segunda-feira, 7 de março de 2011

Desafio de Equipe #004

Desafio lançado por: Juh.
Howdy! Como vão vocês?
Percebendo que nenhum dos desafios até o presente havia sido sobre comédia romântica, resolvi tentar.
O filme é um típico filme norte-americano escolar, com drama, romance, complicações. Mas não se deixe enganar por isso - o filme tem uma moral, e mostra como superar os mais diversos obstáculos de um colégio.
Com alguns atores já conhecidos, e uma história parecida com a qual vemos todo o dia, Easy A(A mentira) encanta, pela forma "lenta" na qual mostra o verdadeiro romance.
Espero ter conseguido achar um filme que prende a atenção, e acho que ninguém teve vontade de desistir no meio do filme.
Here we go.


Título Original: Easy A
Título Traduzido: A Mentira
Ano: 2010
Gênero: Comédia - Romance.
Elenco: Emma Stone(Superbad e Zombieland), Penn Badgley(Gossip Girl), Amanda Bynes(Ela é o cara), Lisa Kudrow(Friends).
Sinopse:
Uma pequena mentira torna-se uma bola de neve gigante. Olive Penderghast era uma adolescente normal, que nunca havia sido notada, até que comete o erro de contar para sua melhor amiga que havia perdido a virgindade com um garoto de faculdade. Este boato corre pela escola inteira, e logo ela não seria mais a pessoa invisível que passava pelos corredores.
Seu melhor amigo pede uma ajuda, um favor simples - ir para uma festa, e fingir que estão juntos, aumentando a popularidade de ambos. O problema é quando todos os "renegados" do colégio a descobrem, e então ela começa a cobrar presentes para dizer que havia ficado com ela. Ao ver um "futuro" nisso, e perceber o quanto sua vida comparava-se á vida de Hester Prynne de "A letra escalarte"(livro qual estavam trabalhando nas aulas de literatura), resolveu se rebelar e, assim como sua "musa inspiradora", colocou um A em todas as suas roupas sexys, e foi motivo para maiores comentários ainda. Sua vida social fica fora de controle, e percebe o quão errado é isto, tentando reverter tudo com um vídeo-diário.


Resenha:
Minha vontade de assistiu filme começou quando vi muita gente comentando sobre este filme no tumblr, e animei mais ainda quando vi os nomes incríveis do elenco.
O filme já começa com o live-blog, com Olive contando sobre o lado dela - o certo - da história, que começou com uma mentira boba. Admito que já senti muita vontade de fazer isso - contar uma mentira, somente para pararem de me importunar. Mas, considerando que minha cidade é menor do que o tamanho do colégio da Olive, eu acho que faço uma boa opção ao não contar coisas absurdas somente para pararem de me irritar. Esse filme apenas comprovou minha teoria. O filme é extrema comédia, começando pela mentira que iniciou toda a confusão, onde a Emma Stone faz um ótimo papel cantando "I've got a pocket of sunshine", sempre quis ganhar um cartão desses. A cena em cima da cama foi uma das que eu mais ri, melhor encenação de falso sexo possível. Na primeira vez que assisti, eu não havia percebido isso, mas no início do filme, a Olive descreve todas as coisas de um filme de romance, e tudo se concretiza. Achei muito fofo, exceto pelas partes de insunuação(e eu preferia não ter visto a apresentação apelativa da Olive antes do jogo de basquete), e espero ter um amor como o da Olive, um dia. Ok, talvez não, preferível alguém com criatividade. Paro minha transmissão por aqui, e deixo com vocês, a opinião de toda a equipe.
Ps: "Foi exatamente como a Hester no livro The Scarlet Letter. Exceto a única coisa que os filmes não falam para você: O quão ruim é ser julgada. Justificadamente ou não."


