sábado, 12 de maio de 2012

Espíritos de Gelo


Nome: Espíritos de Gelo
Autor: Raphael Draccon
Editora: LeYa
Livro: Skoob
Sinopse:
Um homem acorda acorrentado numa sala de tortura sem se lembrar de nada.
Um baixinho com uma camiseta do Black Sabbath o interroga, enquanto os capangas - "dois sujeitos vestidos com roupas de couro apertadas, compradas em algum sex shop de baixa qualidade para simular o mais próximo possível de um clube sadomasoquista" - o auxiliam. Eles querem que o homem conte o que aconteceu - detalhadamente - antes de chegar até ali. Querem que ele explique como foi parar dentro de uma banheira cheia de gelo.
O problema é que seu inconsciente está bloqueando essas informações por causa de um trauma.
Numa narrativa emocionante e misteriosa, Raphael Draccon conduz o leitor ao universo desse homem acorrentado pelos próprios erros e dramas. Sexo, magia e vingança se misturam para criar uma trama surpreendente.


Começo dizendo, que não foi o que eu esperava. Tanto para o lado positivo, quanto para o lado negativo. Afinal, com uma mão dessas na capa e "espíritos" no título... Bom, dá pra esperar uma bela história de terror, certo?
É, quase.

Nosso protagonista (que, pelo que eu percebi, não tem nome. ou tem?) acorda acorrentado, com as mãos para cima, em uma sala um tanto quanto suja, fedida e nojenta. Uma sala de tortura. À sua frente, há um baixinho de um metro e meio, vestido socialmente, mas com uma camisa do Black Sabbath - o que o deixa mais estranho ainda - e dois capangas no melhor estilo o gordo e o magro, vestidos como um "clube sadomasoquista".
Ele está preso, e não se lembra de nada. E o pior: se ele não lembrar, vai sofrer cada vez mais.
Acontece que ele sofreu um trauma muito grande, que bloqueou toda a sua memória das últimas horas, ou até dos últimos dias. E seus sequestradores e torturadores querem saber como ele foi parar dentro de uma banheira de gelo, sem um rim. Para isso, vão usar da teoria de que, quando a pessoa sofre um segundo trauma muito forte, desbloqueia as memórias perdidas do trauma anterior. E o gordo e o magro vestidos com roupa de algum sex shop barato não vão se importar nem um pouco de pegar pesado nesse novo trauma.

Se você não se lembrar do que aconteceu nas últimas horas, nós faremos com que sofra ainda mais, como se estivesse em um dos Nove Círculos do Inferno...

Assim, quando ele finalmente começa a lembrar, Raphael Draccon nos leva em um intercâmbio de capítulos entre o passado (os flashbacks) e o presente. E nosso protagonista vai ter que aprender a controlar a língua, pois cada vez que seu pequeno torturador lhe faz uma pergunta e ele responde que não sabe, ou é irônico, apanha mais do que gostaria.
As primeiras memórias são de um quarto. Seu quarto. E o cheiro dela... Mariana. A partir de então, as memórias voltam aos poucos, em rápidos ou demorados flashbacks, e vamos descobrindo como tudo aconteceu, para que ele tenha ido parar na tal banheira. Mariana insere nosso protagonista em uma seita que mistura sexo e magia negra, força e elevação espiritual e mais sexo, além de muito dinheiro pelo nível das pessoas que frequentam; contudo, uma coisa é certa: essa louca mistura de sexo e magia negra é muito perigosa, e sem o controle de toda essa energia, a pessoa é levada ao vício... Algo que traz apenas terríveis consequências.
E é lembrando vergonhosamente de seu vício, que ele vai aos poucos lembrando de seus erros e de quem poderia ter feito aquilo com ele.

Sei que pode ter ficado um pouco confuso, mas o livro envolve muitas coisas, coisas que eu não imaginava que envolvia. Como sexo. E magia negra. Por isso eu disse que não é o que eu esperava, tanto pelo lado positivo, quanto pelo negativo.
Pelo positivo, porque me surpreendeu e eu gostei muito do livro, foi algo totalmente diferente do que estou acostumada a ler, e isso me agradou.
Pelo lado negativo, eu esperava um pouco mais. De terror, inclusive. Até dá pra entender a mão sangrando considerando a tortura, mas se formos ver bem, a capa que melhor combina é a primeira de todas, em preto e branco, que colocarei pra vocês no final do post. Porque essa capa e essa sinopse deixam o leitor todo esperançoso, e ele dificilmente encontrará o que quer no livro.
Particularmente, eu colocaria essa resenha na coluna [+18] da Gabe... Porque como tem sexo e tal, e realmente tem sexo e palavrões, eu acharia melhor deixar o aviso. Mas bom, vamos continuar por aqui, mesmo hahaha. Diferentemente de alguns outros livros que já li, que certas descrições das cenas de sexo eram totalmente desnecessárias, nesse, elas são importate, pois com toda a mistura que há entre o sexo e a magia, é como se eles juntos fossem muito poderosos, e cada posição ensinada na seita, é como uma dança para a liberação de algum super encantamento ou seilá.
O protagonista é um personagem bem real, com suas qualidades e defeitos, com seus vícios. Afinal de contas, ele não vai parar dentro de uma banheira de gelo, sem um rim, a toa, certo? A única coisa que achei meio estranho é ele continuar sendo irônico e e conseguindo pensar nas comparações com astros do rock que seu torturador fazia, enquanto ele mal aguentava de dor. Mariana é uma personagem bem desenvolvida, também, com seu toque de mistério. E o baixinho torturador realmente é muito sádico, mas na medida certa, ele sabe quando parar.
E o final soube ser surpreendente, afinal de contas.
O livro me agradou muito mesmo, apesar de não ser o que eu esperava/queria. Assim que você começa, é meio difícil parar de ler. Um livro pequeno, feito para ler em poucas horas. A única coisa é que se você não gosta de sexo em livro, passe longe desse.


Outras capas:

Nota: ★★★★★

Photobucket




(clique e saiba mais)


Dos que comentaram na resenha, apenas 4 seguiam as regras para concorrer ao presente. Eram essas, na ordem de recebimento do comentário:
Isabelle Vitorino
Luisa Freiheit
soniacarmo
Ariana Alves

E a vencedora foi...



Isabelle Vitorino

Nenhum comentário:

Postar um comentário