onde seu destino o aguarda.


Hathor é definitivamente, um livro complicado de se resenhar. E olha que eu já li esse livro há um tempinho, e só agora decidi conseguir resenhá-lo!
Inglaterra, 1856. O professor Oliver Stwart passou um dever aos alunos, e John McBrian sendo um deles, estava pesquisando a respeito do trabalho em um livro da biblioteca do colégio, e acabou encontrando ao invés do que desejava, um mapa e uma mensagem codificada. Profundamente curioso, ele procura o professor e lhe mostra o que achou, pedindo ajuda ao mesmo para desvendar essa misteriosa mensagem, e de onde pertenceria o mapa. Após decifrar, descobrem que o mapa os levará a um tesouro, e ambos ficam incrivelmente felizes e ansiosos para embarcar numa jornada atrás desse tesouro, além de incluirem William, dupla de John no trabalho e que super se interessou na busca.
Sir. Oliver chega em casa e avisa a Emma, que trabalha em sua casa, da viagem que fará e o motivo, e ela inocentemente conta ao namorado Klaus, que diferente dela, não é nada inocente. Ele e sua gangue vão atrás do professor e do aluno, afim de quando conseguissem resgatar o tesouro, o roubassem facilmente. Mas dias se passam, e nada é obtido.
Cansados de esperar, resolvem agir e se juntam a eles, primeiramente os ameaçando a se apressar, mas depois Emma e sua mãe vão atrás deles, os encontrando e absolutamente tudo muda. Por ser em uma época muito diferente da nossa, os homens eram bem mais cavalheiros, e apesar de serem denominados ladrões, na presença das mulheres eles são educados, e passam a se relacionar amigavelmente. Primeiramente forçadamente, mas depois vão se conhecendo melhor, relaxando, e no fim realmente gostam um do outro.
Entretanto, esses são eram os únicos que queriam roubar o tão agora famoso tesouro. Um grupo de ninjas os persegue o caminho inteiro, os pondo cada vez mais em perigo. Uma aventura cheia de mistério, revelações, e de fato, um mundo completamente diferente do que um dia imaginamos! Tem muito mais que acontece no livro, mas se eu falar, nossa, vai estragar total a graça, então é o máximo que eu posso lhes contar.

No começo, eu travei DEMAIS. Achei que grande parte foi muito arrastada, e acabou se tornando chato. Mas depois eu criei determinação para acabá-lo e segui em frente; e como muitos livros tem sua parte mais monótona, depois vem a ação e surpresas que nos prende até o final e, quando vamos ver, acabamos mais rápido do que imaginávamos.
Mas o que eu não gostei muito, foi exatamente essa amizade inesperada que eles criaram. Tudo bem, serem educados na presença das moças, eu entendo e concordo. Mas simplesmente apoiarem e se protegerem, até quanto ao tesouro, e a confiança que um criou no outro tão rapidamente? Sabe, não é porque tem mulheres no local, que eles deixaram de ser ladrões! Entretanto, talvez o que Markus quis dizer, é que no fundo eles não eram ladrões de verdade, apenas pessoas honestas tentando achar uma forma de sobreviver.
E sem sombra de dúvidas, é uma história bem surpreendente! Aposto que não só eu, como todos os que leram esse livro, jamais suspeitavam qual seria o tão misterioso tesouro, hahaha


Nota: ★★★★☆


Nenhum comentário:

Postar um comentário