sábado, 21 de abril de 2012

A Herdeira


Nome: A Herdeira
Autor: Mariana Ribeiro
Editora: Ainda não publicado.
Livro: Skoob
Sinopse:
Maria Luisa Callaghan representava não somente a alta aristocracia brasileira do Século XIX, como também as mulheres que estavam à frente do seu tempo. Quando ela conheceu o major do Exército Martim Afonso Almeida, sabia que seria capaz de fazer qualquer coisa para ficarem juntos. Isso significava desafiar as convenções de toda uma época. Acompanhem a história de um amor proibido num cenário conturbado pela Guerra do Paraguai. Segredos serão revelados tendo como pano de fundo o universo dos fascinantes e preciosos diamantes. Como consequência disso, uma rede de intrigas pelo poder se formaria deixando um rastro de sangue em seu caminho.



Antes de mais nada, eu gostaria muito de agradecer à Mari pela oportunidade de ler seu manuscrito - algo que tenho vontade de fazer desde que ela liberou a capa e a sinopse!

A história se passa no século XIX, aqui mesmo, em nosso belo país tropical. Narrado em terceira pessoa, conta a história de Maria Luisa Natalie Callaghan Queirós de Castilho a única que quis ter sobrenome: uma enfermeira (não por opção dos pais!) que quando tem uma ideia na cabeça, ai de quem estiver na frente; da alta aristocracia e apaixonada pelo Major Martim Afonso Almeida, algo que realmente vai contra o que seus pais planejam para ellevado a uma época onde a realidade era completamente diferente do que estamos acostumados. Com ainda um Imperador no comando e militares lutando a Guerra do Paraguai.
Logo no início, Maria Luisa recebe a triste notícia de que seu amado precisa ir à guerra lutar, e, decidida a não ficar longe dele e querendo ajudar os feridos, ela dá um jeito de ir para a Guerra, também, junto com a equipe médica dos soldados. Após alguns meses por lá, ela é obrigada a voltar para casa quando recebe a notícia que sua mãe está muito doente de preocupação. Porém, sua volta para casa trás muitas mudanças em sua vida - seus pais já estão lhe arranjando um casamento com um Duque inglês um tanto quanto badboy; enquanto tenta achar um jeito de fugir do Duque, a também conhecida como Natalie, recebe uma triste notícia de morte, mas nem isso impede que o casamento ocorra.
A partir de então, as coisas só tendem a piorar; muitas coisas vêm à tona após o casamento: mentiras, muitas mentiras, traições, revolta, segredos de família e, por fim, Natalie acaba sendo exilada do seu tão querido país como punição por um crime.
Exilada do país, todo o cenário muda e somos levados à África, onde ela encontra uma realidade completamente diferente do que vivia na alta sociedade, e é obrigada a se moldar à isso, dando de cara com mais traições, corrupção e segredos.

Estranho, não é? Pois é, o livro é cheio de reviravoltas, mas tudo faz sentido quando a gente lê! Ela é o tipo de protagonista que tenta fazer o bem, mas se ferra bastante. Uma personagem muito forte, que vai atrás do que quer e não fica reclamando de tudo. A história tem muito potencial, contudo, eu senti falta de algumas coisas.
Eu adorei a protagonista, achei-a um tanto quanto bem desenvolvida; todavia, o Major, que era pra ser aquele que a gente se apaixona e torce pra que o casal fique junto o tempo todo, não me convenceu muito. Pode ser que isso tenha acontecido porque eles já estavam apaixonados no começo do livro, ou simplesmente porque ele aparece em poucas cenas, ele parece simplesmente muito idealizado, não vi nada demais nele. Enquanto isso, o Duque que era pra ser o malvado da história, é bem mais desenvolvido e só dá pra sentir um pouco de raiva quando ele é grosso; como eu disse, ele é como um badboy e isso só atrai, hahahaha.
A leitura é rápida e tem bastante sobre a história da época, o que nos mostra que a autora sabe bem da História do nosso país e não começou a escrever do escuro, adoro isso! Apesar de ser uma história criada pela autora, tem muito da realidade ali. Também gostei muito das partes que se passam na África, mudando o contexto e a realidade, mas, mesmo assim, a autora soube manter as rédeas.
Apesar disso, faltou o sal do casal principal e eu senti falta de uma aproximação maior com a protagonista no começo. Acho que o jeito da narração e tal não me colocou "dentro" do livro, sabe? Apesar de tudo, eu conseguia facilmente parar a leitura e ir despreocupadamente fazer outra coisa, sem muito daquele "meudeus, o que acontecerá agora". Não sei explicar direito, mas sabe quando alguma coisa não te convence e você não pega direito o ritmo do livro, parece meio superficial algumas partes? Apesar de tudo, a história é muito bem bolada e, como eu já disse, tem potencial.
Bom, como vocês perceberam pela minha resenha maluca, o livro tem muitas reviravoltas, e é bem complicado falar dele porque qualquer coisa pode ser um spoiler. Senti falta de uma revisão melhor, até pra tomar cuidado com palavras repetidas, mas entendo que é um manuscrito (apesar de que mesmo assim temos que tomar cuidado com o vício de palavras!).
O livro terá uma continuação, o que me deixou meio triste, porque eu tava feliz daquele jeito, hahahaha. Mas a gente entende, né? Acho que se a autora consegue desenvolver mais em cima dos personagens, temos que aproveitar, mesmo :P

Termino a resenha parabenizando a Mari pela história que eu gostei bastante, consegui imaginar aquela época de guerras e vestidos bufantes. E, também, mostro pra vocês uma foto de uma cena que a autora descreve no livro e juro, não teve como não pensar nisso:



Nota: ★★★☆☆

Photobucket

Nenhum comentário:

Postar um comentário