terça-feira, 15 de março de 2011

Calafrio - BookTour



Sinopse:
Quando chega o inverno, Grace é atraída pela presença familiar dos lobos que vivem no bosque atrás de sua casa. Ela espera ansiosamente pelo frio desde que fitou pela primeira vez os profundos olhos amarelos de um dos lobos e sobreviveu ao ataque de uma alcatéia. Esses mesmos olhos brilhantes ela encontraria mais tarde em Sam, um rapaz que cresceu vivendo duas vidas: uma normal, sob o sol, e outra no inverno, quando vestia a pele do animal feroz que, certa vez, encontrou aquela garota sem medo.
Tudo o que Sam deseja é que Grace o reconheça em sua forma humana, e para isso bastaria que trocassem um único olhar. Mas o tempo de Sam está acabando. Ele não sabe até quando manterá a dupla aparência e quando se tornará um lobo para sempre. Enquanto buscam uma maneira para torná-lo humano para sempre, têm de enfrentar a incompreensão da cidade, que vê nos lobos um perigo a ser combatido.
Primeiro livro da série Os Lobos de Mercy Falls, Calafrio é a história de dois jovens que aceitam correr todos os riscos pelo amor, até mesmo o de deixarem de ser quem são.




Esse livro, eu e a Carol lemos graças ao BookTour do Bastidores do Amor que participamos... Bom, demoramos pra postar as resenhas porque moramos em cidades diferentes, e decidimos fazer um post só, então, cá está nossas opiniões! Espero que gostem :D


Leeh:
Pra falar a verdade, eu não faço ideia de como começar a resenha, por onde começar a falar, ou então dizer o quanto eu amei esse livro.
Na capa, encontra-se uma infeliz comparação à Crepúsculo. Não que não dê realmente para fazer essa comparação, só que muita gente deixa de ler o livro, porque tem... alguma coisa contra o Crepúsculo. E sério... Vamos parar de colocar a Stephenie Meyer e derivados em frases de capa de livro? Comparação é uma coisa muito chata gente, credo. u_u

Grace é uma garota de 17 anos muito independente, e que, particularmente, até me lembra a Juh aqui do blog, nesse ponto. Quando era pequena, ela fora arrastada do balanço de seu quintal para dentro do bosque, por alguns lobos. Contudo, fora salva pelo lobo negro de olhos amarelos. Um lobo que ela chamava de seu.
Durante muitos anos, após o ocorrido, todo inverno ela ficava no balanço, observando seu lobo de olhos amarelos, que a observava de volta. Trocas de olhares, comunicação sem palavras. O que Grace não podia imaginar, é que seu lobo, durante o verão (ou dias de calor), na verdade é um humano: Sam.
A primeira vez que eles se encontram, é quando é a vez de Grace salvar Sam em sua forma humana, e mesmo nunca tendo-o visto daquela maneira, ela reconheceu aqueles olhos amarelos. De seu lobo. E como eles já compartilhavam um sentimento mesmo sem trocar palavras, depois disso, eles se apaixonaram.
Acontece, no entanto, que Jack, um garoto da escola de Grace foi transformado em lobo, mas foi dado como morto; assim, a cidade se juntou em uma caçada aos lobos, e no decorrer do livro, Grace e Sam, juntos, tentam manter a humanidade do garoto, enquanto tentam controlar Jack, para que ele não acabe mordendo alguém (e assim a transformando), ou então desmascarando o segredo dos lobos.
De fato, em alguns momentos, não tem como não comparar com Crepúsculo, quando, por exemplo, Grace diz à Sam 'Eu não tenho medo de você'; contudo, há muitas coisas diferentes, como por exemplo, eles não tem problemas com beijos (como o Edward tem, e tem que ficar se controlando), e Grace não é tão dramática como Bella. De fato, prefiro a Grace.
Já o Sam, não tem o que falar. Ele é extramente fofo, do tipo que toda garota quer guardar num copinho e roubar para si, haha.
Minhas palavras não são o suficiente pra dizer o quanto eu amei o livro. Me caiu numa hora perfeita, sabe quando você precisa fugir dos problemas? Então, para eu fugir dos meus problemas, eu parti para o mundo de Calafrio, e adorei!





Carol:
Sabiam que eu sou uma pessoa estranha? Eu raramente me interesso por algum livro famoso, e Calafrio não foi uma excessão. A minha vontade de lê-lo era bem mínima, só a curiosidade de saber o porque de tantos comentários. Afinal, após tantas críticas positivas, ele deveria ser realmente bom, não é? Foi com esse espírito que encarei Calafrio logo nas primeiras páginas. Não com tanta vontade, mas expectativas.
O começo digamos que apesar das cenas profundamente tensas, eu cheguei a rir. Não com o livro em si, mas com as caras que meu irmão fez num dia em que fomos pra uma festa, e levei o livro junto para ler caso ficasse entediada (o que curiosamente aconteceu, e devorei 100 páginas em uma hora. Considere isso uma coisa boa, com suposições do que achei da história, haha), e na volta, no carro, ele roubou o livro e começou a ler. Poxa, só porque Grace é atacada quando criança por vários lobos que tem obviamente a intensão de matá-la e comê-la, e mesmo assim, ela acaba se apaixonando pelo lobo que supostamente a salvou, mas que seria um dos incluídos a se alimentar da carne dela?
Sejamos sinceros. O amor entre humanos e lobos, vampiros, demônios, anjos, é uma coisa meio superficial e incrivelmente mágica e poderosa. Em breve trocas de olhares pode se criar uma paixão incontrolável. Mas fazer o quê?
Grace apesar de ser atacada pelos lobos, sempre teve uma certa paixão por eles, era completamente obcecada pela raça, tendo várias fotos deles guardadas. E, impressionantemente, ela sempre desejou se tornar uma deles (opa, isso te lembra algo? Pois é, pra mim também). Os anos passaram, e Grace continuava em busca de seu lobo, o único que a protegeu e evitou que ela fosse morta. Ela o reconheceria apenas pelos seus olhos amarelos inigualálveis, embora há muito tempo ele não aparecesse.
Quando Jack, um garoto do seu colégio, é morto por lobos, se torna uma crise na cidade pequena. Todos ficam meio apavorados já que a visita dos lobos se tornou constante no local, e temiam qual seria a próxima morte. Determinados a acabarem com aquele desespero, Grace soube que haveriam pessoas matando os lobos no bosque. Apavorada? Mais do que isso! Após obrigarem-os a pararem, com uma desculpa esfarrapada de que sua amiga estava lá tirando fotos, ela é escoltada para casa, onde encontra um garoto nu deitado na grama, tremendo intensamente. Ela fica confusa, e o leva para o hospital as pressas. Mas quem ela queria enganar? Era óbvio que ela sabia quem era aquele garoto misterioso. Era Sam, seu lobo.
No decorrer do livro todo, Sam tenta se manter um humano, já que no frio, ele acaba tornando-se lobo (e sabe-se lá quando ele poderia se tornar humano novamente. Não era algo de costume, e sim no máximo uma vez por ano), e eles precisam aproveitar o tempo que tem juntos o máximo possível.
De fato, é uma história bem bonita. Infelizmente devo admitir que, por estar BEM sensível quando li, acabei até chorando em algumas partes. Acho que a única coisa que devo dizer para comprovar o quanto gostei, é que eu me arrependo por ser tão... Egoísta, orgulhosa, seja lá o que for, por não querer muito ler os livros famosos. Mal sabia eu o que estava perdendo, a leitura maravilhosa e instigante de Calafrio.


Mais informações sobre o Book Tour aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário