sexta-feira, 1 de julho de 2011

As Meninas que Vieram das Estrelas

Olá, pessoal! *-*
Hoje vim apresentar à vocês o livro As Meninas que Vieram das Estrelas, do escritor português Marcos Aragão Correia, filho do consagrado escritor António Aragão (1925-2008), considerado por especialistas como um dos maiores vultos da Cultura Portuguesa (http://migre.me/58pRS). Marcos esteve envolvido nas investigações no caso do desaparecimento da menina Madeleine McCann, e agora revela suas experiências através deste excelente livro que pode ser baixado gratuitamente em arquivo PDF.



Sinopse:
As meninas que vieram das estrelas é um romance fantástico que inclui factos verídicos. O autor construiu uma maravilhosa história de Amor, fazendo uso dos seus conhecimentos fruto de mais de dez anos de estudo de Parapsicologia e ciências do Paranormal em geral, bem como de importantes informações que obteve nas investigações em que participou sobre os raptos de Joana Cipriano e Madeleine McCann. O livro foi escrito em especial memória das três esplendorosas crianças com as quais e pelas quais mais trabalhou: Francesca Orofino, Joana Cipriano e Madeleine McCann.

O que aconteceu a estas crianças?
Francesca Orofino: 9 anos de idade; Turim, Itália, 1 de Fevereiro de 2007 - morta por um nefasto fungo que lhe infectou os pulmões, devido à aplicação de uma brutal quimioterapia por um hospital, na sequência de um terrível cancro. A quimioterapia acabou assim por destruir todas as suas restantes defesas imunitárias, precipitando-a mais cedo e mais dolorosamente para a morte.
Joana Isabel Cipriano Guerreiro: 8 anos de idade; Algarve, Portugal, 12 de
Setembro de 2004 - raptada e assassinada pelo tio João Manuel Domingos Cipriano após uma tentativa frustrada de venda da criança por parte do mesmo tio; o responsável pela investigação policial - Gonçalo de Sousa Amaral - incrimina a mãe inocente da criança e deixa intencionalmente em total impunidade os criminosos que tentaram comprar a menina.
Madeleine Beth McCann: 3 anos de idade; Algarve, Portugal, 3 de Maio de 2007 - raptada; o responsável pela investigação policial - Gonçalo de Sousa Amaral - incrimina os pais inocentes da criança e deixa intencionalmente em total impunidade os criminosos que raptaram a menina.



Veja também um trecho da entrevista que a cranik fez!

Ademir Pascale: O caso da garota Madeleine McCann, repercutiu muito na mídia e até hoje, quatro anos depois do seu desaparecimento, o caso não foi solucionado. No seu ponto de vista, o que poderia ter acontecido a menina?
Marcos Aragão Correia: O meu livro aborda em detalhe o desaparecimento de Madeleine. O capítulo décimo e seguintes focam detalhadamente o seu rapto e motivações dos criminosos envolvidos. Através da forma de romance, o livro avança com as questões e soluções para este e outros problemas.
Aliás, desafio qualquer crítico a provar que seja falsa qualquer uma das ideias do livro. Tudo está fundamentado através de aprofundados estudos que fiz seja no domínio da Parapsicologia e Paranormal seja no domínio das investigações aos desaparecimentos destas crianças. Espíritos, reencarnação, pluralidade de mundos habitados, naves extraterrestres, psicocinese, telepatia, microchips, Igreja de Satanás, etc., etc., tudo pode ser confirmado. O website oficial do livro, no endereço www.asmeninasquevieramdasestrelas.com, apoia com um vasto manancial de
documentação, inclusivamente com links para outros importantes sites sobre os temas.
Ademir Pascale: Você pretende continuar pesquisando o caso das garotas Francesca Orofino, Joana Cipriano e Madeleine McCan?
Marcos Aragão Correia: Continuarei sempre a ajudar estes e todos os outros Espíritos do Amor. O Amor que nos une é verdadeiro, logo absoluto e eterno. Por isso mesmo, Francesca, Joana, Madeleine e todos os outros que são verdadeiro Amor como elas são, estarão sempre no meu coração.

LEIA NA ÍNTEGRA: http://www.cranik.com/entrevista174.html


Se interessou? Faça o download aqui!

Eu estou louca para saber mais sobre o livro... Ou melhor, lê-lo! E vocês?

Nenhum comentário:

Postar um comentário