Carol: De princípio, nem tinha gostado tanto assim do filme, já que ele retrata um assunto muito constante entre adolescentes e... Bom, em todas as idades né, haha. É o sexo.
Olive é uma garota digamos que nem tão conhecida no colégio... Sempre passou despercebida. Num dia, ela acaba contando para a melhor amiga que perdeu a virgindade, sendo que passou o fim de semana inteiro em casa cantarolando uma música que não saia de sua cabeça...
O que uma mentirinha básica pode fazer num colégio, ein? Em torno de pouquíssimos minutos, a notícia se espalhou de uma forma que a deixou espantada. E, curiosamente, pasaram a vê-la com outros olhos, e até ter um certo interesse. Até que ela faz um amigo gay, cujo passa por diversas zoações pelo fato de sua escolha, e sem encontrar mais opções, pede ajuda a Olive, que conseguiu tornar-se popular em torno de basicamente um dia pro outro. Mas nem tudo é tão fácil, então ambos terão de arcar com as consequências, quando homens passam a pagar coisas para Olive, somente para ela mentir, alegando ter realmente transado com eles.
Qualquer um deve imaginar que os resultados disso não foram nem um pouco bons.
Muitos dizem que a adolescência é a melhor fase da vida, mas acho que depende. É a fase também que mais há boatos, fofocas, descriminações, preconceitos, e essa obsessão por popularidade e a perda de virgindade. Te juro, eu simplemente não-consigo compreender o porque é tão importante não ser mais virgem, e como isso vai modificar a personalidade de uma pessoa! Poxa, se a pessoa se torna popular, deve ser pelo JEITO dela ser, pela forma que encanta as outras pessoas, e se torna amiga, não mentindo e se gabando por não ser mais virgem e a outra sim. Meu, isso é ridículo! E o pior de tudo, é que isso REALMENTE acontece. Eu sinceramente achava que tinha salvação, mas agora eu vejo que tá tudo perdido mesmo kkk se você quer se tornar popular, em palavras explícitas, você tem que virar uma puta. Então esse é o lema? Porque eu não ligaria em ser eternamente uma excluída, se dependesse disso para ganhar amigos Q


Caue: Eu esperava um filme tipo, ''sessão da tarde'' quando li que o desafio era Easy A. Nossa, como eu tava enganado!
Os boatos sobre Olive se espalham de forma tão rápida e são tantos acontecimentos chocantes (pra mim foram chocantes, tipo ela aceitar todos os boatos numa boa e ainda ajudar mais pessoas) que eu fiquei mais da metade do filme com cara de "Mas ein??? O.O''.
Acho que o filme não tem pontos ruins, fora que a situação chega a um ponto extremo e a protagonista ainda aceita numa boa, achei essa parte meio forçada, mas a Juh disse que isso é normal nas escolas dos EUA então...
Quanto ao elenco foi o que eu mais achei legal, tem muita gente que você provavelmente já viu por ai, por exemplo o ator que fez o James em Twilight, a própria protagonista que fez Superbad e a atriz que faz Marianne, que também fez "Ela é o cara".
É um filme bem legal até, com acontecimentos e descobertas que não param de aparecer o filme todo, para quem quer um romance um pouco diferente do habitual, recomendo!=]


Leeh: Eu já tinha ouvido falarem muito desse filme, principalmente a Juh. Que é uma comédia realmente legal, e dá pra dar muitas risadas, mas sabe quando você pega um filme pra ver sem expectativa alguma? Eu comecei esse filme assim, e no final, acabei gostando. A maneira como ele começa, como um vídeo onde Olive conta seu lado da história, é realmente legal. Eu basicamente ri na maior parte do tempo, principalmente a cena do 'sexo' entre ela e o amigo gay. O filme trata de um assunto muito comum hoje em dia nos colégios, mas eu particularmente achei um exagero toda a popularidade dela por apenas ter transado. Quero dizer, na escola de vocês é assim? Porque na minha não é, e eu realmente não estou me importando em saber quem é virgem ou não em meu colégio (ema ema ema, cada um com seus pobrema e). Como a carol disse, é meio ridicula toda essa elevação/sobreposição da menina não-mais-virgem. E o filme meio que mostra isso também, porque, afinal, ela ainda é virgem e todos acham que não. Acho que Olive aprende isso, depois de sofrer um pouco. O final é onde mais tem romance, mas nem assim a comédia fica de lado. Se eu puder dar uma dica pro final, olhem a cara do padre. Porque eu ri muito!


Mari: Numa nota de 1 a 10, o filme, para mim, é 7. O filme começa quando Olive inventa que tem um encontro para não ter que acampar com sua amiga e seus pais estranhos. O que ela não imaginava era que essa mentira se espalharia por todo o colégio. O que acaba acontecendo é que Olive, antes uma "maria-ninguém", acaba por virar o centro das atenções. Gostando disso, ela começa a dizer que saiu com diversos caras para ajudá-los (como seu amigo gay, que está cansado de sofrer preconceito e ela ajuda-o, causando uma cena na festa de uma das meninas mais populares da escola.
Confesso que enquanto assistia, até a cena do amigo gay e ela na festa, o filme estava extremamente sem graça. O humor era meio bobo, e chegava em umas partes apelar á estupidez. Porém, mais para o final do filme, Easy A conseguiu arrancar-me boas risadas. Os personagens mais marcantes? Os pais e o irmão adotado de Olive: quem não queria ter uma família assim? As cenas com eles eram as mais engraçadas, na minha opinião. Outras cenas que me arrancaram boas risadas foram as cenas em que apareciam o grupo religioso da escola, onde estava a Amanda Bynes incrível como sempre. A Emma Stone estava incrível no papel principal, deixando bem claro seu talento. Para os fás de Friends, há a surpresa da Lisa Kudrow (A Phoebe), apesar da atuação dela não ter sido muito boa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário