sábado, 3 de setembro de 2011

O Guia do Mochileiro das Galáxias


Autor: Douglas Adams
Série: O Guia do Mochileiro das Galáxias
Editora: Sextante
Livro: Skoob | Submarino
Sinopse:
Arthur Dent tem sua casa e seu planeta (sim, a Terra) destruídos em um mesmo dia, e parte pela galáxia com seu amigo Ford, que acaba de revelar que na verdade nasceu em um pequeno planeta perto de Betelgeuse.

Considerado um dos maiores clássicos da literatura de ficção científica, este livro vem encantando gerações de leitores ao redor do mundo com seu humor afiado. Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect. A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do Mochileiro das Galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário. Mestre da sátira, Douglas Adams cria personagens inesquecíveis e situações mirabolantes para debochar da burocracia, dos políticos, da "alta cultura" e de diversas instituições atuais. Seu livro, que trata em última instância da busca do sentido da vida, não só diverte como também faz pensar.



Arthur Dent começa seu dia já não da melhor maneira: descobre que o cara de uma construtora está com os tratores posicionados em frente à sua casa, prestes a botá-la para baixo, com a intenção de construir uma rodovia no caminho. Bem onde sua casa estava.
Indignado pelo homem ainda não ter desistido daquela ideia, Arthur se joga no chão, em frente a sua casa, impedindo que os tratores avancem e a destruam. Contudo, aquele dia era qualquer coisa, menos um dia normal. Arthur vê seu melhor amigo, Ford Prefect se aproximar. Ford, parecendo ignorar a existência de tratores e da situação em que Arthur se encontrava, começou a chamá-lo com urgência, pois precisava lhe contar algumas coisas. Assim, de maneira misteriosa, Ford faz com que o cara arrogante da construtora não destrua a casa, enquanto eles vão em um bar, e Ford conta algo que deixa Arthur atordoado: ele era um alien, e a Terra seria destruída em poucos minutos.
Após um momento de incredulidade, Arthur percebe que sua casa continuaria a ser destruida, e então sai em direção aos trabalhadores. Ford ainda tenta discutir, dizendo que, de nada adiantaria salvar a casa, se o planeta fosse destruído. Ironicamente, assim como a casa de Arthur estava prestes a ser destruída por causa de uma estrada, a Terra também estava, por causa de uma estrada intergaláctica que passaria por ali.
Os Vogons, seres repugnantes e mal-humorados, são os designados à destruir a Terra, e mesmo que os moradores do planeta, alheios à movimentada vida extraterreste, não tenham sido avisados do projeto para tomarem uma providencia, resolvem destruí-la. E segundos antes disso acontecer, Ford e Arthur são resgatados pelos cozinheiros dos Vogons, e são considerados penetras daquela nave. Seu comandante, Prostetnic Vogon Jeltz, decide torturá-los recitando uma poesia, e a poesia Vogon é a pior existente. Apesar de serem puxa-saco de Prostetnic, os dois são expulsos da nave.
Contudo, antes de morrerem sem ar numa capsula, pelo universo, eles são pegos por um gerador de improbabilidade infinita, da nave Coração de Ouro, onde conhecem Zaphod Beeblebrox, presidente da Galáxia e Trillian, a terráquea que fugiu com Zaphod.

A partir de então, a aventura começa, onde nossos 4 personagens principais, juntos, viajam fugidos, pelo universo, junto com um robô depressivo e um gerador de improbabilidade.
O livro é narrado em terceira pessoa, e contém detalhes que ninguém mais teria conseguido imaginar para juntar em uma única história, em um único livro, como o gênio do Douglas Adams fez. São tantos detalhes, que se você prestar atenção, fica em choque. Como por exemplo, como Ford e Arthur foram pegos pelo gerador de improbabilidade infinita:

"Porém afirma também que, sendo o espaço estonteantemente grande do jeito que é, a probabilidade de ser salvo por outra nave durante esse período de 30 segundos é da ordem de uma chance em duas elevado a 276.709.
Por uma coincidência absolutamente inacreditável, este é o mesmo número de telefone de um apartamento em Islington onde Arthur uma vez foi a uma festa ótima e conheceu uma garota ótima que ele não conseguiu ganhar."


A escrita contém um humor impresso de maneira incrível, e nossos personagens são cativantes. É realmente muito difícil falar de um livro como o Guia do Mochileiro, conhecido também como Bíblia Nerd, e um autor como Douglas Adams. O livro pode ser de certo modo complicado de entender em certas partes, mas ao mesmo tempo é completamente incrível e te deixa atordoado, maravilhado.
Outro fato que vale mencionar, é o guia do mochileiro das galáxias. Foi uma ideia extremamente genial, colocar um livro dentro do livro. É considerado uma enciclopédia sobre todos os planetas, e tem como definição do planeta terra, "praticamente inofensivo". Sua aparência lembra um kindle, e tem escrito "Não entre em pânico" em letras garrafais.
O autor junta várias histórias (que no início você se pergunta porque mudou de história), para no final, juntar todos os personagens em uma só aventura na nave coração de ouro.
Apesar de algumas partes te deixarem perdidos, tudo no fim faz sentido e se encaixa. Nada é por acaso; o bater de asas de uma borboleta aqui, pode criar um furacão em outro lugar.
Entrar nessa aventura com Arthur e Ford vale muito a pena! Você conhece universos, e viaja com o apoio do nosso Guia dos Mochileiros, aprendendo um pouco sobre cada planeta, sobre cada povo.

Para os nerds assumidos e enrustidos, esse livro é obrigatório. Para quem quer ler algo diferente de tudo o que já leu, também. E para quem tem medo de ler o livro, não entre em pânico e boa viagem! Não se esqueça da sua toalha!

Espero que tenham gostado da resenha dupla que eu (Leeh) e a Juh fizemos. Foi bem difícil, visto que eu li o livro no comecinho do ano, e tenho uma dificuldade ENORME para falar do Guia, já que gosto DEMAIS do livro... É quase sem palavras. É diferente de tudo que já li e de que irei ler, com certeza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário